O lado Brasileiro das Cataratas do Iguaçu (Roteiro de 4 dias pelas Cataratas – dia 3)

Esse post com dicas sobre o passeio ao lado Brasileiro das Cataratas do Iguaçu é o quarto post de uma série sobre minha viagem – por conta própria – à região das Cataratas do Iguaçu. Todo o roteiro planejado para a viagem (antes da viagem) pode ser lido aqui enquanto o post do primeiro dia (em Cuidad del Este) aqui e do segundo dia (Visita à Usina de Itaipu) aqui. Além desses posts pretendo finalizar a série com um post sobre o lado Argentino das Cataratas e também com um outro sobre a cidade de Puerto Iguazu na Argentina.

Estávamos super na dúvida, falei sobre isso no post sobre o planejamento da viagem, se iríamos até o lado Brasileiro das Cataras do Iguaçu no terceiro ou no quarto dia da viagem. No final optamos por ir no terceiro e deixar o quarto para o lado Argentino das Cataratas. Achávamos que dessa forma teríamos um quarto e último dia mais tranquilo porém com essa decisão o que conseguimos foi um terceiro dia muuuuito mas muuuuito caótico. Purtroppo😦

Como já contei aqui no blog também, fomos às Cataratas no feriadão de Páscoa. No nosso caso foi um feriadão muito grande porque na segunda também seria feriado em São Paulo. E foi justamente desse “pulo do gato” que não nos demos conta. No quarto dias haveriam bem menos pessoas na região como um todo. Muitos brasileiros não costumam visitar o lado Argentino, o que é uma pena!

Como ir de puerto iguazu até as cataratas do iguaçu

Como estávamos hospedados no lado Argentino saímos no ônibus das 10:30 da manhã em direção às cataratas Brasileiras. No lado Argentino é tudo muito organizado, a rodoviária é ajeitadinha, pequena e bem próxima do centro. Como a cidade é pequena é muito fácil de deslocar por lá. Como o hotel onde ficamos também era muito próxima da rodoviária, na noite anterior procuramos o guichê onde deveríamos comprar os bilhetes e nos informamos bem sobre tudo então as coisas foram rápidas.

Rodoviária Puerto Iguazu e Interior do ônibus que leva ao lado Brasileiro das Cataratas

Rodoviária Puerto Iguazu e Interior do ônibus que leva ao lado Brasileiro das Cataratas

O ônibus foi relativamente pontual – considerando o feriadão de Páscoa e o trânsito na fronteira e além de tudo é bastante confortável. Saímos no horário e chegamos lá aproximadamente 45 minutos depois. Aqui não se pode esquecer que é necessário fazer imigração tanto na saída da Argentina quanto na entrada no Brasil. De qualquer forma os procedimentos são tranquilos porque os motoristas dominam todos os processos muito bem. A única coisa chatinha dessa viagem é que os horários não são dos mais variados. Logo ao chegarmos no Parque Nacional do Iguaçu descobrimos que as opções para voltar seriam apenas duas às 15 ou às 17.

A Chegada

Foi descer do ônibus e tomar um susto! Parecia um dia de jogo de futebol com estadio lotado. Logo ao se chegar se avistavam duas filas. Não demorou muito para descobrirmos que uma era para comprar e outra para entrar. Algo indevido no meu entender porém como todos estavam fazendo eu e meu namorado decidimos fazer o mesmo caso contrário não conseguiríamos sequer entrar naquele dia.

Chegada no Parque Nacional do Iguaçu

Chegada no Parque Nacional do Iguaçu

 

Ele ficou na fila para entrada e eu fui para a fila da compra. Duas horas e muito sol no lombo depois consegui comprar os tickets. Assim que comprei fui encontrá-lo, ele já estava preocupado pois naquele momento alguns fiscais tinham acordado e resolveram verificar se todas as pessoas que estavam na fila para entrar realmente tinham ingresso. Meio tarde para fazer isso não é mesmo?

Me juntei ao meu namorado e achei que logo entraríamos, ledo engano meu, a fila de entrada dava voltas e mais voltas depois de já ultrapassada a roleta da entrada.

Fila para o onibus no Paque Nacional do Iguaçu

Fila para o onibus no Paque Nacional do Iguaçu

Tudo porque a entrada do parque fica a uma boa distância das quedas e era necessário tomar um ônibus que nos levaria até o início do caminho de onde se começa a avistar as mesmas.

A essa altura já eram quase 14 horas e não nos restava nada a fazer a não ser esperar na fila. Além da fila para o ônibus a fila da lanchonete também era grande então comer nem pensar. Até comprar água era coisa para os fortes🙂 Portanto fica a dica: leve água e snacks. É quase uma questão de sobrevivência. Ah, e muito filtro solar para aguentar a fila debaixo do olho do sol. Que situação! Ainda bem que a fila do banheiro era tranquila.

Confesso que olhava para aqueles ônibus doble-deck e pensava: por que não colocam um trem ou algo do gênero? Nem preciso dizer que a primeira coisa com a qual me deparei no lado Argentino do parque foi com um trenzinho não é mesmo?

Pior do que isso só a falta de noção de algumas pessoas e da fiscalização. Alguns faziam questão de ir no andar de cima do ônibus e assim muitos ônibus partiam com lugares vagos. Desrespeito!

Depois de aproximadamente três horas e meia de fila embarcamos no famigerado busão. Nesse ponto rezávamos para encontrar comida em algum restaurante e rápido porque a dor de cabeça começava e imperar. Estávamos também muito ansiosos porque tínhamos praticamente 2 horas para comer algo, visitarmos as quedas e conseguirmos pegar o ônibus de volta. Situação!

O CAMINHO NO PARQUE

Assim que saímos do bus começamos a andar em fila indiana pelo caminho/trilha.

Início do caminho no Parque Nacional do Iguaçu

Início do caminho no Parque Nacional do Iguaçu

Demos sorte! Logo achamos um barzinho. Como a desorganização imperava, demos sorte, uma fila imensa em um caixa e outro a ver navios. Fomos nele!

Engolimos as empanadas rapidinho e voltamos para a fila indiana da trilha. Na parte inicial da trilha na verdade o que se vê são as Cataratas do lado Argentino.

Quedas e Ilha (faixa de areia em baixo à esquerda) Argentinas avistadas do lado Brasileiros do Parque Nacional do Iguaçu

Quedas e Ilha (faixa de areia em baixo à esquerda) Argentinas avistadas do lado Brasileiros do Parque Nacional do Iguaçu

Além das Cataratas também se avista uma ilha. Que fica visível  quando o nivel da água está baixo.Também é possível ver inúmeros barcos que fazer os passeios lá em baixo no rio.

O lado brasileiro possuí poucas quedas, todas ao redor da famosa Garganta do Diabo. Isso se deve a questões geográficas pois o lado brasileiro é basicamente uma encosta + a garganta do Diabo e é por isso que além da garganta as outras quedas visíveis são as do lado Argentino.

Vista da Garganta do Diabo no Parque Nacional do Iguaçu

Vista da Garganta do Diabo no Parque Nacional do Iguaçu

Sem dúvida a passarela sobre a famosa queda Garganta do Diago dá um toque especial ao passeio. É o momento alto, apesar de cheia as pessoas se organizaram bem e conseguimos aproveitar. Ela vale a visita!

Passarela na Garganta do Diabo no Parque Nacional do Iguaçu

Passarela na Garganta do Diabo no Parque Nacional do Iguaçu

Outra coisa bacana é o mirante construído no final do caminho. Ótima parada para fotos!

Quedas no Parque Nacional do Iguaçu

Quedas no Parque Nacional do Iguaçu

É nesse mirante que fica um elevador para que você retorno a parte mais elevada do parque. Além do elevador você também podia optar pela escada (sem fila).

Mirante e saída no Parque Nacional do Iguaçu

Mirante e saída no Parque Nacional do Iguaçu

Dessa forma acaba que o passeio é pequeno e graças a isso conseguimos fazê-lo no pouco tempo que tínhamos. Pena que não sabíamos desse detalhe no início. Fica mais uma dica!

Estávamos com receio que a fila do ônibus double-deck para retorno fosse muito demorada porém a coisa toda funcionou mais ou menos como uma fila e dessa forma para voltarmos não foi necessário esperar quase nada.

Parque Nacional do Iguaçu - Retorno

Parque Nacional do Iguaçu – Retorno

Voltamos a entrada principal do parque ainda com folga para nosso ônibus de volta porém sem tempo de conhecermos o famoso Parque das Aves que infelizmente terá que ficar para uma próxima oportunidade.

Parque Nacional do Iguaçu (entrada lado Brasileiro)

Parque Nacional do Iguaçu (entrada lado Brasileiro)

Gostei de ter conhecido as Cataratas mas não recomendo a ninguém fazer isso que fiz. Se mesmo hospedado em Puerto Iguazu e se deslocando com transporte público você decidir fazê-lo recomendo preterir o domingo de Páscoa, principalmente se o sábado anterior foi chuvoso, ou então, madrugar ou não se preocupar em ter que bancar um taxi para a volta.

Quem sabe um dia alguém finalmente se espelhe no Passeio à Usina de Itaipu e acorde para o fato de que o ideal para uma atração desse porte é que os ingressos também sejam vendidos com antecedência, pela internet e de preferência com hora marcada. Quem sabe um dia!!!

Correção em out/2015: fui informada por uma leitora do blog que é possível compras os bilhetes com antecedência. Ele não isenta da fila de entrada porém agiliza a compra. Mais abaixo você encontrará nos comentários do post o relato dela, que não teve problema algum ao visitar as Cataratas🙂

9 comentários sobre “O lado Brasileiro das Cataratas do Iguaçu (Roteiro de 4 dias pelas Cataratas – dia 3)

    • planejandoaviagem disse:

      Oi Camilla, que ótima notícia! Obrigada por compartilhar! Enviei um email perguntando a eles desde quando vendem e se é possível isentar fila e reservar horário. Espero que respondam logo, assim atualizo aqui. De qq forma: muuuito obrigada!

      Curtir

    • planejandoaviagem disse:

      Oi Camila, eles responderam meu email. Eles realmente vendem os ingresso desde 2011. Pena que não verifiquei isso direito na época e mais uma vez obrigada. Segundo eles: “O serviço poupa tempo. Há guichê específico para atender visitantes que compraram ingresso online.” Porém não deixaram claro se é possível reservar um horário ou mesmo não ficar na fila de entrada. Abraços!

      Curtir

      • Camilla disse:

        Pois é!
        Não sei se tem uma fila de entrada separada, talvez seja a mesma😦
        To indo para lá em setembro e descobrirei! Espero que não tenha tanta gente.
        Abs!

        Curtir

      • planejandoaviagem disse:

        Oi Camila, depois me conta, fiquei curiosa. Se vais no feriado eu não deixaria de comprar mesmo que seja apenas o ingresso, tenho lido que o parque tem batido recordes de visitação. Abraços!

        Curtir

      • Camilla disse:

        Oi Michele,
        Estive lá num sábado, dia 12/09. Comprei pela internet e tinha um dos caixas atendendo somente quem comprou pelo site. Mas a fila de embarque é única para todos, dei sorte pois estava vazia! Tinha apenas um excursão de estudantes na frente, mas demos todos no mesmo onibus, não precisamos esperar nem para embarcar na ida nem na volta.😉
        Estava confortável para andar pelo parque, apenas em alguns mirantes tinha uma filinha para tirar foto, mas achei bem tranquilo! Acho que a dica é fugir dos feriados e férias!

        Estive também no lado argentino, parecia um pouco mais cheio e só tive que ter um pouco mais de paciencia para pegar o trem para a garganta do diabo (o trem só vinha a cada 30min e tivemos que esperar um segundo trem).
        Mas os outros percursos estavam bem tranquilos, o melhor é chegar ao parque e ir andando até a estação central e de lá escolher qual passeio fazer primeiro. Escolhi começar pela garganta justamente pela espera do trem, os outros dois foram um pouco mais cansativos e longos, tenho certeza que se deixasse a garganta por último nao teria saco para ficar em pé na fila do trem! rsrs

        Bjs,

        Curtir

Deixe aqui seu comentário ou dúvida

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s