A Piccola Série de Posts sobre a Turquia

Fiz essa viagem 100% desempacotada e, para passar todas as dicas, roteiros e experiências sobre a Turquia, digamos que exagerei um pouco na quantidade de posts. Daí, para facilitar, resolvi fazer esse post resumo com a listinha, ordenada de acordo com meu roteiro, de todos os posts que contam tudo daquilo que planejei e vivenciei por lá.

Planejamento

Istambul

Mar Egeu (Bodrum, Gumbet e Kusadasi)

Capadócia

Geral

Turquia: Custos de uma viagem totalmente desempacotada

Antes de ir para a Turquia achei uma página na internet onde o autor relatava, em Italiano, os principais custos/preços das coisas em sua viagem para Istambul. Usei essa página ,e também uma outra, para ter uma idéia dos preços praticados e agora deixo aqui registrado, para os planejadores de plantão, os preços das coisas na Turquia nos locais por onde passei.

Obs: fora o taxi todos os demais custos, quando não especificado, são por pessoa e por trajeto.

 HOSPEDAGEM

Como comentei no post sobre o planejamento da viagem tinha estabelecido um teto de 60 euros para um casal por noite e não tive nenhuma dificuldade de encontrar hotéis no padrão 3-2 estrelas nesse preço em todas as cidades turcas por onde passei. Para mais detalhes sobre os hotéis e os preços praticados recomendo a leitura dos pots específicos.

 TRANSPORTE PÚBLICO

Acostumada com o tickect do metro de Roma a 1 euro (2,5 reais) e, integrado, achei o preço dos bilhetes em Istambul mais salgadinhos mas ainda assim convenientes. 1 jeton custava 2 LT (liras turcas, aprox. 2 reais), porém dava direito a um trecho sem integração, isto é, se você tivesse que trocar do metro para o tram e depois para o funicular precisaria de 3 jetons. A maioria dos trechos exigia ao menos uma troca. Ainda em Istambul o transporte público fluvial que utilizamos para ir até Kadikoy custou 4 LT.

De Bodrum à Gumbet a minivan (dolmus) custou 3 LT.

Em Kusadasi as minivans(dolmus) para se locomover entre os principais pontos da cidade custavam 2,25 LT.

 TRANSPORTE INTERMUNICIPAL

A ida à Éfeso, de Kusadasi à Selcuk parando em Éfeso, custou 5 LT.

Para ir a Pamukkale, pagamos 25 LT de Kusadasi à Denizli e depois 5 LT de Denizli à Pamukkale 5 LT.

Já na Capadócia utilizamos o transporte intermunicipal para ir até a Cidade Subterrânea. Assim de Goreme à Nevsehir pagamos 2,5 LT e de Nevsehir à Derinkuyu 5 LT. Ainda na Capadócia de  Goreme à Urgup nos custou 2,5 LT.

 TRASLADOS

Em Istambul, do Aeroporto de Ataturk ao Hotel em Sultanahmet fomos com transporte público, 2 jetons por pessoa. Do mesmo hotel ao Aeroporto Sabiha Gokcen foram 10 euros.

Em Bodrum, do aeroporto à rodoviária, com o ônibus da Pegasus Arlines foram 10 LT.

De Kusadasi ao aeroporto de Izmir, com a Last Minute Travel (parceira da Pegasus) foram 20 LT.

Na Capadócia, do aeroporto de Kayseri à Goreme, fomos com a PeerLess (parceira da Pegasus Airlines), por 19 LT e voltamos com a Argeus (parceira da Turkish), por 17 LT.

 TAXI

Pegamos muito pouco taxi, foram somente duas corridas.

Em Istambul, o taxi do Ibis Aeroporto até o Aeroporto custou em torno de 23 LT.

Em Kusadasi, do porto até a estação de ônibus, às 4 da madruga, pagamos 15 LT.

 ENTRETENIMENTO (preço dos principais museus e passeios)

A maioria das atrações pareciam terem preços tabelados.

Em Istambul o Haga Sophia e Topkapi custaram 25 Liras Turcas. No Topkapi para ver o Harem paga-se um adicional de 10 LT. A Cisterna também custou 10 LT. Enquanto o barco no porto que faz o tour pelo Bósforo custou 12 LT.

Na Capadócia o Museu a Céu Aberto de Goreme também custou 25 LT, no entanto para ver a Dark Church para-se um adicional de 8 LT. A Cidade Subterrânea custou 20 LT e o passeio de balão 90 euros.

A entrada em Pamukkale custou 20 LT e em Éfeso 25 LT.

As Mesquitas são gratuitas em todas as cidades.

Na maioria das praias onde fomos não se pagava nada pela cadeira e barraca de praia/guarda-sol bastava consumir um valor que girava de 8 à 10 LT (para duas pessoas).

 ALIMENTAÇÃO (preços de refeições de bebidas)

Refeição rápida (lancherias, kebaberias e suas inúmeras variações) – de 4 a 8 LT.

Uma refeição em um restaurante padrão normal – de 15 a 25 LT por pessoa.

Cerveja ou taça de vinho da casa – de 5 à 12 LT.

Chá  – de 1 à 3 LT.

Café Turco – de 3,5 à 6 LT.

Ayran – de 1 à 3 LT.

Aguá – cheguei à conclusão que era tabelada. Tanto nos inúmeros vendedores ambulantes quantos nos mini-mercados custava 0,5 LT cada meio litro. Só encontrei por menos em um supermercado maior porém eles são mais difíceis de encontrar.

Leia mais:

Éfeso desempacotada e com transporte público

Nesse post quero contar como foi minha ida desempacotada e com transporte público de Kusadasi até Éfeso, na Turquia. No início tinha pensado em deixar Éfeso e Pamukkale fora do roteiro. Como já comentei, a idéia era ir até o Mediterrâneo Turco, mais precisamente à Antalya, e depois conhecer Istambul e arredores. Porém o roteiro foi ganhando alterações durante o planejamento e uma delas foi a inclusão de Éfeso. Meu namorado gosta, e estuda, muito filosofia e Éfeso tem uma grande importância nesse campo, é a antiga cidade onde viveu o filósofo Heráclito. Não obstante Éfeso chegou a ser uma das maiores cidades do mundo em uma determinada época e assim acabamos incluíndo esse pedacinho da Turquia no roteiro.

De Kusadasi até Éfeso é muito fácil de se chegar com o transporte público. Do nosso hotel caminhamos até a praça Sevki Hasirci, na rua Adnan Menderes, de onde partem as minivans (chamada de Dolmus) para Selcuk. Éfeso fica no caminho entre Kusadasi e Selcuk. O motorista da minivan, depois de uns 20 minutos, nos fez sinal que aquele era o ponto onde deveríamos descer, no meio da autoestrada. Como fomos os únicos a descer naquele local bateu logo aquela apreensão, será que estamos no lugar certo? A confirmação positiva viria logo em seguida aos sermos abordados por dois taxistas vendendo passeio turísticos pela região.

Minivan (Dolmus) para Selcuk

A minivan nos deixou na estrada que dá acesso ao estacionamento inferior (foto abaixo).

Ponto da estrado onde descemos (próximo aos taxis)

Do ponto onde a minivan nos largou até a entrada foram 15 minutos à pé. Minutinhos que na chegada pareceram mais porque éramos os únicos caminhando por alí. Na volta foi até engraçado, depois de darmos informações à alguns turistas que faziam o caminho inverso, também comprimentamos um casal de brasileiros que faziam o mesmo trajeto porém de bicicleta. De qualquer forma devo deixar registrado que muito pouca gente faz esse passeio por conta. A quantidade de ônibus de excursões é enorme!

A figura abaixo ilustra todos os pontos de interesse de Éfeso. O estacionamento inferior fica próximo ao número 1 enquanto o superior ao número 28.

Mapa de Éfeso (fonte: http://www.ephesus.ws)

O passeio por lá foi agradável mesmo com o sol escaldante , um calor de rachar e pouca sombra. Como não somos de acordar muito cedo chegamos em Éfeso por volta das 10:30 e, depois de besuntados com muito protetor solar e devidamente equipados com óculos de sol, bonés e litros de água, começamos a caminhada. A caminhada na verdade, no nosso caso, foi uma subida que te leva pouco a pouco, pelo meio da cidade antiga, através da rua de mármore (número 9), de um estacionamento até o outro.

A subida é agradável já que o caminho não é longo. Em pouco espaço de tempo se consegue visualizar muito de como era a cidade no passado. Um dos sítios arqueológicos onde me senti mais bem informada dentre tantos que visitei. Todos os prédios tinham informações simples e objetivas, em inglês, o que acho que torna a experiência muito mais enriquecedora. Considero o audio-guide e mesmo as informações passadas pelos guias muito bacanas porém admito que esqueço a maioria das coisas que eles falam. Sou do tipo que prefere ler informações básicas e poucas, pois essas sei que manterei comigo, e depois, se for o caso, pesquiso com calma na internet.

Impossível não se impressionar com a beleza dos prédios, com a paisagem ao redor e com toda a história que o lugar carrega. É de arrepiar!!!

O Anfiteatro

A rua de mármore

A Biblioteca

A Biblioteca (reconstrução do interior)

A rua da cidade vista da biblioteca

Banheiro Público

Informações disponíveis

Mosaico

Detalhe Coluna

Odeon

Na volta bastou fazer o caminho inverso e, em 45 minutos, já estávamos no hotel. Gastamos em média 4,5  horas com o deslocamento e a visita. Mesmo sendo o tipo de pessoa que costuma ser abduzida por esse tipo de programa deu tempo de voltar até o hotel, fazer um lanche rápido e aproveitar a tarde na cidade de Kusadasi, nosso ponto de apoio para esse passeio.

Se faria o passeio empacotado? Acho que não. Porém o passeio empacotado tem suas vantagens e as cito aqui rapidamente. Ele te deixa no estacionamento superior e te busca no inferior, dessa forma você faz o caminho só uma vez. Além disso eles normalmente vendem esse passeio em conjunto com a visita à Casa da Virgem Maria e ao Museu de Selcuk, onde encontram-se os achados de Éfeso, passeios que não fizemos. A parte chata da maioria dos pacotes é que eles incluem também visitas à lojas de tapetes, de cerâmicas e outlets para compras. Observei vários ao longo da estrada e confesso que quando olhava para eles pensava: tourist trap!! De qualquer forma nem todas as agências são assim. A No Frills  Ephesus faz questão de propagandear que o tour deles não tem dssas pegadinhas, o que me leva a crer que tenho razão quando penso em tourist traps…rs.

Para ler mais: