A Piccola Série de Posts sobre a Turquia

Fiz essa viagem 100% desempacotada e, para passar todas as dicas, roteiros e experiências sobre a Turquia, digamos que exagerei um pouco na quantidade de posts. Daí, para facilitar, resolvi fazer esse post resumo com a listinha, ordenada de acordo com meu roteiro, de todos os posts que contam tudo daquilo que planejei e vivenciei por lá.

Planejamento

Istambul

Mar Egeu (Bodrum, Gumbet e Kusadasi)

Capadócia

Geral

Anúncios

Turquia: Custos de uma viagem totalmente desempacotada

Antes de ir para a Turquia achei uma página na internet onde o autor relatava, em Italiano, os principais custos/preços das coisas em sua viagem para Istambul. Usei essa página ,e também uma outra, para ter uma idéia dos preços praticados e agora deixo aqui registrado, para os planejadores de plantão, os preços das coisas na Turquia nos locais por onde passei.

Obs: fora o taxi todos os demais custos, quando não especificado, são por pessoa e por trajeto.

 HOSPEDAGEM

Como comentei no post sobre o planejamento da viagem tinha estabelecido um teto de 60 euros para um casal por noite e não tive nenhuma dificuldade de encontrar hotéis no padrão 3-2 estrelas nesse preço em todas as cidades turcas por onde passei. Para mais detalhes sobre os hotéis e os preços praticados recomendo a leitura dos pots específicos.

 TRANSPORTE PÚBLICO

Acostumada com o tickect do metro de Roma a 1 euro (2,5 reais) e, integrado, achei o preço dos bilhetes em Istambul mais salgadinhos mas ainda assim convenientes. 1 jeton custava 2 LT (liras turcas, aprox. 2 reais), porém dava direito a um trecho sem integração, isto é, se você tivesse que trocar do metro para o tram e depois para o funicular precisaria de 3 jetons. A maioria dos trechos exigia ao menos uma troca. Ainda em Istambul o transporte público fluvial que utilizamos para ir até Kadikoy custou 4 LT.

De Bodrum à Gumbet a minivan (dolmus) custou 3 LT.

Em Kusadasi as minivans(dolmus) para se locomover entre os principais pontos da cidade custavam 2,25 LT.

 TRANSPORTE INTERMUNICIPAL

A ida à Éfeso, de Kusadasi à Selcuk parando em Éfeso, custou 5 LT.

Para ir a Pamukkale, pagamos 25 LT de Kusadasi à Denizli e depois 5 LT de Denizli à Pamukkale 5 LT.

Já na Capadócia utilizamos o transporte intermunicipal para ir até a Cidade Subterrânea. Assim de Goreme à Nevsehir pagamos 2,5 LT e de Nevsehir à Derinkuyu 5 LT. Ainda na Capadócia de  Goreme à Urgup nos custou 2,5 LT.

 TRASLADOS

Em Istambul, do Aeroporto de Ataturk ao Hotel em Sultanahmet fomos com transporte público, 2 jetons por pessoa. Do mesmo hotel ao Aeroporto Sabiha Gokcen foram 10 euros.

Em Bodrum, do aeroporto à rodoviária, com o ônibus da Pegasus Arlines foram 10 LT.

De Kusadasi ao aeroporto de Izmir, com a Last Minute Travel (parceira da Pegasus) foram 20 LT.

Na Capadócia, do aeroporto de Kayseri à Goreme, fomos com a PeerLess (parceira da Pegasus Airlines), por 19 LT e voltamos com a Argeus (parceira da Turkish), por 17 LT.

 TAXI

Pegamos muito pouco taxi, foram somente duas corridas.

Em Istambul, o taxi do Ibis Aeroporto até o Aeroporto custou em torno de 23 LT.

Em Kusadasi, do porto até a estação de ônibus, às 4 da madruga, pagamos 15 LT.

 ENTRETENIMENTO (preço dos principais museus e passeios)

A maioria das atrações pareciam terem preços tabelados.

Em Istambul o Haga Sophia e Topkapi custaram 25 Liras Turcas. No Topkapi para ver o Harem paga-se um adicional de 10 LT. A Cisterna também custou 10 LT. Enquanto o barco no porto que faz o tour pelo Bósforo custou 12 LT.

Na Capadócia o Museu a Céu Aberto de Goreme também custou 25 LT, no entanto para ver a Dark Church para-se um adicional de 8 LT. A Cidade Subterrânea custou 20 LT e o passeio de balão 90 euros.

A entrada em Pamukkale custou 20 LT e em Éfeso 25 LT.

As Mesquitas são gratuitas em todas as cidades.

Na maioria das praias onde fomos não se pagava nada pela cadeira e barraca de praia/guarda-sol bastava consumir um valor que girava de 8 à 10 LT (para duas pessoas).

 ALIMENTAÇÃO (preços de refeições de bebidas)

Refeição rápida (lancherias, kebaberias e suas inúmeras variações) – de 4 a 8 LT.

Uma refeição em um restaurante padrão normal – de 15 a 25 LT por pessoa.

Cerveja ou taça de vinho da casa – de 5 à 12 LT.

Chá  – de 1 à 3 LT.

Café Turco – de 3,5 à 6 LT.

Ayran – de 1 à 3 LT.

Aguá – cheguei à conclusão que era tabelada. Tanto nos inúmeros vendedores ambulantes quantos nos mini-mercados custava 0,5 LT cada meio litro. Só encontrei por menos em um supermercado maior porém eles são mais difíceis de encontrar.

Leia mais:

O Roteiro em Istambul e o Passeio em Kadikoy

Dando sequência aos posts sobre Istambul vou dar uma pincelada rápida no meu roteiro salientando aquilo que despertou minha atenção. Foram 5 noites, sendo 4 dias inteiros, 1 meio dia (o primeiro) e um último dia qUe serviu apenas para acordar e ir para o aeroporto de Sabiha Gokcen. Achei esse número de dias de excelente tamanho, fiz as atrações com calma, deixei a cidade me surpreender e ainda deixei algumas coisas para uma próxima oportunidade. Queria ter ido até à Igreja de São Salvador em Chora mas não consegui alinhar o passeio ao meu roteiro, ela fica mais distante, precisaria de mais tempo e se não me engano fecha às quartas-feiras o que acabou dificultando a ida. Assim, apesar de amar os mosaicos bizantinos dei prioridade às Mesquitas que era o algo diferente pra mim naquele momento.

O primeiro meio dia foi dedicado a um passeio rápido por Sultanahment, chegamos por volta das 13 horas no hotel e com o cansaço da viagem queríamos nos situar mas sem nenhum compromisso então apenas passeamos pela região, descançamos um pouco e no cair da tarde fomos fazer o reconhecimento do bairro Beyoglu/Taksim. Fomos de metro de superfície mais funicular, chegamos em 20 minutos. Foi bom porque passeamos pelo bairro com calma. Saímos direto na praça Taksim, paramos para um lanche rápido e andamos quase toda a Istiklal Caddesi, a avenida das compras. Nesse dia também conhecemos a rua Nevizade e arredores.

Hagia Sophia

O segundo dia foi mais cheio mas tranquilo. Fomos até a Hagia Sophia, depois à Mesquita Azul e ao Bazar próximo à ela.

Continuar lendo

O Ibis do Aeroporto de Ataturk em Istambul

Esse vai ser um mini-post, infelizmente sem fotos, para deixar meu relato sobre o Ibis do Aeroporto de Ataturk em Istambul.

Fiquei minha última noite na Turquia nele e achei o muito conveniente então vou escrever um pouco sobre ele. A primeira coisa a salientar é que eles chamam de Ibis Aeroporto mas a verdade é que ele não está localizado no aeroporto. Está próximo, aproximadamente 10 km, mas não dentro do aeroporto. De taxi a distância é percorrida em torno de 12 minutos e o valor da corrida, 22 liras turcas, saiu até mais barato do  que o atendente do hotel, que chamou o taxi, tinha nos informado.

O atendimento do hotel é excelente. Quando viram que nosso voo era de manhã porém não tão cedo assim nos deram um quarto no final do corredor do penúltimo andar, resumindo: necessidade de despertador porque era um silêncio incrível! Aliás, a questão do silêncio de manhã cedinho ou melhor, da falta dele, é uma das coisas que me faz evitar ficar em hotéis de aeroporto ou próximo à eles quando não estou apenas de passagem pela cidade.

O quarto também muito bom. Cama e travesseiros muito confortáveis, TV de tela plana, canais internacionas, wireless, mini-frigobar, chás e aguá à disposição. Além disso a vista para o Bósforo.Outra coisa bacana é que esse Ibis está localizado ao lado de um Novohotel e pagando uma taxa de 25 liras turcas é possível fazer um day-use da estrutura de benessere do Novohotel. Ótimo para que tem umas horinhas a mais!!

O chatinho é a localização apesar de estar localizado na beira do Bósforo é meio distante de tudo. Nada de restaurantes, mercadinhos e afins alcançaveis à pé ou por transporte público. Chegamos por volta das 22 horas e o restaurante do hotel já estava fechado, naquele momento serviam apenas drinks. Ainda bem que tínhamos jantado ante de chegar.

O hotel fornece um serviço de mini-van que leva até Sultanahmet e a Beyoglu/Taksim mas não achei os horários convenientes, aliás, o horário porque só tinha um para cada região e a pagamento.

Para resumir acho que o hotel é excelente se você está de passagem rápida pela cidade porém não o usaria como base para conhecer a cidade justamente pela dependência em relação ao taxi. Não é nem tanto a questão do custo mas principalmente a questão dos problemas de tráfego. Sem contar no charme que é poder caminhar à noite e tranquilamente pelos bairros mais turísticos.

Leia mais:

Istambul – Em Busca do Kebab perfeito e outras comidinhas mais…

Alguns dias atrás li um post sobre escolher, ou não, restaurantes durante uma viagem, no VnV, e achei a maior coincidência porque estava justamente escrevendo esse post com dicas de comidas típicas/restaurantes/street food em Istambul e da Turquia. O post do VnV levanta um assunto  interessante ao abordar a questão do quanto vale planejar as refeições nas viagens. Concordo que planejar ao máximo e baseado apenas em guias de viagem ou restaurantes estrelados não seja o melhor para “turistas não gourmets” e que deixar-se surpreender é uma boa escolha porém, como comentei no VnV, ainda não consegui me desprender totalmente.

Sendo assim, o que faço? Pesquiso, se possível em sites mais locais, como o post sugere, e preparo uma listinha por bairro, assim “se der” encaixo algum ao longo do meu dia. A listinha coloco aqui em baixo juntamente com uma pequena resenha dos lugares onde fui. A inspiração é dedicada ao site Istanbuleats, que devorei assim como devorei tantos kebabs, com agradecimento especial a um dos meus ídolos, Anthony Bourdain, um viajante em busca de quitutes locais que sempre me inspira.

Continuar lendo