A Piccola Série de Posts sobre a Turquia

Fiz essa viagem 100% desempacotada e, para passar todas as dicas, roteiros e experiências sobre a Turquia, digamos que exagerei um pouco na quantidade de posts. Daí, para facilitar, resolvi fazer esse post resumo com a listinha, ordenada de acordo com meu roteiro, de todos os posts que contam tudo daquilo que planejei e vivenciei por lá.

Planejamento

Istambul

Mar Egeu (Bodrum, Gumbet e Kusadasi)

Capadócia

Geral

Turquia: Custos de uma viagem totalmente desempacotada

Antes de ir para a Turquia achei uma página na internet onde o autor relatava, em Italiano, os principais custos/preços das coisas em sua viagem para Istambul. Usei essa página ,e também uma outra, para ter uma idéia dos preços praticados e agora deixo aqui registrado, para os planejadores de plantão, os preços das coisas na Turquia nos locais por onde passei.

Obs: fora o taxi todos os demais custos, quando não especificado, são por pessoa e por trajeto.

 HOSPEDAGEM

Como comentei no post sobre o planejamento da viagem tinha estabelecido um teto de 60 euros para um casal por noite e não tive nenhuma dificuldade de encontrar hotéis no padrão 3-2 estrelas nesse preço em todas as cidades turcas por onde passei. Para mais detalhes sobre os hotéis e os preços praticados recomendo a leitura dos pots específicos.

 TRANSPORTE PÚBLICO

Acostumada com o tickect do metro de Roma a 1 euro (2,5 reais) e, integrado, achei o preço dos bilhetes em Istambul mais salgadinhos mas ainda assim convenientes. 1 jeton custava 2 LT (liras turcas, aprox. 2 reais), porém dava direito a um trecho sem integração, isto é, se você tivesse que trocar do metro para o tram e depois para o funicular precisaria de 3 jetons. A maioria dos trechos exigia ao menos uma troca. Ainda em Istambul o transporte público fluvial que utilizamos para ir até Kadikoy custou 4 LT.

De Bodrum à Gumbet a minivan (dolmus) custou 3 LT.

Em Kusadasi as minivans(dolmus) para se locomover entre os principais pontos da cidade custavam 2,25 LT.

 TRANSPORTE INTERMUNICIPAL

A ida à Éfeso, de Kusadasi à Selcuk parando em Éfeso, custou 5 LT.

Para ir a Pamukkale, pagamos 25 LT de Kusadasi à Denizli e depois 5 LT de Denizli à Pamukkale 5 LT.

Já na Capadócia utilizamos o transporte intermunicipal para ir até a Cidade Subterrânea. Assim de Goreme à Nevsehir pagamos 2,5 LT e de Nevsehir à Derinkuyu 5 LT. Ainda na Capadócia de  Goreme à Urgup nos custou 2,5 LT.

 TRASLADOS

Em Istambul, do Aeroporto de Ataturk ao Hotel em Sultanahmet fomos com transporte público, 2 jetons por pessoa. Do mesmo hotel ao Aeroporto Sabiha Gokcen foram 10 euros.

Em Bodrum, do aeroporto à rodoviária, com o ônibus da Pegasus Arlines foram 10 LT.

De Kusadasi ao aeroporto de Izmir, com a Last Minute Travel (parceira da Pegasus) foram 20 LT.

Na Capadócia, do aeroporto de Kayseri à Goreme, fomos com a PeerLess (parceira da Pegasus Airlines), por 19 LT e voltamos com a Argeus (parceira da Turkish), por 17 LT.

 TAXI

Pegamos muito pouco taxi, foram somente duas corridas.

Em Istambul, o taxi do Ibis Aeroporto até o Aeroporto custou em torno de 23 LT.

Em Kusadasi, do porto até a estação de ônibus, às 4 da madruga, pagamos 15 LT.

 ENTRETENIMENTO (preço dos principais museus e passeios)

A maioria das atrações pareciam terem preços tabelados.

Em Istambul o Haga Sophia e Topkapi custaram 25 Liras Turcas. No Topkapi para ver o Harem paga-se um adicional de 10 LT. A Cisterna também custou 10 LT. Enquanto o barco no porto que faz o tour pelo Bósforo custou 12 LT.

Na Capadócia o Museu a Céu Aberto de Goreme também custou 25 LT, no entanto para ver a Dark Church para-se um adicional de 8 LT. A Cidade Subterrânea custou 20 LT e o passeio de balão 90 euros.

A entrada em Pamukkale custou 20 LT e em Éfeso 25 LT.

As Mesquitas são gratuitas em todas as cidades.

Na maioria das praias onde fomos não se pagava nada pela cadeira e barraca de praia/guarda-sol bastava consumir um valor que girava de 8 à 10 LT (para duas pessoas).

 ALIMENTAÇÃO (preços de refeições de bebidas)

Refeição rápida (lancherias, kebaberias e suas inúmeras variações) – de 4 a 8 LT.

Uma refeição em um restaurante padrão normal – de 15 a 25 LT por pessoa.

Cerveja ou taça de vinho da casa – de 5 à 12 LT.

Chá  – de 1 à 3 LT.

Café Turco – de 3,5 à 6 LT.

Ayran – de 1 à 3 LT.

Aguá – cheguei à conclusão que era tabelada. Tanto nos inúmeros vendedores ambulantes quantos nos mini-mercados custava 0,5 LT cada meio litro. Só encontrei por menos em um supermercado maior porém eles são mais difíceis de encontrar.

Leia mais:

O Passeio de Balão pela Capadócia

Confesso que cheguei a pensar em não fazer o passeio, estava com um orçamento modesto, achando os valores exagerados e com um medinho que me fazia ir adiando decisões. Fuçei na internet, li alguns sites e quando achei uma dica dizendo que era mais econômico deixar para contratar o passeio por lá mesmo acho que fiquei até mais tranquila. Também confesso que em nenhum momento, mesmo que não fizesse o passeio de balão, pensei  em deixar de ir à Capadócia afinal o lugar tem muitos atrativos e imagino que nem todos que a visitam façam o passeio (olha eu procurando justificativas…rs).

E foi assim, meio que empurrando a decisão com a barriga e pagando para ver o que encontraria pela frente que encarei o passeio e adorei. Hoje afirmo com letras garrafais que o passeio de balão pelos vales da Capadócia é uma experiência ÚNICA e que vale cada centavinho de euro gasto. O lugar por si só é muito especial e unir todas aquelas paisagens cinematográficas ao passeio em um balão é divino! Ver o sol nascer lá do alto como se estivesse flutuando, olhando os demais balões ao seu redor e sentir o silêncio se alternar ao barulho do balão foi muito bom. Ah, vencer seu medo também não tem preço!

Para os medrosos como eu saliento que me senti muito segura. Aliás, antes de viajar li que essa região da Turquia era uma das melhores do mundo para a prática do balonismo então acabei ficando mais tranquila e fui aos poucos aceitando a idéia de que provavelmente o lugar para essa experiência era a terra de São Jorge.

A NEGOCIAÇÃO/CONTRATAÇÃO DO PASSEIO DE BALÃO

Como na ida para o Museu à Céu Aberto de Goreme tínhamos observado as sedes, em Goreme, da Urgup e Goreme balões e, seguindo a dica de negociar direto lá e com as empresas de balão ao invés das agências, decidimos ir até eles primeiramente. Com uma idéia dos preços praticados em mente (160 euros sem desconto e 125 euros pela agência do nosso hotel) partímos para a pesquisa de preços. A nosso favor tínhamos o fato de ainda termos dois dias pela frente para fazer o passeio então o combinado era que se não conseguíssemos um preço justo naquele dia tentaríamos no próximo.

Entendo que é um esporte/atividade cara e que você tem que ter segurança. Queria ir no primeiro voo do dia, fazer o passeio com duração de uma hora, ir em uma cesta que não fosse muito cheia (em torno de 25 pessoas no máximo, acreditem existem cestas maiores…rs) e com uma agência que oferecesse seguro. Tinha meus requisitos e sabia que eles tinham um preço. Por outro lado também não estava disposta a pagar os 160 em cash e na bucha queria um desconto bom.

Fomos incialmente na Goreme balões onde o vendedor foi muito atencioso, nos deu inúmeras informações porém não baixou o preço de 135 euros. Saindo da Goreme fomos até a Urgup e para a nossa supresa a oferta foi de 90 euros. Fechamos na hora, o vendedor inclusive pediu para que não comentassemos com nenhuma outra pessoa do passeio o preço que tínhamos pago, mal sabia ele que eu iria postar no blog…rs. Na hora cheguei a ficar com receio pois achei o preço barato, mas o passeio foi ótimo e a Urgup muito profissional. Naquele dia eles tinham inúmeros balões no ar. Chego a conclusão que talvez a nosso favor tenha contado o fato de termos feito a negociação muito tarde, a loja já estava praticamente fechando, provavelmente nos venderam lugares que estariam vazios. Mas isso é mais uma suposição do que uma dica.

O PASSEIO DE BALÃO

A van da Urgup Balloons passou no hotel exatamente no horário combinado, às 04:30 da madruga. Os voos são muito cedo porque nesse horário as condições do vento são melhores. Do hotel em Goreme até a sede da Urgup, também em Goreme, não levamos nem 10 minutos, mesmo parando para buscar pessoas em outros hotéis próximos.

Ao chegar na sede o café da manhã já estava pronto e enquanto você faz um lanchinho eles fazem uma verificação do seu nome, do pagamento e te dão um adesivo. Esse adesivo já é na verdade a indicação do balão no qual você vai voar. Cada balão da Urgup era identificado por uma cor, o nosso era o laranja.

Café tomado, 30 minutos depois se parte para o ponto de decolagem a nem 10 minutos de  distância. Chegando lá tudo impressiona, os inúmeros balões coloridos, as cores do dia que começava a raiar, o barulho dos queimadores e a ansiedade natural do passeio formam uma atmosfera toda especial.

Ao descer da van o motorista já te indica, pela cor, o teu balão e eccolo: ela já está praticamente pronto para a brincadeira começar. Tivemos uns 10 minutos para tirar umas fotos e dar uma olhada geral. Depois disso era hora de subir na cesta.

A cesta é divida em compartimentos para a melhor distribuição do peso. No centro vai o piloto e depois, nas demais quatro divisórias uma média de 4 a 5 pessoas. Fui a primeira a entrar e fui bem próxima ao piloto e consequentemente aos queimadores. Fiz uma sauninha básica então fica a dica do que vestir no verão. Irão dizer que mesmo assim é friozinho porém, se você ficar perto do piloto vai ter essa questão do ar quente, assim é melhor sempre um casaco leve assim se der calor você tira.

Antes da decolagem um pequena aulinha de como se posicionar tanto para a decolagem como para a aterrissagem e, lá vamos nós!!! A decolagem é tão sensível que praticamente não se sente. Não tem muita descarga de adrenalina, aliás nenhuma, é tudo uma paz e assim, pouco a pouco, o balão vai subindo.

Nosso balão naquele dia não fez nenhum razante como esse da foto abaixo que mais parecia ter solicitado o passeio “com emoção”!

Também não atingimos uma altitude muito alta, como vi alguns outros balões, nossa altidude máxima foi de 550 metros.

Voamos cerca de 1 hora e vimos quase tudo exceto uma área próxima a Uschisar porque o vento não deixou. Infelizmente sabia que o balonismo tem dessas coisas. Além disso a área de interesse isto é, os vales que compreendem a Capadócia, é distribuída em uma região pequena fazendo com que o balão não percorra grandes distâncias.

Nosso balonista era um inglês chamado Andy. Um cara muito simpático e solícito. Nos deu muita informação e me passou muita segurança. Ele falou que sempre voa no balão laranja mas que se alguém quiser pode solicitar para voar com ele bastando para isso informar o seu nome.

Depois de uma hora aterrisamos. É aí que se tem mais noção de toda a estrutura a sua disposição, além da van que vai te levar de volta para o hotel, uma camionete também segue o balão para que tão logo ele aterrisse seja colocado no carro que o transportará de volta.

Aterrissagem feita, no nosso caso batemos no cume de uma pequena árvore, único momento de adrenalina…rs, nosso balonista nos pede para que o ajudemos a colocar o balão em cima da camionete, isso mesmo, ele pede que nos coloquemos em posição de decolagem e manipula o balão com tanta prática que o põe em cima do carro que o transportará.

Balão no lugar, é hora de esvaziá-lo. Segundo Andy uma posibilidades de fotos lindas porém eu fiquei no lado contrário peninha!

Depois disso é ajudar a dobrar o balão, pegar o certificado e brindar com espumante como faziam os antigos balonistas.

Leia mais:

Horários Transporte Público entre Goreme e Urgup/Nevsehir

Um post pequeninho só para inserir os horários dos ônibus públicos (timetables) a partir de Goreme para Urgup e Nevsehir.

Fotos tiradas em julho de 2012, dos ônibus que partem de Goreme para Urgup (e vice-versa), com possibilidade de parar no Museu à Céu Aberto de Goreme e de Goreme para Nevsehir (e vice-versa), com parada em Uchisar e para acessar Derinkuyu.

Goreme – Urgup

Goreme – Nevsehir

Sei que as fotos estão meio toscas mais acho que a informação esta aí, e facilita o planejamento já que informação é tudo nessa vida e é ainda mais importante para o viajante desempacotado. Na primeira foto o horário do último ônibus, que está escrito à mão é 17:15.

Uma informação importante é que essas fotos foram tiradas na rodoviária de Goreme, no centro de informações turísticas que foi super útil durante a viagem. Recomendo uma passadinha por lá.

Para ler mais:

Meu Roteiro de 3 dias desempacotados na Capadócia

Como já comentei viajei à Turquia por conta própria e nesse post pretendo postar todas as dicas da Capadócia desempacotada e com transporte público já que no meu caso alugar um carro não era uma opção. Alíás, nada melhor em tempos de Salve Jorge, para quem não sabe a nova novela da rede globo que estréia justamente hoje, do que falar um pouquinho sobre as paisagens lunares da Capadócia, do passeio de Balão e das cidades subterrâneas.

Lembrancinha da Capadócia

O roteiro foi de 3 dias/2 noites os quais achei de bom tamanho. Chegamos atrávés do aeroporto de Kayseri e dele fomos direto para o hotel com o serviço da PeerLess shutle. O voo foi cedo e assim por volta das 11 horas da manhã já estávamos no hotel. O pessoal do hotel Katpatuka foi camarada e nos deixou entrar no quarto antes do horário previsto para check-in.

No primeiro dia nem pestanejamos saímos do hotel e fomos, caminhando passeando pela cidade, até o Museu ao Céu Aberto de Goreme. O Museu fica 1,3 km do centro da cidade e a caminhada foi tranquila, o que pegou, em pleno julho, foi o sol forte.

Entrada do Museu à Céu Aberto de Goreme

Vi umas pessoas irem e voltarem de bike e se não fosse pelo sol teria encarado a bike. Outra opção interessante para ir até o museu é pegar o ônibus que faz o trajeto de Goreme à Urgup, a questão aqui é que os horários são poucos então é melhor planejar. Segue o timetable nesse post aqui!

Essa opção é melhor para aqueles não tão bem condicionados porque caminhar 1,3 km e depois enfrentar todo o sobe e desce nas escadinhas dos diversos espaços que formam o Museu pode ser bem casativo.

Escada para a Igreja com a Imagem de São Jorge (no alto à esquerda), Imagem de São Jorge (abaixo à esquerda) e Entrada Dark Church (à direita)

O Museu à Céu Aberto de Goreme é muito interessante e junto com o passeio de balão è o ponto alto da viagem. Tem que ir! A Dark Church também merece a visita. O chatinho é ter que pagar à parte na bilheteria interna e que não aceita cartão de crédito. Naquele dia cheguei em Goreme com muito pouco dinheiro e dois caixas eletrônicos da cidade ainda não tinham dinheiro disponível. Tive sorte de conseguir pagar a entrada no museu com cartão de crédito porém na Dark Church meu namorado (um gentlemen) ficou a ver navios pois não tínhamos dinheiro suficiente para pagar duas entradas, resultado, entrei sozinha e aí fiz umas fotinhos, mesmo sendo proibido para que ele pudesse ver…rs. Segredinho!

Dark Church (à esquerda e no alto à esquerda), Buckle/Tokali Church (abaixo à direita)

Não compramos o audio-guide nem contratamos guia privado porém como a maioria das pessoas utiliza esses serviços e são tantos sempre que entravávamos nos locais entravámos com um grupo. Aliás era auto-organizado dessa forma, você esperava o grupo anterior sair para o próximo grupo entrar e assim, sempre acabámos ouvindo toda a explicação alheia. :0)

Depois do museu rolou um almoço, umas horinhas no hotel para descancar e saímos novamente em busca do próximo passeio: o tão esperado Passeio de Balão pelos vales da Capadócia! O jantar não podia ser diferente, estava louca para provar o Pottery Kebab.

Pottery Kebab

Assim o segundo dia foi dedicado inicialmente ao passeio de balão que por começar e terminar muito cedo deixa o dia inteiramente disponível para outras atividades. Nesse dia saímos do hotel às 4 horas e 30 minutos da madrugada e voltamos às 8 da manhã. Ainda deu tempo de dar uma dormidinha, tomar um segundo café e recomeçar o dia. Todos os  detalhes do passeio vou colocar em um outro post. Depois coloco o link aqui.

Preparando para o passeio de balão…

Assim, por volta das 10:30 estávamos na rodoviária de Goreme em direção à Cidade Subterrânea (Underground City) em Derinkuyu, a mais recomendada entre as 3 cidades subterrâneas da região. Para chegar até ela com transporte público pegamos o ônibus na rodoviária de Goreme até uma parada de ônibus em Nevsehir e de lá tomamos um outro ônibus até Derinkuyu. É fácil porque os ônibus possuem os nomes das cidades para as quais se dirigem e o ônibus para Derinkuyu pára em frente ao Museu. Todo o trajeto, considerando a espera em Nevsehir levou aproximadamente 1 hora e 15 minutos tanto na ida quanto na volta.

Observei poucos turistas nos ônibus então para as meninas deixo a dica de não abusarem nos decotes das roupas já que tanto Nevsehir quanto a pequena Derinkuyu são cidades muito tradicionais. Naquele dia estava muito quente, saí de shorts e ribana, resultado, teve um turco que não falava nada de inglês que me elogiou ao meu namorado, que situação! Ele fazia sinal de ok com as duas mãos e depois queria saber da aliança, fazia sinal para o anel que não existia no dedo. Ninguém merece! Queria ter me matado por ter feito exposição da figura!!!

Entrada e Bilheteria do Museu (alto à esquerda), Andares da Cidade Subterranea (demais)

Visitamos todos os andares da cidade subterrânea. Em um certo momento, após uns 8 minutos de descida, meu namorado, um pouco claustrofóbico, ficou preocupado em passar mal. Eu tinha lido uns relatos sobre isso e combinei com ele que iria um pouco mais adiante ver como era a situação daquele ponto para baixo. Ao descer poucos degraus conversei com um guia que me disse que a escada que eu tinha acabado de descer era a mais chatinha e que daquele ponto onde estávamos (eu e o guia) bastava descer mais um escada, 120 degraus, para chegar ao final ou que poderíamos retornar por uma escada que estava na nossa frente (eu e o guia). Esse ponto onde encontrei o guia era justamente onde se encontra um poço e conseguentemente super arejado (foto central à equerda). Voltei, expliquei ao meu namorado as opções e no final acabamos fazendo todo o percurso.

Escada para a Igreja com a Imagem de São Jorge (no alto à esquerda), Imagem de São Jorge (abaixo à esquerda) e Entrada Dark Church (à direita)

As informações do guia nos tranquilizaram ao principal causador do medo, o desconhecido, nesse caso a falta de informação mesmo. Senti falta de um mapinha mais esclarecedor por parte do museu até porque viajar desempacotado tem dessas coisas. É bem chato você estar em uma escada alguns metros abaixo da terra, baixa, estreita, com poucas luzes iluminando seu caminho sem saber se aquilo vai durar por muito ou pouco tempo ou mesmo se vai piorar. Além disso depois de todo o esforço para chegar até ali é claro que você quer mais é aproveitar e portanto desistir no meio pode ser frustante e é justamente por isso que deixo esse relato.

As escadas realmente são baixas, e olha que tenho 1,58, porém somente alguns pontos são estreitos. Além disso quem acompanha meu blog sabe que sou medrosa porém descobri naquele dia que não tenho quase nada de claustrofobia. O que achei é que na verdade existem saídas de ar por toda a parte e o ambiente é bastante úmido então aquilo me deu uma tranquilidade para ir em frente. É incrível mas você desce 2 metros e a temperatura já muda completamente. Estava muito mais agradável lá em baixo do que os 38 graus, sensação de 40, lá em cima. Outra coisa interessante é que se desce muito rápido, em 8 minutos já estavámos na metade mas achavámos que estávamos apenas começando, afinal tínhamos visto um programa de TV que diziam que ali chegaram a morar mais de 3 mil pessoas então pensavámos em algo maior, e isso acho que assustou mais. Na verdade nem tudo está aberto a visitação.

Da cidade subterrânea fizemos o caminho de volta passando por Uchisar (a formação rochosa da foto embaixo à direita). Fomos até o hotel, descansamos um pouco e rumamos para a colina para ver o Pôr do sol, um programa bem legal e que ficava muito perto do nosso hotel.

Paisagens no longo do caminho para assitir ao Por do Sol

Por do Sol em Goreme

No último dia fizemos check-out e fomos passar o dia em Urgup. Voltando para Goreme almoçamos no Nazar Borek, uma ótima dica para um almoço rápido. Por volta das 3 horas já estávamos de volta no hotel aguardando o transfer que passaria as 16:30. Em 1 hora e 15 minutos estávamos em Kayseri. Gostei de Urgup, boa para ficar umas poucas horas e passear pela cidade porém preferi Goreme.

Centrinho Urgup

Nazar Borek

Considero que fizemos todas as principais atrações e que tivemos um panorama geral dos lugares mas a verdade é que nem de longe fizemos uma boa parte delas. A Capadócia é muito focada em trilhas para trekking e no ecoturismo então se você é amante desse tipo de atividade tem reservar um pouco mais de tempo.

Eu gosto mas não naquele calor todo não fiz muita questão.  À algumas partes você pode ir com uma moto alugada ou mesmo um quadricículo porém em determinados pontos você só pode ir à pé. Abaixo uma foto que tirei de um folder com as trilhas.

Trilhas da Região (Folder da Agência Katpatuka)

Também achei o quadricículo bem salgadinho, 100 euros por dia, 40 por algumas horas e como o utilizaria para visitar os vales que tive a oportunidade de ver de cima com o passeio de balão ou para chegar até algumas trilhas que não tinha interesse de fazer naquele momento acabei dando preferência ao passeio até a cidade subterrânea. Um passeio legal parece ser o que eles chamam de Green Tour (em verde na imagem abaixo) que une o passeio à Cidade Subterrânea de Derinkuyu a um passeio pelo Vale Ihlara, ao Monastério Selime e ao lago Nar.

Mapa da Região

Achei ambos os folders muito interessantes para planejar corretamente os passeios a se fazer pela região. O Red Tour também tens seus pontos altos, conhece no detalhe os vales, algumas cidades da região e vai até uma fábrica de cerâmica em Avanos.

Leia mais: