A Piccola Série de Posts sobre a Turquia

Fiz essa viagem 100% desempacotada e, para passar todas as dicas, roteiros e experiências sobre a Turquia, digamos que exagerei um pouco na quantidade de posts. Daí, para facilitar, resolvi fazer esse post resumo com a listinha, ordenada de acordo com meu roteiro, de todos os posts que contam tudo daquilo que planejei e vivenciei por lá.

Planejamento

Istambul

Mar Egeu (Bodrum, Gumbet e Kusadasi)

Capadócia

Geral

Turquia: Custos de uma viagem totalmente desempacotada

Antes de ir para a Turquia achei uma página na internet onde o autor relatava, em Italiano, os principais custos/preços das coisas em sua viagem para Istambul. Usei essa página ,e também uma outra, para ter uma idéia dos preços praticados e agora deixo aqui registrado, para os planejadores de plantão, os preços das coisas na Turquia nos locais por onde passei.

Obs: fora o taxi todos os demais custos, quando não especificado, são por pessoa e por trajeto.

 HOSPEDAGEM

Como comentei no post sobre o planejamento da viagem tinha estabelecido um teto de 60 euros para um casal por noite e não tive nenhuma dificuldade de encontrar hotéis no padrão 3-2 estrelas nesse preço em todas as cidades turcas por onde passei. Para mais detalhes sobre os hotéis e os preços praticados recomendo a leitura dos pots específicos.

 TRANSPORTE PÚBLICO

Acostumada com o tickect do metro de Roma a 1 euro (2,5 reais) e, integrado, achei o preço dos bilhetes em Istambul mais salgadinhos mas ainda assim convenientes. 1 jeton custava 2 LT (liras turcas, aprox. 2 reais), porém dava direito a um trecho sem integração, isto é, se você tivesse que trocar do metro para o tram e depois para o funicular precisaria de 3 jetons. A maioria dos trechos exigia ao menos uma troca. Ainda em Istambul o transporte público fluvial que utilizamos para ir até Kadikoy custou 4 LT.

De Bodrum à Gumbet a minivan (dolmus) custou 3 LT.

Em Kusadasi as minivans(dolmus) para se locomover entre os principais pontos da cidade custavam 2,25 LT.

 TRANSPORTE INTERMUNICIPAL

A ida à Éfeso, de Kusadasi à Selcuk parando em Éfeso, custou 5 LT.

Para ir a Pamukkale, pagamos 25 LT de Kusadasi à Denizli e depois 5 LT de Denizli à Pamukkale 5 LT.

Já na Capadócia utilizamos o transporte intermunicipal para ir até a Cidade Subterrânea. Assim de Goreme à Nevsehir pagamos 2,5 LT e de Nevsehir à Derinkuyu 5 LT. Ainda na Capadócia de  Goreme à Urgup nos custou 2,5 LT.

 TRASLADOS

Em Istambul, do Aeroporto de Ataturk ao Hotel em Sultanahmet fomos com transporte público, 2 jetons por pessoa. Do mesmo hotel ao Aeroporto Sabiha Gokcen foram 10 euros.

Em Bodrum, do aeroporto à rodoviária, com o ônibus da Pegasus Arlines foram 10 LT.

De Kusadasi ao aeroporto de Izmir, com a Last Minute Travel (parceira da Pegasus) foram 20 LT.

Na Capadócia, do aeroporto de Kayseri à Goreme, fomos com a PeerLess (parceira da Pegasus Airlines), por 19 LT e voltamos com a Argeus (parceira da Turkish), por 17 LT.

 TAXI

Pegamos muito pouco taxi, foram somente duas corridas.

Em Istambul, o taxi do Ibis Aeroporto até o Aeroporto custou em torno de 23 LT.

Em Kusadasi, do porto até a estação de ônibus, às 4 da madruga, pagamos 15 LT.

 ENTRETENIMENTO (preço dos principais museus e passeios)

A maioria das atrações pareciam terem preços tabelados.

Em Istambul o Haga Sophia e Topkapi custaram 25 Liras Turcas. No Topkapi para ver o Harem paga-se um adicional de 10 LT. A Cisterna também custou 10 LT. Enquanto o barco no porto que faz o tour pelo Bósforo custou 12 LT.

Na Capadócia o Museu a Céu Aberto de Goreme também custou 25 LT, no entanto para ver a Dark Church para-se um adicional de 8 LT. A Cidade Subterrânea custou 20 LT e o passeio de balão 90 euros.

A entrada em Pamukkale custou 20 LT e em Éfeso 25 LT.

As Mesquitas são gratuitas em todas as cidades.

Na maioria das praias onde fomos não se pagava nada pela cadeira e barraca de praia/guarda-sol bastava consumir um valor que girava de 8 à 10 LT (para duas pessoas).

 ALIMENTAÇÃO (preços de refeições de bebidas)

Refeição rápida (lancherias, kebaberias e suas inúmeras variações) – de 4 a 8 LT.

Uma refeição em um restaurante padrão normal – de 15 a 25 LT por pessoa.

Cerveja ou taça de vinho da casa – de 5 à 12 LT.

Chá  – de 1 à 3 LT.

Café Turco – de 3,5 à 6 LT.

Ayran – de 1 à 3 LT.

Aguá – cheguei à conclusão que era tabelada. Tanto nos inúmeros vendedores ambulantes quantos nos mini-mercados custava 0,5 LT cada meio litro. Só encontrei por menos em um supermercado maior porém eles são mais difíceis de encontrar.

Leia mais:

O Roteiro em Istambul e o Passeio em Kadikoy

Dando sequência aos posts sobre Istambul vou dar uma pincelada rápida no meu roteiro salientando aquilo que despertou minha atenção. Foram 5 noites, sendo 4 dias inteiros, 1 meio dia (o primeiro) e um último dia qUe serviu apenas para acordar e ir para o aeroporto de Sabiha Gokcen. Achei esse número de dias de excelente tamanho, fiz as atrações com calma, deixei a cidade me surpreender e ainda deixei algumas coisas para uma próxima oportunidade. Queria ter ido até à Igreja de São Salvador em Chora mas não consegui alinhar o passeio ao meu roteiro, ela fica mais distante, precisaria de mais tempo e se não me engano fecha às quartas-feiras o que acabou dificultando a ida. Assim, apesar de amar os mosaicos bizantinos dei prioridade às Mesquitas que era o algo diferente pra mim naquele momento.

O primeiro meio dia foi dedicado a um passeio rápido por Sultanahment, chegamos por volta das 13 horas no hotel e com o cansaço da viagem queríamos nos situar mas sem nenhum compromisso então apenas passeamos pela região, descançamos um pouco e no cair da tarde fomos fazer o reconhecimento do bairro Beyoglu/Taksim. Fomos de metro de superfície mais funicular, chegamos em 20 minutos. Foi bom porque passeamos pelo bairro com calma. Saímos direto na praça Taksim, paramos para um lanche rápido e andamos quase toda a Istiklal Caddesi, a avenida das compras. Nesse dia também conhecemos a rua Nevizade e arredores.

Hagia Sophia

O segundo dia foi mais cheio mas tranquilo. Fomos até a Hagia Sophia, depois à Mesquita Azul e ao Bazar próximo à ela.

Interior Hagia Sophia

Interior Mesquita Azul

Bazar da Mesquita Azul

Do bazar caminhamos um pouco pela região mais baixa de Sultanahmet, perto da Mesquita Kusukasofya. Uma região muito charmosinha com diversos hotéis, restaurantes e lojas.

Mesquita Kusukasofya

Da Mesquita subimos até o Grand Bazaar onde, depois de conhecê-lo, paramos para almoçar por volta das 14:30.

Grand Bazaar

Não somos do tipo que acorda  muito cedo, fizemos tudo por conta e a pé e em aproximadamente 5 horas conseguimos conhecer todos esses pontos. Ah, também não pegamos fila para entrar nesses lugares, tudo estava muito organizado, era a segunda quinzena de julho.

À noite seguimos no expresso canelão do hotel em Sultanahmet, próximo a Sirkeci (a antiga estação do Oriente Express) até Beyoglu/Taksim. Passamos pela estação Sirkeci, paramos para comer sanduíche de peixe na Ponte Gálata, de lá subímos em direção à Torre Galata, paramos novamente para beber uma cerveja perto dos bares de meze e depois pegamos a Rua(Caddesi) Galip Dede, que nos levou direto a Istiklal Caddesi porém dessa vez na parte oposta à Praça Taksim.

Estação de Sirkeci

Barco vendendo sanduíche de peixe em Erminonu

Torre Gálata

Os pontos altos do dia foram sem dúvida a tranquilidade da Mesquita Kusukasofya com os locais se preparando para rezar e o  passeio noturno que apesar de cansativo nos fez conhecer as ruazinhas de Beyoglu. O bairro formado por Beyoglu/Taksim é grande e se você se dedica apenas aos arredores da Taksim acaba não conhecendo a parte da Torre Galata. Ah, não subimos na torre.

A essa altura você já deve ter percebido a quantidade de “subimos” e “descemos”. Pois é Istambul tem muitos altos e baixos então quando decidir caminhar é bom estar atento à esse detalhe.

O terceiro dia foi dedicado ao Palácio Topkapi, ao seu Harem e à Cisterna Basílica. No Topkapi compramos o ingresso de entrada em uma máquina instalada em frente à bilheteria. Tudo tranquilo, nada de filas longas, só uma pequena espera para passar pela segurança.

Bilheteria Topkapi

Já o ingresso para o Harem foi comprado na bilheteria interna do museu. Ambos foram pagos com cartão de crédito. Eu acho que o Harem não é que acrescenta tanto ao passeio, acho que ele complementa e já que tinha ido até ali não deixei de entrar. Depois, ele não é tão grande quanto o palácio e gastamos uns 40 minutos para conhecê-lo. Alguns ângulos da cidade vistos do Topkapi são muito bonitos.

Corno de Ouro visto do Palácio Topkapi

Palácio Topkapi

Palácio Topkapi

Palácio Topkapi – Harem

Saímos do Topkaki, fizemos uma paradinha para um almoço e voltamos à região do palácio, dessa vez para ir até a Cisterna Basílica. Na Cisterna tinham muitas pessoas na fila mas aquilo só assustou porque fila andou rápido. A quantidade de colunas impressiona logo na entrada, o ar úmido dá um descanço do calor do verão. Não deixe de ver a coluna com a imagem da cabeça da Medusa.

Cisterna Basílica

Nesse dia dedicamos umas 3 horas à visita ao palácio, almoçamos em Sultanahmet mesmo e depois fomos até à Cisterna. Tudo muito perto e prático. Assim, chegamos no hotel cedo, com tempo para curtir a sauna e piscina e irmos descansados até Beyoglu/Taksim.

No quarto dia fomos caminhando, entre os diversos bazares do centro histórico, até à Mesquita Suleymaniye. A Mesquita fica muito próxima do hotel onde ficamos, 20 minutos de caminhada (subida). É incrível mas a maioria das pessoas ainda vão com mini-vans ou excursões, muito poucos fizeram o caminho que fizemos, aliás poucos vão até essa mesquita. A Mesquita é muito bonita ali fica mais claro todo o complexo que se costumava construir ao redor delas como o hospital, jardins e banhos turcos.

Mesquita Suleymaniye

Jardim

Banho Turco Suleymaniye

Da mesquita, mais uma vez caminhando, descemos pelo Bazar Egípicio até o Bazar das Especiarias.

Bazaar Egípcio

Bazaar das Especiarias

Compramos alguns snacks e saímos do Bazaar pela porta em frente à Mesquista Nova. Paramos alí para conhecê-la e de lá fomos direto para o mercado de Eminönü pegar o barco que faz o tour pelo Bósforo.

Tour pelo Bósforo

O tour é muito prático de ser feito por conta próxima, os barcos partem em intervalos de meia em meia hora aproximadamente e o tour leva 1 hora e meia. Dentro do barco toda a infra: suco de laranja natural, chá, sanduíches e até a versão biscoito de polvilho alla turca, muito doce, não curti.

Biscoito de Polvilho Turco

Já o passeio curti muito, ótimo para se ter uma visão da cidade que é enorme, dos bairros mais afastados, da ponte e de algumas atrações turísticas que estão localizadas ao longo do estreito.

Tour pelo Bósforo

Tour pelo Bósforo

O quinto e último dia era também o dia do meu aniversário e como já contei aqui no blog escolhi ir almoçar em um restaurante especializado em cozinha otomana do lado asiático da cidade, mais precisamente em Kadikoy. Para não ir até Kadikoy direto por volta das 10 horas da manhã decidimos caminhar do nosso hotel até Kumkapi e de lá pegar o barco para Kadikoy. A caminhada foi boa, passamos pelo banho turco Kardiga Hamami, um banho turco bem autêntico. Até entramos dentro da sala de banho masculina e o senhor que fazia o atendimento foi super camarada mesmo sem falar nada de inglês. Decidimos voltar mais tarde mas infelizmente não deu tempo.

Kardiga Hamami – Banho Turco

Do banho fomos até o mercado e aos restaurantes de Kumkapi. Não achei grande coisa, até porque era por volta do meio-dia e estava tudo bem vazio. Talvez à noite o astral seja diferente. Tentamos ir de Kumkapi até Kadikoy porém do porto de Kumkapi, naquele dia, só partia um ferry boat para Kadikoy às17 horas. Impressionante a organização da estação do porto de  Kumkapi, muito moderna, daquelas que me fez pensar, mais uma vez, que a Turquia supera em muito o Brasil em termos de infra-estrutura.

De Kumkapi fomos de trem até Sirkeci e dalí caminhamos até Eminönü onde pegamos o barco para Kadikoy. De Eminönü partem barcos a cada 30 minutos e a viagem dura mais ou menos isso. Como também já contei o único inconveniente é que o último barco parte de Kadikoy às 21 horas então como não dava para ir jantar escolhi ir almoçar. Não é que seja impossível ir jantar mas teria que voltar de taxi pela ponte que cruza o estreito e como o caminho é longo iria custar uma banana!!!

Estação de Partida dos Barcos de Erminonu para Kadikoy

O passeio foi bem legal, depois do Tour pelo Bósforo esse foi sem dúvida o passeio que mais nos permitiu conhecer um pouco mais da cidade. Se não fosse pelo restaurante talvez provavelmente não teríamos ido até ali e visto uma Istambul diferente, mais autêntica e menos turística.

Próximo ao Porto em Kadikoy

Logo ao chegar fomos na direção do restaurante e para nossa surpressa ele estava localizado em meio a um conjunto de pequenas ruas que mais pareciam um mercado a céu aberto. Diversas lojas de especiarias, peixarias, supermercados, lojas comerciais, cafés e uma rua longa cheia de restaurantes faziam parte da paisagem. Era como se um pouco de cada coisa que conhecemos em Istambul tivesse sido colacada em um mesmo lugar.

Kadikoy

Kadikoy

Fomos ao restaurante Çiya depois e à uma cafeteria onde bebemos mais uma vez um café turco. Andamos pelo bairro, fizemos uma comprinhas e no final da tarde voltamos para o hotel.

Restaurante Çiya Sofrasi

Na cafeteria adorei a decoração…

Dessa vez um jantar rápido e cama porque no sexto dia era  hora de irmos para o próximo destino: Bodrum….

Ah, antes de chegar no hotel uma pequena passadinha em uma loja de doces aliás, uma coisa que fiz todos os dias praticamente, para provar um docinho turco. Impossível resistir!!

Doces Turcos

Leia mais:

O Ibis do Aeroporto de Ataturk em Istambul

Esse vai ser um mini-post, infelizmente sem fotos, para deixar meu relato sobre o Ibis do Aeroporto de Ataturk em Istambul.

Fiquei minha última noite na Turquia nele e achei o muito conveniente então vou escrever um pouco sobre ele. A primeira coisa a salientar é que eles chamam de Ibis Aeroporto mas a verdade é que ele não está localizado no aeroporto. Está próximo, aproximadamente 10 km, mas não dentro do aeroporto. De taxi a distância é percorrida em torno de 12 minutos e o valor da corrida, 22 liras turcas, saiu até mais barato do  que o atendente do hotel, que chamou o taxi, tinha nos informado.

O atendimento do hotel é excelente. Quando viram que nosso voo era de manhã porém não tão cedo assim nos deram um quarto no final do corredor do penúltimo andar, resumindo: necessidade de despertador porque era um silêncio incrível! Aliás, a questão do silêncio de manhã cedinho ou melhor, da falta dele, é uma das coisas que me faz evitar ficar em hotéis de aeroporto ou próximo à eles quando não estou apenas de passagem pela cidade.

O quarto também muito bom. Cama e travesseiros muito confortáveis, TV de tela plana, canais internacionas, wireless, mini-frigobar, chás e aguá à disposição. Além disso a vista para o Bósforo.Outra coisa bacana é que esse Ibis está localizado ao lado de um Novohotel e pagando uma taxa de 25 liras turcas é possível fazer um day-use da estrutura de benessere do Novohotel. Ótimo para que tem umas horinhas a mais!!

O chatinho é a localização apesar de estar localizado na beira do Bósforo é meio distante de tudo. Nada de restaurantes, mercadinhos e afins alcançaveis à pé ou por transporte público. Chegamos por volta das 22 horas e o restaurante do hotel já estava fechado, naquele momento serviam apenas drinks. Ainda bem que tínhamos jantado ante de chegar.

O hotel fornece um serviço de mini-van que leva até Sultanahmet e a Beyoglu/Taksim mas não achei os horários convenientes, aliás, o horário porque só tinha um para cada região e a pagamento.

Para resumir acho que o hotel é excelente se você está de passagem rápida pela cidade porém não o usaria como base para conhecer a cidade justamente pela dependência em relação ao taxi. Não é nem tanto a questão do custo mas principalmente a questão dos problemas de tráfego. Sem contar no charme que é poder caminhar à noite e tranquilamente pelos bairros mais turísticos.

Leia mais:

Istambul – Em Busca do Kebab perfeito e outras comidinhas mais…

Alguns dias atrás um post sobre escolher, ou não, restaurantes durante uma viagem, no VnV, e achei a maior coincidência porque estava justamente escrevendo esse post com dicas de comidas típicas/restaurantes/street food em Istambul e da Turquia. O post levanta um assunto  interessante ao abordar a questão do quanto vale planejar as refeições nas viagens. Concordo que planejar ao máximo e baseado apenas em guias de viagem ou restaurantes estrelados não seja o melhor para “turistas não gourmets” e que deixar-se surpreender é uma boa escolha porém, como comentei no VnV, ainda não consegui me desprender totalmente.

Sendo assim, o que faço? Pesquiso, se possível em sites mais locais, como o post sugere, e preparo uma listinha por bairro, assim “se der” encaixo algum ao longo do meu dia. A listinha coloco aqui em baixo juntamente com uma pequena resenha dos lugares onde fui. A inspiração é dedicada ao site Istanbuleats, que devorei assim como devorei tantos kebabs, com agradecimento especial a um dos meus ídolos, Anthony Bourdain, um viajante em busca de quitutes locais que sempre me inspira.

Ah, uma coisa importante, amo kebab e dediquei uma atenção especial aos seus diversos tipos, deixando de lado o doner porque acho que é o mais conhecido. De qualquer forma achei que o kebab na Turquia é como o café na Itália, praticamente impossível encontrar um que seja ruim! Difícil dizer que o de um quiosque simples é tão diferente de um reconhecido porém também muito simples Durumzade. Confiei ao Istanbuleats essa tarefa justamente para conseguir criar um base própria de comparação.

COMIDINHAS POR BAIRRO (em negrito os tipos pois tentei provar um pouco de tudo):

BEYOGLU/TAKSIM

  • Kizilkayalar Wet Burger (Praça Taskim)

Eleito pelo Istanbuleats o melhor lugar para comer o famoso Wet Burger. Em plena praça Taksim é muito fácil identificá-lo ao sair do funicular. Ótima parada para um lanche rápido e no meu caso mais de um  🙂

Kizilkayalar

Wet Burger do Kizilkayalar

  • Sabirtasi’s Icli Kofte (Istiklal Caddesi, 112 – em frente ao Yapi Kredi Bank)

Também indicação do istambuleats para a famosa almôndega conhecida como Kofte.

  • Çitir Simit Bakery (Mumhane Cadessi, 83-85)

Aqui é o point do Simit, a bagel salgada com gergelim no entanto é fácil encontrá-la com tantos carrinhos ambulantes que a vendem por toda a cidade.

Carrinhos de Bagel espalhados pela cidade

  • Hayvore (Turnacibasi Sokak, 4)

Considerado pelo istambuleats o melhor black sea da cidade. Dica? Chegue cedo porque acaba. Quando cheguei já não tinha mais. Além disso o lugar é ao lado do Cukur Meyhane (Turnacibasi Sokak, 1A) indicado por eles para melhor Mezze então sugiro fazer como a movida espanhola e dar uma tapeada de bar em bar.

Hayvore

  • Durumzade (Kalyoncu Kulluk, 26/A)

Uma pequena kebaberia de esquina com um estilo meio pé sujinho do Rio de Janeiro. Acho que jamais iria até ali senão tivesse lido a respeito e também visto um video do Anthony Bourdain. O Durumzade é famoso pelo seu Durum ou Turkish wrap que é o kebab onde o pão é em forma de tortilla.

Durumzade

Durum

  • Zubeyir (Bekar Sokak, 28)

Famoso pelo Adana kebab que é o espeto de kebab de cordeiro com especiarias e pimenta. Nesse não consegui ir, deixo abaixo a foto de um dos tantos Adanas Kebab que comi pois quase todos os pratos possuem a mesma aparência.

Adana Kebab

  • A Nevizade Sokak

Uma rua lotada de barzinhos para happy hour chamados Meyhanes onde a especialidade é a Meze. Uma bandeija de porções variadas de peixes, legumes e molhos que é trazida à sua mesa para que você escolha algumas dentre as inúmeras pequenas porções. Não fiz uma refeição 100% Meze, o que fiz foi complementar as refeições que fazia com alguns pratos que além de serem servidos como meze são servidos também como acompanhamentos (nesse caso porções são maiores) e assim ia os provando aos poucos.

Pratos de meze como acompanhamento (beringela)

Pratos de meze como acompanhamento (vagens)

Pratos de meze como acompanhamento (Hummus)

  • Ya & Re  (Asmalimescit Cadessi, 35A)

Especializado em peixes e frutos do mar, fui e gostei muito. Essa dica é minha! Super bem localizado, próximo do burburinho da Nevizade mas nem tanto e frequentado pelos locais que bebiam o tal Raki enquanto ouviam música turca. Achei o lugar típico, simples e bom. Precinho não tão camarada mas na altura do serviço prestado.

  • Comida de Rua: Midye

Se Eminönü/Sultanahmet é o point dos barcos que vendem sanduíche de peixe sem dúvida essa é a região da Midye. Eu sei que parece difícil de encarar porém como tenho um fraco por mexilhões não resisti. A Midye é um mexilhão enorme recheado com arroz e especiarias. É muito difícil imaginar algo desse tipo mas provei e achei bom. É claro que a gente fica com receio de comer algo assim até porque não é cena rara ver vendedores de Midye sairem correndo como camelôs quando a fiscalização chega mas, eu achei um confiável e resolvi encarar. Eles abrem o mexilhão para você, você coloca umas gotinhas de limão e mander ver! No final eles contam as casquinhas e te cobram pouquinho, pouquinhho.

Midye

KADIKOY

  • Halil Lahmacun (Guneslibahce Sokak, 26)

A indicação é do Istanbuleats para o Lahmacun. Não provei o deles, experimentei de um restaurante próximo ao meu hotel em Sultanahmet que gostei bastante. Aqui deixo a foto! É muito bom e muito leve serve até para um lanche rápido.

Lahmacun

  • Ciya (Guneslibahce Sokak, 43)

O Ciya foi a razão para irmos até Kadikoy. O dia era 17 de julho, dia do meu aniversário, e tinha pensado em ir jantar em um restaurante que oferecesse um pouco da culinária otomana que mistura carnes e frutas. Pretendia ir no Asitane mas a propaganda do Ciya no Istambuleats e no  TripAdvisor me fez mudar de idéia. Além disso o Asitane me pareceu muito pomposo para o que eu estava buscando. Como o último barco de Kadikoy em direção ao centro partia às 21 horas decidi trocar o jantar pelo almoço e aproveitei o dia para conhecer também um pouco desse bairro e lado asiático de Istambul. Adorei o passeio e a comida mais ainda. Eles tem um buffet por quilo de mezze, foto abaixo, ótimo para provar um pouquinha de cada tipo.

Pratinho com Mezzes do Ciya

Os pratos principais do almoço você paga por porção/pratinho, foto abaixo, que escolhe de um balção onde as comidinhas variam dia a dia. O lugar não é tão simples mas nada muito refinado também, a comida, o atendimento e o preço muito bons.

Cordeiro com molho de cerejas e com yogurt.

ORTAKOY

  • Kumpir Sokak

O reduto da Baked Potato Sttret, chamada Kumpir é justamente a Kumpir Sokak, que fica próximo a Mesquita de Ortakoy. Segundo o Istanbuleats é impossível não indentificar a rua ao se passar lá por perto. Então por que não unir o útil ao agradável? Infelizmente à Ortakoy não fui 😦

SULTANAHMET

  • Gaziantep Burç Ocakbasi (Gani Çelebi Sokak,3 Grand Bazzar)

Esse restaurant fica dentro do Grand Bazzar e serve pratos no estilo Gaziantep, uma região do sul da Turquia. O Istanbuleats recomenda o garlicky yogurt-eggplant puree porém quando cheguei lá advinhem? Tinha acabado. Foi aí que decidi deixar para voltar outro dia e advinhem? Quem acabou não voltando fui eu.

Foi uma pena então fica a dica já que o Grand Bazzar acaba sendo uma atração que sempre se dá ao menos uma passada. Os precinhos são mais salgadinhos mas pagáveis e o restaurante parece ser familiar com os brasileiros pois o garçom que nos atendeu falava todos os pratos em português e pelas paredes haviam fotos de jogadores brasileiros se deliciando no restaurante.

  • Hocapasa Sokak

Próxima a estação de Sirkeci essa ruazinha possui vários restaurants mais simples e com ótimas comidas em Sultanahmet. Fui no Kasap Osman e provei o Iskender Kebab, oriundo da região de Bursa, divino! Essa rua é uma excelente opção para se comer bem e barato.

Iskender Kebab

Ainda na Hocapasa Sokak no número 3/A o Sehzade Erzurum Cag serve o Cag kebab, originário de Erzurum. Segundo o Istanbuleats é o equivalente ao churrasco gaúcho então não poderia deixar de fora. O problema? Tava fechado quando fui e aí acabei optando pelo Kasap Osman recomendado anteriormente.

Hocapasa Sokak (o prédio verde à direita é a Mesquita da rua)

Ah, um pequeno detalhe, aliás acho que a própria frequência da rua, muitos locais, e a Mesquita já são sinais de que apesar da região ser turística esse cantinho é especial então: nada de álcool!

  • Urfailm Lahmacun & Kebap Salonu

Comi o Lahmacun e a Pide e eram divinos. O garçon no início foi muito chato, até porque todos são tão simpáticos que quando surge um antipático ele destoa da paisagem, mas no final me deu uma dica e fez uma pide (buryan kebab) sobre medida para mim.

Pide de 2 sabores

  • Comida de Rua: Sanduíche de Peixe no Mercado de Peixe de Eminönü

Aqui é o lugar do Balik ekmek, o famoso sanduíche de peixe no pão. Comi mais de um e não deu nada. Dica? Fiz meu controle de qualidade de acordo com as filas.

Para terminar um mapinha com todos os endereços citados no post.

Leia mais: