Do Aeroporto de Treviso até Veneza

Aqui no blog temos um post bem completo sobre como se locomover em Veneza. Esse post não fornece somente instruções de como se deslocar em Veneza mas também de como chegar na cidade a partir do aeroporto de Veneza Marco Polo. O que ocorre porém é que muitos chegam a Veneza utilizando o aeroporto da cidade de Treviso e muitos possuem dúvidas de como ir do aeroporto de Treviso até Veneza. Então esse post será dedicado a esclarecer essa dúvida dos viajantes.

Aqui vou abrir um pequeno parêntesis: Treviso é a cidade onde nasceu e viveu por algum tempo meu bisavô, tenho um carinho enorme por essa cidade. Olha eu na foto abaixo, com meu pai, em 2011, quando visitamos a cidade dos nossos antepassados. Foi emocionante. Fecha parêntesis.

Eu e Pai na terra italiana dos “Capiottis” – Treviso

Continuar lendo

Como se locomover em Veneza e Mestre

Muitas pessoas têm deixando comentários no post sobre Mestre com dúvidas sobre como se locomover em Veneza e Mestre. São perguntas sobre como ir do Aeroporto Marco Polo à Veneza, como se deslocar de Mestre à Veneza, etc.

Para concentrar toda essa informação em um local só resolvi escrever esse post detalhando, ou ao menos tentando detalhar porque as possibilidades são inúmeras, todos os tipos de locomoção disponíveis em Veneza, em Mestre e entre ambas as localidades. Sugiro que você utilize esse post não só para verificar seu traslado até seu hotel mas também para planejar seus deslocamentos por Veneza.

CHEGANDO DE AVIÃO

 Do Aeroporto Marco Polo para Veneza

De ônibus – você pode optar pelas linhas normais de ônibus (4 e 5 da ACTV) ou pelo Aerobus (linha 5). O Aerobus é um ônibus duplo e portanto mais confortável para carregar as malas. Ambos o deixarão na Piazzale Roma. Os preços praticados são os mesmos sendo: de € 8,00 o bilhete unitário com validade de 75 minutos e de € 15,00 os bilhetes de ida e volta.

De ônibus + barco – você pode combinar o ticket do Aerobus com um ticket de vaporetto (barco) ao custo de € 14,00. Esse bilhete tem validade de 90 minutos e serve às pessoas que depois de chegarem à Piazzale Roma precisarão pegar um barco para chegar ao seu hotel. Recomendo que você pegue o barco caso seu hotel seja um pouco distante e é claro, permita essa opção. Arrastar malas em Veneza pode ser uma experiência bastante cansativa.

Importante:

  • compre seus bilhetes no próprio aeroporto;
  • não se esqueça de validar o ticket ao entrar no ônibus;
  • o tempo começa a contar a partir da validação.

Continuar lendo

O Bairro de Mestre: uma base para acessar Veneza

Essa semana uma leitora me pediu dicas de hotéis em Veneza e me dei conta que ainda não tinha escrito o post sobre Mestre. Mestre já foi uma cidade italiana porém hoje em dia é o maior bairro da cidade de Veneza, localizado na parte continental de Veneza, serve como uma ótima base para acessar a Veneza Insular.

Mestre - base para acessar Veneza

Mestre – base para acessar Veneza

Como já comentei no post sobre Veneza, estive visitando a cidade com meus pais em plena Bienal, o que tornou a simples tarefa de encontrar um hotel um verdadeiro perengue. Não tive muita opção, fui obrigada a procurar hospedagem nos arredores de Veneza Insular e acabei optando por Mestre devido à facilidade de acesso. Além disso Mestre também dá fácil acesso a Treviso, terra onde nasceu meu bisavô italiano e que  também pretendíamos visitar naquela viagem.

Continuar lendo

Verona – A cidade mais romântica da Itália

Com o dia dos namorados se aproximando no Brasil, na Itália se comemora no San Valentino em 14 de fevereiro, pensei: Por que não escrever sobre aquela que deve ser a cidade mais romântica da Itália? Assim, esse post vai contar nossa passagem “de algumas horas” por Verona, a cidade que vive do mito de Romeu e Julieta.

A cidade é uma graça, embora para os parâmetros italianos seja uma cidade mediana, entre as 15 maiores da Itália e com aprox. 250 mil habitantes, o centro histórico é pequeno. Como citei acima, passamos algumas horas por lá e conseguimos conhecer bastante. O motivo de ter passado pouco tempo foi porque aproveitamos o tempo entre uma conexão de trem e outra para fazer esse passeio. Não tínhamos planejado essa parada em Verona, na verdade era a volta de uma semana de esqui em Val Gardena e ao olhar as passagens de volta vi que tinha esse intervalo de tempo e pensei: será que posso fazer um pit-stop/tour por Verona?

Chegamos na estação ferroviária, deixamos as malas no lef luggage bag/deposito bagaglio e, em frente à estação, pegamos o ônibus para o centro. Naquele dia era domingo e os horários dos ônibus eram mais espaçados. Demorou um pouquinho para chegar, uns 10 minutos, e o trajeto até o centro demorou mais  ou menos a mesma coisa. A estação dista aprox. 15km do centro, então recomendo o ônibus. É rapidinho.

Descemos do ônibus em frente ao principal cartão postal da cidade, a famosa Arena de Verona, na Piazza BRA, o coração da cidade. A Arena é um dos redutos mais importantes da música lírica no mundo.

A Arena e a Piazza Bra

A Arena e a Piazza Bra

Pegamos o ônibus nesse mesmo local, porém no sentido oposto, para voltar à estação.  No total acho que ficamos umas 4 horas rodando por Verona. Para conferir a programação da Arena, clique aqui!

A cidade me surpreendeu  logo de cara, ignorância total minha mas não tinha a mínima idéia da Arena e do Rio Adige, que corta a cidade e dá uma ar ainda mais romântico com os cadeados espalhados nas suas margens e pontes.

Rio Adige com Castelo San Pietro ao fundo (acima) e Torre San Tommaso ao fundo (abaixo)

Rio Adige com Castelo San Pietro ao fundo (acima) e Torre San Tommaso ao fundo (abaixo)

O que sabia, tinha visto fazia pouco tempo o filme Cartas para Julieta, era da possibilidade de vistar a “Casa di Giulietta”. O local onde fica a sacada reúne muito turistas, tem um pequeno jardim interno, uma lojinha de lembranças muito criativa e também um parede pichada com várias dedicatórias de amor, recadinhos e papel e infelizmente, dá nojinho, chicletes, eca! Olha nóis em frente à uma parte da tal parede. Gostei do contraste deu um ar moderno à uma estrutura ao estilo medieval.

Casa di Giulietta

Casa di Giulietta

A arquitetura de Verona é linda. Tem influências das épocas romana,  medieval, scaligera, veneziana e austríaca, ufa! É inclusive conhecida como “Città Scaligera”, nome que provém de uma família muito importante da época de 1400 e que deixou um grande legado à cidade.

Loggia del Consiglio na Piazza dei Signori, também conhecida como Piazza Dante pela escultura de Dante (época Scaligera)

Loggia del Consiglio na Piazza dei Signori, também conhecida como Piazza Dante pela escultura de Dante (época Scaligera)

Na Piazza delle Erbe, ao lado da Piazza dei Signori, também pode ser apreciada a fonte della Madonna e a Torre dei Lamberti, outros exemplos da época Scaligera. Naquele domingo tinha uma feira grande espalhada pela praça, o que encobria um pouco a beleza arquitetônica porém dava um ar muito gostoso ao passeio.

Piazza delle Erbe

Piazza delle Erbe

Parecia que todas as pessoas da cidade estavam passeando pelo centro naquele dia. Mais um exemplo da famosa passegiata italiana de fim de tarde. Seguido falo dela aqui no blog e não deixo de me impressionar. As pessoas saem para a rua, para comprar, passear, tomar um sorvete, aperitivar, normalmente são muitas e começa no fim de tarde quando está perto de escurecer, faça calor, faça frio. Acho que a segurança das cidades e a eficiência dos transportes públicos proporcionam isso aos moradores. Isso na minha opinião, é muita qualidade de vida!

Piazza delle Erbe

Piazza delle Erbe

A Torre dei Lamberti pode ser visitada por aqueles que gostam de apreciar cidades do alto.

Torre dei Lamberti

Torre dei Lamberti

Além do pontos turísticos já citados é possível visitar as igrejas de época medieval como a Basílica Romântica de San Zeno e a Igreja de Santa Maria Matricolare, Catedral de Verona.  Naquele dia não visitei nenhuma das duas e sim somente a Igreja de Sant’Anastasia.

Igreja/Chiesa di Sant'Anastasia

Igreja/Chiesa di Sant’Anastasia

O chatinho de ir com pouco tempo e no meio da tarde é que não aproveitamos a noite nem os restaurantes, paramos apenas para um lanche+café+sorvete ao volo!! Tinha cada lugar charmosinho, cada esquina fofa…

Restaurante de esquina em Verona

Restaurante de esquina em Verona

Sem falar que algumas comidas típicas dão água na boca e dentre elas está um prato que adoro o Tortelli di Zucca, também chamado de Nodi d’Amore.

Tortellidi Zucca

É tanto romance no ar que de uns tempos para cá, em fevereiro, justamente na época de San Valentino, a cidade realiza uma festa chamada Verona In Love, com o slogan: Se ami qualcuno portalo a Verona. A cidade quer se firmar ainda mais como destino turístico na época de San Valentino e convenhamos, não é para menos então #ficaadica!

Verona in Love

Verona in Love

Adorei ter parado em Verona e achei que as horas foram super bem aproveitadas. Não subi na torre e não fui a nenhum museu mas fiz um programa de domingo ótimo, apenas passeando pela cidade e vendo seus principais pontos turísticos. Achei Verona um charme e recomendo uma paradinha. Espero que o post seja útil para quem como eu deve ficar algumas horas na estação ou para aqueles que pensam em incluí-la no roteiro e não sabem ao certo quanto tempo  dedicar à visita.

Leais mais:

Assuntos e Destinos do Planejando na WTM LA 2013

Como já postei anteriormente semana passada tive o privilégio de participar da World Travel Market Latim America, uma das maiores feiras de turismo do mundo. Eram mais de 1.200 expositores, espalhados por inúmeros metros quadrados. Realmente de impressionar, ainda mais no meu caso, marinheira de primeira viagem.

Além de me impressionar com tudo aquilo que vi e desejar viajar para cada canto visitado ou avistado na feira, consegui garimpar algumas informações sobre sobre os destinos e assuntos abordados pelo blog e queria compartilhar.

Tudo começou pela Itália. Que na minha opinião teve uma participação muito acanhada se resumindo ao Veneto e a uma luxuosa Toscana. Achei a abordagem do Veneto correta, usaram Veneza para chamar a atenção mas queriam mostrar que o Veneto não é só Veneza, que também tem cidades de arte como Verona, Vicenza e Padova, montanhas de inverno, como a famosa e pomposa estação de esqui italiana Cortina D’Ampezzo (essa ainda na minha wish-list), e lagos como o de Garda.

O Veneto na WTM LA 2013

O Veneto na WTM LA 2013

Tive a oportunidade de conversar com um representante da TrenItalia que me informou sobre uma parceria recente com a TTOperadora para a venda de bilhetes no Brasil. Fui procurá-los e obtive a confirmação, eles fazem a venda  online através do site e todo o pós venda no Brasil com atendimento em português para quem compra o bilhete com eles.

Segundo ambos os representantes os preços praticados eram os mesmos com eventuais taxas. Fiz uma simulação de compra no site da TTOperadora e não achei a interface tão boa como a da própria TrenItalia. Na minha simulação para 16.06.2013, trem das 08:25 da manhã, a  TrenItalia oferecia 3 opções de tarifas para o bilhete de ida na classe stantard (2 classe), conforme figura abaixo.

Simulação TrenItalia

Simulação TrenItalia

Já a TTOperadora me ofereu somente a tarifa base (a tarifa mais flexível que permite alterações, reembolsos, etc). Nessa simulação as taxas cobradas pela TTOperadora, com bilhete de ida e volta (cada a 43 euros), somavam 45 euros no total.

Simulação TTOperadora

Simulação TTOperadora

Procurei em vão o stand da Croácia, não encontrei, acho que eles não foram. Também senti falta de destinos como Portugal, França e Inglaterra. Representando a Turquia um estande grande, afinal a Turquia está na moda, o destino mas divulgado me pareceu a Capadócia, acho que porque fiquei com o nome da agência na cabeça, Rocky Valley.

A Alemanha foi uma grande surpresa, investiu pesado, um dos maiores estandes, um dos patrocinadores oficiais do evento e muito focado em turismo jovem. Um dos poucos estandes focados nesse nicho. Ouvi um representante falar e assino em baixo, a Alemanha oferece um excelente custo-benefício.

Fotinho no estande da Alemanha.... ai que saudades de Berlim!

Fotinho no estande da Alemanha…. ai que saudades de Berlim!

Em se tratando de América do Sul dei uma atenção especial ao Chile e ao Uruguai. No Uruguai me informei sobre voos para Rivera mas parece que a rota nenhuma saí tão cedo porque o aeroporto está em reformas devido às condições ruins da pista. Segundo a BQBus, eles avaliam a possibilidade, no futuro, de voos de Porto Alegre ou mesmo de Curitiba para Mondevidéu com escala em Rivera. Por enquanto teremos que nos contentar com a rota deles de São Paulo a Montevideú.

O Uruguai na WTM LA 2013

O Uruguai na WTM LA 2013

Visitei também o stand do Chile. Queria informações sobre as estações de esqui. No momento estou planejando uma viagem de esqui e queria informações sobre transporte público entre as cidades e as estações de esqui. Infelizmente, das estações pequisadas, a única com acesso através de transporte público foi Pucon. Acho tão chatinho isso, praticamente obrigam você a alugar um carro ou pagar os “agiados” transfers.

Praticamente obrigam você a pagar mico também, vai que se ganha uma pacote para esquiar no Chile…risos.

A novidade em máteria de esqui no Chile foi Corralco. Como o resort/estação de esqui está sendo inaugurado nessa temporada está oferecendo 30% de desconto sobre as tarifas. Está nascendo pequeno em termos de pistas assim me parece ideal para inciantes ou para se ficar pouco tempo pois alí eles permitem estadias menores que 7 dias.

Corralco

Corralco

Saindo um pouco dos destinos e dos temas já abordados pelo blog queria comentar sobre algumas coisas que fizeram sucesso na feira. Primeiro a demonstração da primeira classe new diamond da Etihad, que estará disponível em voos diários do Brasil a partir de julho. Um luxo só, são tantos os detalhes, só para dar um idéia, os produtos da necessaire feminina são da La Prairie. O video abaixo dá uma boa idéia.

Eu que já achei o máximo voar na econômica da Emirates fiquei sem palavras com a demonstração. Segundo as comissárias o valor da passagem é em média 8 x superior ao da classe econômica.

Bacana também era a experiência sensorial gastronômica no estande da Dinamarca, eu fiquei só na vontade 😦  O país tem um número significativo de restaurantes estrelados Michelin e está investindo na divulgação do turismo gastronômico. Além disso, possuem um dos melhores restaurantes do mundo, segundo a Restaurant Magazine.

Além dessas, outras coisinhas também são sonhos de consumo meus como uma expedição pela Antártida ou Ártica, uma viagem exótica em trem de luxo, que agora dá para fazer pelo Brasil,  ou mesmo um cruzeiro a bordo de um dos navios do Regent Seven Seas Cruises. Enfim, coisas suuuuper simples mas… vai que um dia capita!!

Delírios de Consumo de Michele Capiotti

Delírios de Consumo de Michele Capiotti

Leia mais: