Viagens de Esqui: O que levar na mala quando for esquiar

O objetivo deste post é listar aquilo que entendo que não pode faltar na sua mala ao planejar uma viagem de esqui. Escreverei sobre as roupas e acessórios que são importantes, alguns indispensáveis, para garantir sua tranquilidade enquanto desfruta sua temporada na neve. Quando falo que não pode faltar na mala não interprete isso como “tenho que comprar tudo antes de esquiar” mas de repente planeje uma parada para umas comprinhas antes, tente emprestar de um amigo, tenha claro quais seriam alguns substitutos adequados e o que se deve/pode alugar nas estações de esqui.

Eu sei que sei a temporada de esqui 2016 no hemisfério sul já está na metade e esse post mais do que atrasado. No entanto, foram tantas dúvidas nessa temporada sobre o tema que já estava mais do que na hora escrever sobre ele. E de qualquer forma, muitas “semanas brancas” virão pela frente não é mesmo? Coisa boa!

Roupas para esqui - evolução

Roupas para esqui – evolução

Para facilitar vou dividir em itens de acordo com os membros do nosso corpo.

roupas e acessórios para esqui: Cabeça

Para proteger a cabeça a melhor coisa é o capacete. Demorei a incluí-lo na minha indumentária “esquiística” mas hoje o considero indispensável. Senti falta conforme meu esqui evoluiu e alguns tombos ficaram sérios.

Roupas para esqui - Capacete, gorros e lenços

Roupas para esqui – Capacete, gorros e lenços

Apesar da questão da segurança, o capacete também esquenta a cabeça e os ouvidos melhor do que gorros, lenços e protetores de orelha além de proteger mais da neve do que o gorro da jaqueta. A vantagem é que hoje em dia ele pode ser alugado com facilidade junto com seu equipamento de esqui. Então não tem desculpa 🙂

Continuar lendo

Roccaraso – Esqui no centro da Itália

Roccaraso é uma das estações de esqui mais conhecidas e equipadas da região central da Itália.  São mais de 60 km de pistas que, quando conectadas com as demais localidades que fazem parte do grupo, chegam a mais de 100km. 

Pistas para todos os gostos e dificuldades inclusive com aquelas homologadas para competições nacionais e internacionais. Uma infra-estrutura muito boa: bom número de pistas, bem sinalizadas, organizadas, com meios de elevação rápidos e o melhor de tudo, muito próxima de Roma, ótima para quem quer passar um final de semana (que foi nosso caso) ou até mesmo mais dias. 

Pista fechada e a galera observando o treinamento para Campeonato Mundial di Esqui Juniors

Na verdade todos chamam Roccaraso mas o nome oficial da estação é Alto Sangro que compreende as regiões de esqui de Monte Pratello, Aremogna, Valle delle Gravare, Macchione, Pizzalto, Lago d’Avoli, Pesconstanzo e Pescasseroli que fazem parte das cidades de Roccaraso, Rivisondoli, Pescocostanzo, Pescasseroli e Castel di Sangro.

Rivisondoli

De Rivisondoli, Roccaraso e Sulmona, de carro, facilmente se chega à Monte Pratello, Aremogna, Valle delle Gravare, Macchione, Pizzalto, Lago d’Avoli.

De Roccaraso parte um serviço de ônibus, skibus, que leva até as estações de Aremogna, Valle delle Gravare, Macchione e Pizzalto em aproximadamente 15 minutos. De todas elas você consegue chegar até Monte Pratello esquiando e vice-versa. Além disso vários hotéis possuem serviço de mini van que transportam você do hotel até as pistas.

Lift Aremogna

No meu caso, sem carro e sem poder dirigir, resolvi utilizar os meios de transportes públicos e devo dizer que a coisa não foi lá muito fácil mas foi possível. Como os hotéis de Roccaraso ou estavam cheios ou custavam muito e eu não tinha certeza se tinha transporte público de Rivisondoli até as pistas, optei por não trocar o certo pelo duvidoso e dormi em Sulmona, detalhe: a 40 km de Roccaraso.

Além disso, como saí de Roma em uma sexta-feira à tardinha e já não seria possível pegar a conexão de Sulmona a Roccaraso naquele horário ao menos uma noite teríamos que dormir em Sulmona. De qualquer forma, isto não era tão ruim pois apesar dos 40 kms distante era 300% mais em conta e também muito charmosa. Clique aqui para conferir as fotos e algumas dicas de Sulmona.

De Roma a Sulmona são duas horas em ônibus e quem leva é a Arpa. Ela também faz a conexão entre as principais cidades da região como de Pescara à Nápoles. Na verdade o ônibus que parte de Pescara à Nápoles tem uma parada em Sulmona e outra em Roccaraso e foi justamente esse ônibus que utilizei. Clique aqui para ver o timetable.

De Sulmona até as pistas a via crucius era pegar o ônibus de Sulmona a Roccaraso e de lá o skibus até uma das regiões, no caso a escolhida foi Aremogna, onde compramos os bilhetes e alugamos os equipamentos.

O tempo de deslocamento não foi um problema, nem a conexão entre o ônibus e o skibus, o problema é que existem poucos horário então, se você perde o primeiro ônibus acaba que perde a manhã de esqui. Portanto, a regra foi acordar muito, muito cedo. De segunda à sábado o ônibus parte de Sulmona às 07:45 e no domingo um pouquinho mais tarde (ainda bem, pois quem me conhece sabe que sou uma dorminhoca) às 09:00. O mesmo acontece na parte da tarde, na volta, o que te deixa um pouco apreensivo no dia de retornar pois uma conexão perdida significa um dia a mais na cidade…rs… não que eu não quizesse mas o dever, infelizmente, nos chama.

Fora isso a viagem foi ótima e unir o esqui com a viagem à Sulmona e de quebra conhecer a cidadezinha de Roccaraso foi muito bom!

Cidadezinha de Roccaraso

Roccaraso Palaghiaccio (Pista de Patinação e Centro de Eventos)

Estação Ferroviária Roccaraso

Ah, uma outra forma de chegar é com a TrenItalia, porém no inverno como a estação fica instransitável, vide a foto acima, eles disponibilizam um serviço alternativo, fazendo o trajeto de Roma a Sulmona em trem e de Sulmona a Roccaraso de ônibus. É fácil verificar isso no site porque ao comprar os bilhetes aparece a imagem de um ônibus ao invés daquela do trem. Para conferir o post sobre como comprar os bilhetes da TrenItalia clique aqui.

Leia mais: