A Estação de Esqui de Axamer Lizum (Esqui em Innsbruck)

Esse post faz parte da série de posts sobre atraçõespasseios e esqui em Innsbruck e arredores. Nesse post específico irei escrever sobre a estação de esqui de Axamer Lizum; uma das nove estações de esqui nos arredores de Innsbruck.

Montanhas em Axamer Lizum

Axamer além de ser uma das estações de esqui mais próximas de Innsbruck é também a mais histórica. Foi lá que foram sediadas as disputas de quase todas as modalidades Olimpíadas dos jogos de Inverno nos anos de 1964 e 1976.

Axamer Lizum foi a estação de esqui escolhida no nosso último e quarto dia de viagem/esqui. Naquele dia a previsão meteorológica não estava das melhores e a previsão era de que as estações fechassem na parte da tarde. Escolhemos então visitar Axamer em função da facilidade de acesso e também pelo fato de que a mesma era pequena.

Continuar lendo

Anúncios

O que fazer em Oslo – Roteiro de três dias na Capital da Noruega

Dando continuidade aos posts sobre a viagem pela Noruega, nesse post irei escrever sobre os três dias que passamos em Oslo; irei detalhar os passeios que fizemos e os restaurantes que conhecemos. Oslo é relativamente pequena, no entanto, oferece muitas opções de entretenimento espalhadas pelos seus bairros. A cidade é cheia de lugares de charme onde você pode curtir a paisagem (que é linda) e ver a vida passar. Se você chegou no blog diretamente neste post sobre Oslo, não deixe de conferir o primeiro post da seria sobre a Noruega, nele comento sobre os voos, traslados e hotéis que utilizamos nessa viagem.

PRIMEIRO DIA EM OSLO

Conforme escrevi no primeiro post, o primeiro hotel onde nos hospedamos em Oslo era distante do centro e por isso quando chegamos optamos por deixar nossas malas nos lockers da estação central e ir para o hotel somente no final do dia.

A estação central de trens de Oslo é um excelente ponto de apoio ao turista; wi-fi gratuito, área de informações, lockers automáticos, lojas, supermercados e até um shopping adjacente. Além dos trens para acesso aos aeroporto, próximos a ela estão os acessos ao tram, metro e shuttle para aeroportos. Tudo coberto em função do frio, o que foi bom porque chegamos junto com a chuva.

Estação Central de Oslo

A estação tem uma parte nova é uma parte antiga que foi restaurada. É nela que fica o Visit Oslo. Se você quiser comprar o Oslo Pass, diretamente em Oslo, falei sobre ele no primeiro post, pode fazê-lo ali. Usamos muito o serviço de informações do Visit Oslo e, para nossa surpresa, uma das atendentes era brazuca filha de norueguês.

Continuar lendo

Nove dias entre a Suíça Francesa, Berna e Zermatt – Segundo dia: Lausanne

Lausanne foi o destino final do primeiro dia de viagem e também nossa base para conhecer a Suiça Francesa por três noites. Dessa forma esse post é dedicado à noite em que chegamos em Lausanne e ao nosso segundo dia de viagem, dedicado a explorar Lausanne.

Lausanne Capital Olímpica

Lausanne Capital Olímpica

Como chegamos à noite, foi só o tempo de achar o hotel (demorou um pouco, o relevo da cidade atrapalha a localização), fazer check-in e sair para jantar. Em nossa primeira noite na Suíça fomos direto enfiar o pé na jaca: fondue.

Não é que queríamos fazer isso exatamente desta forma porém também não foi um sacrifício 🙂 Como contei no primeiro post da série sobre a Suiça, chegamos em plena páscoa e portanto, feriadão. Se quiséssemos conhecer o famoso Pinte de Besson tinha que ser no dia da nossa chegada pois nas outras duas noites em que estaríamos na cidade o restaurante estaria fechado.

Escolhemos o Pinte Besson depois de pesquisar em vários sites, blogs, Tripadvisor e afins. Eu recomendo, ele é muito tradicional. Tem sim uma atmosfera meio turística, mas também tem muito suíço que frequenta o lugar. Fomos de Fondue Moitie-Moitie (meio-a-meio), nesse caso 50% queijo Gruyere e 50% queijo Vacherin. Que loucura!

Fondue no Pinte Besson em Lausanne

Fondue no Pinte Besson em Lausanne

Pedimos somente uma porção (que eles consideram para uma pessoa – foto acima), como acompanhamento pedimos uma salada (que era bem simples) e de sobremesa um sorbet de frutas vermelhas divino. Esses pratos e duas taças de vinho branco nos custaram 49 CHF (Francos suíços). Não foi a refeição mais econômica da minha vida porém foi na Suíça, em um local tradicional, com serviço atencioso (apesar de ninguém falar inglês) e comida de excelente qualidade.

Continuar lendo

Innsbruck – Hospedagem, Estações de Esqui e Aluguel de equipamento de Esqui

Esse é mais um post da série sobre Innsbruck. Nele quero dar uma dica de hospedagem em Innsbruck e também falar sobre como funciona de maneira geral o esqui e o aluguel de equipamentos de esqui na cidade de Innsbruck.

Onde me hospedei – O APARTMENTS INNSBRUCK e o HOTEL LEIPZIGER HOF

Como todos sabem a Áustria está longe de ser um país muito baratinho, encontrar acomodações boas com diárias abaixo de 80 euros pode ser bem difícil em lugares assim. Ainda mais no meu caso que estava na altíssima temporada e não sabia. Eles emendam o feriadão de carnval. É super curioso, saem todos fantasiados pela rua na terca-feira de carnaval e os mais jovens é claro, bebem muito em baladas espalhadas pela cidade. Fecha parêntesis. Precisávamos de um local para seis noites e não queria gastar muito porque os gastos com o esqui já seriam elevados. Eis que pesquisando no Booking.com encontrei esse lugar que gostei bastante e com uma diária que quase se encaixava naquilo que estava disposta a gastar.

A acomodação em sí é na realidade um apartamento e não um hotel, esses apartamentos no booking são chamados Apartments Innsbruck, no entanto, ao chegar lá descobri que tinha um extra, os mesmos pertecem  ao Hotel  Leipziger Hof que hoje em dia faz parte da rede Best Western.

Para resumir: paguei pelo apartamento e levei o serviço do hotel o que fez com que eu achasse o custo benefício dessa acomodação excelente. Pagamos 85 euros a diária para o casal já com a taxa de limpeza incluída.

Hotel Leipziger Hof (foto: leipzigerhof.at)

Hotel Leipziger Hof (foto: leipzigerhof.at)

Normalmente em uma acomodação do tipo apartamento você lida direto com o proprietário. Ele te dá uma explicação sobre o funcionamento do imóvel, passa as chaves e recomenda que em caso de qualquer problema você o contate. Nesse caso foi diferente, fizemos o check-in e check-out na recepção do hotel, podíamos optar pelo café da manhã no próprio hotel e tínhamos à disposição a área de SPA com duchas e diferentes tipos de saunas (o que é muito bom quando se passa o dia inteiro na montanha esquiando). Sem contar é claro que tínhamos o serviço do hotel à disposição. A ajuda dos recepcionistas foi muito importante ao escolhermos os locais para esquiar. Serviço nota 10!

Continuar lendo

Sauze d’Oulx

Depois de alguns dias completamente ausente do mundo virtual, como dizem por aqui, sono tornata!!! E volto com o registro da viagem que fiz próxima ao  período do Natal ao Piemonte. Como queria conhecer Turim acabei unindo o útil ao agradável e aproveitei para esquiar no Piemonte mais precisamente na região de Sauze d’Oulx.

O ROTEIRO

Uma semana em Sauze d’Oulx e um dia em Turim. Além disso, comprando um passe para esquiar em Sauze d’Oulx também pude conhecer Sestiere. Aliás, essas cidades foram sede de competições quando Turim foi a sede dos jogos olímpicos de inverno de 2006. Sestiere inclusive possui uma vila olímpica.

Vista do Vale com Sauze d’Oulx e Oulx ao fundo

SE DESLOCANDO

A cidade de Sauze d’Oulx é uma classica cidadezinha de montanha e, o melhor de tudo, fica muito próxima de Turim. Chegando no aeroporto me dirigi até a estação central de trens de Turim, Torino Porta Nuova, e peguei um trem para Oulx-Cesana-Sestiere. Esse trem partia a cada 30 minutos e a viagem durou cerca de 1 hora e 15 minutos. Depois, de Oulx à Sauze d’Oulx, foram apenas 15 minutos de ônibus. Os horários de partidas do trem conhecidiam muito bem com os horários dos ônibus, então, a chegada foi rápida.

Se locomover na cidade também foi muito fácil, fora o fato dela ser muito pequena, isto é, dava para fazer tudo a pé, a prefeitura coloca à disposição um ônibus gratuito que nos horários de pico do esqui passa intermitentemente e te deixa a poucos metros dos lifts que dão acesso a montanha.

Ski Bus com Lift ao fundo

ENTRETENIMENTO

No total são aproximadamente 400km de área esquiável pois Sauze d’Oulx faz parte do complexo de esqui da Via Lattea que engloba também as cidades de Sestiere, Cesana, Sansicario, Claviere, e, a francesa, Montgenevre. Infelizmente não conseguir conhecer toda região porque como era início de temporada a parte que dava acesso a Sansicario e Cesana estava fechada e, para ir até as demais localidades (Claviere e Montegenevre) era mais chatinho sem tem um carro. De qualquer forma aproveitei bastante. As pistas eram boas e Sauze e Sestiere são grandes. O que deixa um pouco a desejar um são os lifts, um pouco antiguados e, consequentemente, lentos e, a quantidade de drag-lifts.

Vista das Montanhas da Região

A parte de Sauze d’Oulx, próxima ao lift Sportínia é melhor para esquiar mais cedo pois alí a sombra aparece cedo também (infelizmente sobre o Lift Clotes não posso falar porque ele estava fechado o tempo todo) porém, é justamente nesse momento que as pistas do lift 11 ficam mais ensolaradas. A região de Sestiere, apesar de estar do outro lado da montanha, também tem a mesma característica visto que está situada em um vale com a mesma orientação solar.

Os Refúgios são simples, não são tantos mas, são bons e atendem bem a demanda. Aqui você pode ver o mapa das pistas e lifts.

Refúgios proximos ao Lift Sportínia

No geral fica claro, inclusive li isso em um artigo, que a região do Piemonte tenta se virar e fazer com que a experiência na neve para os seus turistas seja boa, no entanto, devo dizer que comparando com os demais lugares que conheci a infra-estrura me pareceu mais decadente.

Segundo a reportagem que li, escrita pela própria administração da cidade, as regiões do Vale d’Osta, Trentino e Lombardia destinam muito mais recursos para o incentivo do turismo nas cidades de montanha, tanto no inverno como no verão. Além disso como, eles estão muito próximos a França também sofrem com a concorrência das famosas estações francesas.

Ah, mesmo com a infra-estrutura mais decadente os canhões para fazer neve eram muitos e estavam a todo o vapor.

Lift número 11

Pistas em Sauze

De qualquer forma um ponto positivo é a atmosfera do lugar. O après-ski é animado mesmo apesar  do lugar ser pequeno. A língua nacional ali è o inglês, o que justifica a quantidade de pubs, aliás, é incrível mas onde quer que você vá acaba sendo atendido por um inglês, do restaurante ao local de aluguel de equipamentos, eles estão por toda a parte tal é a quantidade de turistas anglo-saxonicos por ali.

Pub

Em relação a compras no geral achei que não são um ponto forte, poucas lojas com preços salgadinhos e poucas marcas. Também não vi muitas atividades além do ski e snowboard, tipo, não vi nenhum snowboard park ou pista para esqui fondo.

Alguns spas completavam a oferta de entretenimento da cidade mas acho que para ir até lá  por mais de dois dias seu objetivo principal deve ser o esqui.

CUSTOS

É um lugar fácil de chegar então não se gasta tanto com transporte. Além disso, até o dia 23.12 o passe tinha 50% de desconto e a neve estava ótima. As acomodações, acho que em função da simplicidade do lugar, também não custavam caro.

No final, gostei bastante e pra variar nao queria ir embora. É claro que se você espera um local muito chique e pomposo essa não será sua montanha mas, se é a sua primeira viagem de esqui, isto é, você não tem como comparar com outros lugares, se estas com a expectativa baixa, ou ainda, se está a fim de esquiar gastanto pouco, pode ser uma boa opção.