A Piccola Série de Posts sobre a Turquia

Fiz essa viagem 100% desempacotada e, para passar todas as dicas, roteiros e experiências sobre a Turquia, digamos que exagerei um pouco na quantidade de posts. Daí, para facilitar, resolvi fazer esse post resumo com a listinha, ordenada de acordo com meu roteiro, de todos os posts que contam tudo daquilo que planejei e vivenciei por lá.

Planejamento

Istambul

Mar Egeu (Bodrum, Gumbet e Kusadasi)

Capadócia

Geral

Turquia: Custos de uma viagem totalmente desempacotada

Antes de ir para a Turquia achei uma página na internet onde o autor relatava, em Italiano, os principais custos/preços das coisas em sua viagem para Istambul. Usei essa página ,e também uma outra, para ter uma idéia dos preços praticados e agora deixo aqui registrado, para os planejadores de plantão, os preços das coisas na Turquia nos locais por onde passei.

Obs: fora o taxi todos os demais custos, quando não especificado, são por pessoa e por trajeto.

 HOSPEDAGEM

Como comentei no post sobre o planejamento da viagem tinha estabelecido um teto de 60 euros para um casal por noite e não tive nenhuma dificuldade de encontrar hotéis no padrão 3-2 estrelas nesse preço em todas as cidades turcas por onde passei. Para mais detalhes sobre os hotéis e os preços praticados recomendo a leitura dos pots específicos.

 TRANSPORTE PÚBLICO

Acostumada com o tickect do metro de Roma a 1 euro (2,5 reais) e, integrado, achei o preço dos bilhetes em Istambul mais salgadinhos mas ainda assim convenientes. 1 jeton custava 2 LT (liras turcas, aprox. 2 reais), porém dava direito a um trecho sem integração, isto é, se você tivesse que trocar do metro para o tram e depois para o funicular precisaria de 3 jetons. A maioria dos trechos exigia ao menos uma troca. Ainda em Istambul o transporte público fluvial que utilizamos para ir até Kadikoy custou 4 LT.

De Bodrum à Gumbet a minivan (dolmus) custou 3 LT.

Em Kusadasi as minivans(dolmus) para se locomover entre os principais pontos da cidade custavam 2,25 LT.

 TRANSPORTE INTERMUNICIPAL

A ida à Éfeso, de Kusadasi à Selcuk parando em Éfeso, custou 5 LT.

Para ir a Pamukkale, pagamos 25 LT de Kusadasi à Denizli e depois 5 LT de Denizli à Pamukkale 5 LT.

Já na Capadócia utilizamos o transporte intermunicipal para ir até a Cidade Subterrânea. Assim de Goreme à Nevsehir pagamos 2,5 LT e de Nevsehir à Derinkuyu 5 LT. Ainda na Capadócia de  Goreme à Urgup nos custou 2,5 LT.

 TRASLADOS

Em Istambul, do Aeroporto de Ataturk ao Hotel em Sultanahmet fomos com transporte público, 2 jetons por pessoa. Do mesmo hotel ao Aeroporto Sabiha Gokcen foram 10 euros.

Em Bodrum, do aeroporto à rodoviária, com o ônibus da Pegasus Arlines foram 10 LT.

De Kusadasi ao aeroporto de Izmir, com a Last Minute Travel (parceira da Pegasus) foram 20 LT.

Na Capadócia, do aeroporto de Kayseri à Goreme, fomos com a PeerLess (parceira da Pegasus Airlines), por 19 LT e voltamos com a Argeus (parceira da Turkish), por 17 LT.

 TAXI

Pegamos muito pouco taxi, foram somente duas corridas.

Em Istambul, o taxi do Ibis Aeroporto até o Aeroporto custou em torno de 23 LT.

Em Kusadasi, do porto até a estação de ônibus, às 4 da madruga, pagamos 15 LT.

 ENTRETENIMENTO (preço dos principais museus e passeios)

A maioria das atrações pareciam terem preços tabelados.

Em Istambul o Haga Sophia e Topkapi custaram 25 Liras Turcas. No Topkapi para ver o Harem paga-se um adicional de 10 LT. A Cisterna também custou 10 LT. Enquanto o barco no porto que faz o tour pelo Bósforo custou 12 LT.

Na Capadócia o Museu a Céu Aberto de Goreme também custou 25 LT, no entanto para ver a Dark Church para-se um adicional de 8 LT. A Cidade Subterrânea custou 20 LT e o passeio de balão 90 euros.

A entrada em Pamukkale custou 20 LT e em Éfeso 25 LT.

As Mesquitas são gratuitas em todas as cidades.

Na maioria das praias onde fomos não se pagava nada pela cadeira e barraca de praia/guarda-sol bastava consumir um valor que girava de 8 à 10 LT (para duas pessoas).

 ALIMENTAÇÃO (preços de refeições de bebidas)

Refeição rápida (lancherias, kebaberias e suas inúmeras variações) – de 4 a 8 LT.

Uma refeição em um restaurante padrão normal – de 15 a 25 LT por pessoa.

Cerveja ou taça de vinho da casa – de 5 à 12 LT.

Chá  – de 1 à 3 LT.

Café Turco – de 3,5 à 6 LT.

Ayran – de 1 à 3 LT.

Aguá – cheguei à conclusão que era tabelada. Tanto nos inúmeros vendedores ambulantes quantos nos mini-mercados custava 0,5 LT cada meio litro. Só encontrei por menos em um supermercado maior porém eles são mais difíceis de encontrar.

Leia mais:

Pamukkale – O Castelo de Algodão

Depois de Éfeso desempacotada e com transporte público foi a vez de encarar a ida de Kusadasi até Pamukkale, na Turquia, também desempacotada mas com ônibus intermunicipal de uma empresa privada da região, a Pamukkale.

Ônibusda Pamukkale para Pamukkale

Ônibusda Pamukkale para Pamukkale

Ao planejar observei que a distância não era tão grande porém, com o uso de ônibus, o tempo de viagem aumentou. Acredito que isso se deva ao respeito aos limites de velocidade e as paradas nas diversas cidadezinhas do caminho. A distância mais curta entre Kusadasi e Pamukkale é de 185 km porém com ônibus intermunicipal não é possível ir direto, é necessário ir até Denizli e de lá pegar uma minivan (dolmus) até Pamukkale, assim foram 186 km até Denizli e depois 20 km de Denizli à Pamukkale.

Chegamos na rodoviária de Kusadasi na hora em que o ônibus estava saindo e por muito pouco, graças a uma corridinha minha, não o perdemos. Saímos de Kusadasi às 09:00 da manhã e chegamos em Denizli 3 horas e 15 minutos depois. A viagem foi tranquila. A estrada é praticamente uma reta e os ônibus, como já comentei, são muito confortáveis. Possuem serviço de bordo, internet, serviço de entretenimento e ar condicionado. Só falta mesmo o banheiro.

Logo ao chegar na estação de ônibus de Denizli já se avistam as minivans que levam, em 30 minutos, até Pamukkale. Precisamos esperar 15 minutos pela minivan e foi bom porque aproveitamos para almoçar, nos informar sobre os horários de retorno e comprar as passagens de volta. A menos que não quizéssemos dormir por alí retornaríamos no ônibus das 18 e portanto, na minivan das 17.

Às 13 horas cruzávamos o portão inferior de entrada no parque. Depois vimos que existe um estacionamento e uma entrada na parte superior, próximo ao Museu.

Vista da entrada do parque

Vista da entrada do parque

No foto acima, à esquerda, fica uma estrutura com piscinas que não faz parte do complexo. É na verdade um hotel, talvez uma boa opção de hospedagem na região.

Com os relógios devidamente sincronizados tínhamos quatro horas para aproveitar o Castelo de Algodão. E foram 4 horas mágicas! O lugar é muito diferente de tudo que já tinha visto até então. Chegamos no forte do sol, estava bem quente mas isso não nos impediu de aproveitar até porque a temperatura da água é muito agradável.

Piscinas em Pamukkale

Piscinas em Pamukkale

Fiquei impressionada porque vi muitas pessoas sem trajes de banho. Foram para conhecer e caminhar. Que pena! Lá pelas tantas tinham uns e umas que não resitiam e se jogavam de vestidos e bermudas. As piscinas podem e devem ser aproveitadas! É verdade que as piscinas onde se pode tomar banho não são naturais (foto acima), foram construídas para esse fim, para preservar os terraços originais (foto abaixo), que estavam sendo degradadas pela má exploração do tursimo; porém isso não prejudica o passeio.

Terraços

Terraços

Piscina

Piscina

Ao planejar a viagem cheguei a pensar em não ir porque imaginei que a água fosse quente e com quase 37 graus de temperatura ambiente a minha pressão iria parar na sola do meu pé. Mas nada disso. A temperatura da água é ótima e o fundo das piscinas é um pouco argiloso, muito bacana a sensação.

Entramos pela entrada inferior e cruzamos todas as piscinas e terraços até o nível superior. Como a áera é escorregadia você tem que andar devagar e com os pés descalços e isso toma um certo tempo. É importante andar com cuidado para não levar um tombo ou coisa pior.

Pamukkale

Pamukkale

É lindo de ver, tudo branquinho, com  aguá escorrendo pelo calcário já acumulado. O difícil é tirar  fotos. Tudo brilha muito. Olhando parece até neve! Nada mais apropriado que o próprio nome, que em português, significa Castelo de Algodão.  Além do bikini não esqueça os óculos de sol, o protetor solar e algo para se cobrir, pois com tanto entra e sai de piscina em piscina o protetor vai saindo junto. Minha canga foi minha salvação senão eu é que viraria um kebab.

Lá de cima, o panomara do vale também surpreende. Um ótimo lugar para relaxar.

Vista do Vale

Vista do Vale

Os romanos já sabiam das propriedades da água da região tem longa data, tanto que estabeleceram alí uma cidade. A Hierapolis. Hoje o sítio arqueológico dessa antiga cidade grego romana pode ser visitado e também o museu que abriga artefatos históricos.

Hierapolis

Hierapolis

Hierapolis

Hierapolis

Próximo à entrada do Museu e do sítio arqueológico uma área de lazer com uma piscina de água natural, a “Sacred Pool”, restaurantes e diversos tipo de serviços.

Infra estrutura

Infra estrutura

Sacred Pool

Sacred Pool

A piscina é bem interessante. Além de ter água termal, ela possui ruínas da antiga cidade, que podem ser vistas na fotos, são colunas de mármore que cairam em função da ação do tempo. É interessante também a vista, ao fundo avistam-se as ruínas do sítio arqueológico.

Em função do tempo curto e por termos priorizado as piscinas da outra parte, não conseguimos aproveitar a Sacred Pool nem conhecer o sítio arqueológico mas como esse não era o foco inicial do passeio, na verdade, também desconhecia essa parte, digamos que não doeu ter de deixar para uma outra oportunidade.

Os que pretendem fazer esse passeio com excursão podem também ficar sem tempo para fazê-lo se não priorizarem ou otimizarem seu tempo.  Pelo que pesquisei em Kusadasi antes de optar pelo “desempacotamento” até as excursões levam cerca de 4 horas para chegar e ficam em torno de 4 horas no lugar.

Fazendo um balanço, em termos de tempo, a ida desempacotada com ônibus intermunicipal é praticamente igual ao pacote/excursão. No entanto o primeiro pode gerar uma tensão adicional em função dos horários justos porque não existem muito horários disponíveis ligando Denizli à Kusadasi. Em termos de custo gastamos um pouco menos, lembro que o passeio custava 80 euros por pessoa e da forma como fizemos a economia foi de 20%.

Para aqueles que querem aproveitar todas as atrações com calma sugiro dormir uma noite em Pamukkale, a cidade é bem pequena, não tem muitos atrativos e quando fui era cercada de coreanos por todos os lados porém o que importa mesmo ali é o parque natural. Nesse caso acho que é indiferente ir de ônibus ou carro. No entanto se fosse fazer de novo um bate e volta talvez alugasse um carro, assim não teria a questão dos horários apertados somente o problema do cansaço da volta porque depois de tanto sol e tantos banhos devo dizer que foi ótimo apagar no bus!!

Para ler mais:

Éfeso desempacotada e com transporte público

Nesse post quero contar como foi minha ida desempacotada e com transporte público de Kusadasi até Éfeso, na Turquia. No início tinha pensado em deixar Éfeso e Pamukkale fora do roteiro. Como já comentei, a idéia era ir até o Mediterrâneo Turco, mais precisamente à Antalya, e depois conhecer Istambul e arredores. Porém o roteiro foi ganhando alterações durante o planejamento e uma delas foi a inclusão de Éfeso. Meu namorado gosta, e estuda, muito filosofia e Éfeso tem uma grande importância nesse campo, é a antiga cidade onde viveu o filósofo Heráclito. Não obstante Éfeso chegou a ser uma das maiores cidades do mundo em uma determinada época e assim acabamos incluíndo esse pedacinho da Turquia no roteiro.

De Kusadasi até Éfeso é muito fácil de se chegar com o transporte público. Do nosso hotel caminhamos até a praça Sevki Hasirci, na rua Adnan Menderes, de onde partem as minivans (chamada de Dolmus) para Selcuk. Éfeso fica no caminho entre Kusadasi e Selcuk. O motorista da minivan, depois de uns 20 minutos, nos fez sinal que aquele era o ponto onde deveríamos descer, no meio da autoestrada. Como fomos os únicos a descer naquele local bateu logo aquela apreensão, será que estamos no lugar certo? A confirmação positiva viria logo em seguida aos sermos abordados por dois taxistas vendendo passeio turísticos pela região.

Minivan (Dolmus) para Selcuk

A minivan nos deixou na estrada que dá acesso ao estacionamento inferior (foto abaixo).

Ponto da estrado onde descemos (próximo aos taxis)

Do ponto onde a minivan nos largou até a entrada foram 15 minutos à pé. Minutinhos que na chegada pareceram mais porque éramos os únicos caminhando por alí. Na volta foi até engraçado, depois de darmos informações à alguns turistas que faziam o caminho inverso, também comprimentamos um casal de brasileiros que faziam o mesmo trajeto porém de bicicleta. De qualquer forma devo deixar registrado que muito pouca gente faz esse passeio por conta. A quantidade de ônibus de excursões é enorme!

A figura abaixo ilustra todos os pontos de interesse de Éfeso. O estacionamento inferior fica próximo ao número 1 enquanto o superior ao número 28.

Mapa de Éfeso (fonte: http://www.ephesus.ws)

O passeio por lá foi agradável mesmo com o sol escaldante , um calor de rachar e pouca sombra. Como não somos de acordar muito cedo chegamos em Éfeso por volta das 10:30 e, depois de besuntados com muito protetor solar e devidamente equipados com óculos de sol, bonés e litros de água, começamos a caminhada. A caminhada na verdade, no nosso caso, foi uma subida que te leva pouco a pouco, pelo meio da cidade antiga, através da rua de mármore (número 9), de um estacionamento até o outro.

A subida é agradável já que o caminho não é longo. Em pouco espaço de tempo se consegue visualizar muito de como era a cidade no passado. Um dos sítios arqueológicos onde me senti mais bem informada dentre tantos que visitei. Todos os prédios tinham informações simples e objetivas, em inglês, o que acho que torna a experiência muito mais enriquecedora. Considero o audio-guide e mesmo as informações passadas pelos guias muito bacanas porém admito que esqueço a maioria das coisas que eles falam. Sou do tipo que prefere ler informações básicas e poucas, pois essas sei que manterei comigo, e depois, se for o caso, pesquiso com calma na internet.

Impossível não se impressionar com a beleza dos prédios, com a paisagem ao redor e com toda a história que o lugar carrega. É de arrepiar!!!

O Anfiteatro

A rua de mármore

A Biblioteca

A Biblioteca (reconstrução do interior)

A rua da cidade vista da biblioteca

Banheiro Público

Informações disponíveis

Mosaico

Detalhe Coluna

Odeon

Na volta bastou fazer o caminho inverso e, em 45 minutos, já estávamos no hotel. Gastamos em média 4,5  horas com o deslocamento e a visita. Mesmo sendo o tipo de pessoa que costuma ser abduzida por esse tipo de programa deu tempo de voltar até o hotel, fazer um lanche rápido e aproveitar a tarde na cidade de Kusadasi, nosso ponto de apoio para esse passeio.

Se faria o passeio empacotado? Acho que não. Porém o passeio empacotado tem suas vantagens e as cito aqui rapidamente. Ele te deixa no estacionamento superior e te busca no inferior, dessa forma você faz o caminho só uma vez. Além disso eles normalmente vendem esse passeio em conjunto com a visita à Casa da Virgem Maria e ao Museu de Selcuk, onde encontram-se os achados de Éfeso, passeios que não fizemos. A parte chata da maioria dos pacotes é que eles incluem também visitas à lojas de tapetes, de cerâmicas e outlets para compras. Observei vários ao longo da estrada e confesso que quando olhava para eles pensava: tourist trap!! De qualquer forma nem todas as agências são assim. A No Frills  Ephesus faz questão de propagandear que o tour deles não tem dssas pegadinhas, o que me leva a crer que tenho razão quando penso em tourist traps…rs.

Para ler mais:

Ainda no Mar Egeu…Kusadasi

A primeira coisa em que penso quando lembro de Kusadasi, e acho que é uma informação importante, foi do que escrevi no post sobre o planejamento da viagem à Turquia. Não sei porque mas pressumi que Kusadasi seria uma pequena cidade praiana. Ledo engano meu, Kusadasi é uma cidade portuária de médio porte que recebe também inúmeros navios de cruzeiro e portanto, bem maior do que eu estava pensando.

De qualquer forma tem um centro antigo próximo ao porto que concentra a maioria dos hotéis e atividades turísticas noturnas da cidade (baladas, muitos pubs, inúmeros restaurantes e compras, muitas compras). Além disso tem um calçadão à beira-mar bacana que se estende por alguns quilômetros e que fornece espaço para boas caminhadas e passeios. Lembra um pouco a infra de cidades como Balneário Camboriú ou mesmo, de longe, Copacabana.

Kusadasi

O principal motivo da ida até Kusadasi era tornar mais fácil a tarefa de ir até Éfeso e Pamukkale. Pensando assim, acabei dedicando quatro noites à Kusadasi onde 2 dias seriam dedicados à Kusadasi e os outros dois aos dois pontos principais pontos de interesse.

Onde nos hospedamos?

Escolhi um hotel que depois vim a me arrepender amargamente, o Sezgin Hotel . O problema envolveu algo que tenho fobia: baratas!!! Que uns dos dono do hotel teve a capacidade de pegar com a mão do chão do quarto, ela estava morta o que me fez pensar que o quarto sequer tinha sido limpo apropriadamente antes de chegarmos,  dizer que era uma butterfly night e joga-lá pela janela. O pior é que isso não resolvia meu problema porque estava ouvindo um ruidinho que vinha da parede e que sabia muito bem o que era: um ninho de butterfly nights..risos.

Eles nos ofereceram um outro quarto que era igualmente terrível, com uma mobília desconjuntada e quando dissemos que não sabiámos se íamos ficar, partiram para o ataque. Até achei que o cara ia bater no meu namorado. Confesso que fiquei com medo. E não teve choro nem vela, queriam que pagássemos todas as diárias porque já tínhamos feito check-in. Com muito custo, como eram duas reservas, tinha feito uma para três noites e uma outra quando decidi que ficaríamos uma quarta noite em Kusadasi, pagamos 2 diárias, uma por reserva, e nos retiramos. O chato é que minha reserva no booking foi cancelada o que significa que não pude avaliar o hotel!!! Assim é muito fácil não é mesmo?! Cancelam, te fazem pagar e não te dão o direito de avalair. Fiquei super feliz hoje ao ver que o ranking deles no booking caiu muuuito!!! Pois esse tinha sido o motivo pelo qual tinha escolhido esse hotel.

No final, acabei negociando de última hora ou outro hotel que era superior e saiu pelo mesmo preço. Prova de que aquele hotel era além de uma espelunquinha, bem carinho para o que oferecia. O hotel onde acabei me hospedando foi o Surtel Hotel. Um hotel simples, três estrelas mais para duas, parece que está em decadência, sem dúvida precisando de uma modernização e com um potencial bem maior do que oferece, mas ainda assim uma boa opção para poucas noites. Com uma mobília do tipo hotel para executivos, mesmo apesar de estar localizado em frente ao porto e à praia, não tinha TV à cabo e o frigobar estava impossibilitado de usar. A limpeza das partes comuns e mesmos das sacadas não era o forte no entanto no quarto tudo estava muito limpo.

Hotel

Hotel

O café era simples mas autêntico e o atendimento e a localização fizeram jus ao preço de 40 euros a diária. Se não fosse por um dos atendentes do hotel teria sido bem mais chatinho fazer o traslado para o aeorporto de Izmir e ir até Pamukkale e Éfeso desempacotados e sem alugar um carro. Outro diferencial era a localização. Muito boa quando comparado ao outro, que apesar de estar próximo do centro histórico, estava em uma ladeira cercado de casas em estado de demolição por todos os lados. Essa é a fotinho da sacada do hotel em um fim de tarde!

Pôr do Sol visto da sacada

Tirei poucas fotos do hotel mas pelo que vi achei que as fotos do booking o retraram bem. Recomendo o hotel para aqueles que procuram um hotel com bom custo benefício e sem muito luxo.

Locomoção

A locomoção em Kusadasi também foi muito tranquila, usamos mais uma vez as minivans para nos locomover entre os pontos mais distantes, praias e estação rodoviária e mesmo até Efeso. A minivan, assim como em Bodrum, não custava tanto e passava a cada 5 minutos.  A única diferença era o horário, parava por volta da 1 da manhã.

Como chegamos e saímos?

Chegamos em Kusadasi de ônibus com a Aydin e saímos de avião, rumo à Kayseri na Capadócia, com a Pegasus Airlines.  Kusadasi na verdade não tem aeroporto, a cidade é servida pelo aeroporto de Izmir. Aliás, esse foi um dos motivos que me fez deixar em aberto a quarta noite em Kusadasi, não sabia se dormiria alí ou em Izmir. No final, fiz as contas, e vi que seria muita indiada ir até um outro lugar só para evitar de pagar um taxi que custaria os olhos da cara. A novidade foi que descobri, graças ao atendente do hotel, que a Pegasus tinha uma parceria com a empresa Last Minute Travel, que fornecia o serviço de transfer a um custo bem menor do que o do taxi. Assim, usamos o taxi para ir do hotel à estação rodoviária e de lá fomos de shutle até o aeroport de Izmir. O custo foi de 20 liras turcas por pessoa e o tempo de deslocamento de 1 hora e 15 minutos. A Last minute travel infelizmente não faz reservas pela internet. Ela está localizada na estação rodoviária de Kusadasi.

Restaurantes e Comidinhas

Queria deixar aqui a dica de um restaurante bonitinho, bom e com bons preços. No dia em que fui nele estava com desejo de comer salada e minhas expectativas foram extremamente bem atendidas. O nome do restaurante é Marvista, ele fica em frente à praia, no Ilayda hotel. Como o próprio nome já diz, tem uma vista para o mar que é bem agradável em um final de tarde, mas também tem um bom ambiente e bom atendimento. Comi a salada turca, qualquer semelhança com a salada grega não é mera coincidência…risos.

Salada Turca no MarVista

Outra opção excelente é mandar ver nos peixes e frutos do mar nos restaurantes à céu aberto próximos ao porto. São tantos e são bons. Aqui o serviço é mais simples e despachado, assim como o ambiente, mas a comida continua sendo boa e barata.

Restaurantes no porto

Vai um peixinho aí?

Área do porto no fim do dia

Área do porto no fim do dia

Entretenimento

Os principais pontos turísticos que acessamos a partir de Kusadasi foram na verdade Éfeso e Pamukkale. Falarei sobre ambos os passeios nos próximos post. Porém, como ficamos alguns dias conseguimos conhecer um pouco mais da região.

O primeiro dia com toda a confusão do hotel foi praticamente perdido, viajar desempacotado tem dessas coisas. Ainda bem que aconteceu justamente em uma cidade onde no final achei que tínhamos ficado mas do que precisávamos, 3 noites teriam sido de bom tamanho. No segundo dia fomos à Efeso mas o passeio é tão tranquilo que ainda deu tempo de conhecer a tão comentada Ladies Beach. A praia é bonita, fica um pouco afastada da cidade, uns 5 minutos de minivan, e praticamente tem um bairro só seu.

Ladies Beach – Rua à Beira-mar

Ladies Beach

A praia é relamente bonita. A areia branca e a água bem azul.  Mesmo apesar de cheia é um lugar onde você chega e se impressiona com a natureza desse mundão. Uma linda praia urbana.

Ladies Beach

No entanto, a praia que é chamada dessa forma porque antigamente só era frequentada por mulheres, na minha opinião, devia ter seu nome alterado para Cigarretes Beach. Como dizem os italianos: que schifo!! Nunca vi algo tão nojento, acho que tinha mais butuca de cigarro que areia. Ao menos na parte da praia onde ficamos.

Além disso vivenciamos alí mais uma experiência chata com os turcos. Como chegamos mais tarde negociamos com o cara que nos alugou as cadeiras de praia que poderíamos ficar até uma determinada hora. Porém, mais cedo do que a hora combinada, um outro veio exigir as almofadas dizendo que poderíamos ficar mas que seria somente com as cadeiras. Enfim, a velha questão do pré versus pós venda que na Turquia exige cuidados adicionais mas não tira pedaços…rs. De novo, viajar desempacotada tem dessas coisas.

O terceiro dia foi dedicado ao passeio, ou melhor viagem, até Pamukkale e o quarto dia à uma praia nos arredores de Kusadasi chamada Kustur que na minha opinião deu de 10 à 0 em termos de praia na tal Ladies Beach.  É claro que não é uma Gumbet ou Bodrum da vida, é uma praia com pouca infra-estrutura, tranquila, frequentada por poucos e por pessoas locais, mas, em termos de limpeza da aguá e da areia era muito melhor, perfeita para descançar antes de madrugar para pegar o vôo rumo à Capadócia.

Kustur Beach

Leia mais: