Breuil-Cervinia, Europa, Itália, Suíca, Tema Esqui, Valle d'Aosta, Zermatt

Zermatt: Esqui aos pés do Matterhorn

Recentemente escrevi um post sobre Zermatt e nele falei de uma forma geral sobre a cidade, hospedagem, como chegar e o que fazer. Se por acaso você chegou ao blog através deste post mas não tem interesse em esquiar recomendo que acesse o post anterior (link aqui). Caso tenha interesse específico no esqui esse post é para você!  Irei escrever sobre as regiões e passes de esqui e também sobere aluguel de equipamentos em Zermatt.

REGIOES DE ESQUI EM ZERMATT

Na imagem abaixo é possível ter uma ideia da dimensão da região de esqui ao redor de Zermatt. São três regiões em Zermatt – Sunnegga-Rothorn, Gornergrat e Matterhorn Glacier Paradise – e duas na Itália, Breul-Cervinia e Valtournenche. Somadas elas garantem 360 km de pistas e 54 lifts. A região do Matterhorn Glacier Paradise tem inclusive pistas com neve eterna e essa parte da estação fica aberta o ano todo.

Zermatt - visão geral das pistas
Zermatt – visão geral das pistas

PASSES DE ESQUI EM ZERMATT

Os passes de esqui em Zermatt refletem exatamente as regiões acima descritas. Ou você compra o passe somente para as regiões de Zermatt ou compra o Internacional que incluí a Itália. Como achamos que comprar o ticket internacional todos os dias seria um exagero, não conseguiríamos esquiar toda a região todos os dias, planejamos começar por Gornergrat e Sunnegga-Rothorn e finalizar no Matterhon + Breul-Cervínia.

Tínhamos quatro dias de esqui e decidimos que um dos dias seria de descanso, afinal, estávamos em Zermatt e também queríamos curtir a cidade. Esse era o plano mas não podemos esquecer que em se tratando de esqui tudo depende do tempo.

Com essa estratégia definida fizemos a conta e achamos que não valeria a pena comprar o passe de quatro dias sabendo que em um deles não esquiaríamos. Também não quisemos comprar três dias consecutivos pois se fosse para ficar um dia sem esquiar preferíamos que fosse no meio e não no final do esqui. Por ultimo, as condições do tempo não estavam das melhores e poderíamos pegar algum dia de pistas fechadas. No final, optamos por comprar o passe dia a dia, mesmo que, no geral ficasse um pouco mais caro.

Os passes em Zermatt foram os mais caros que já pagamos até hoje 70 EUR (79 CHF). Estando na Suíça e em uma das estações de esqui mais famosas e tecnológicas do mundo não poderia ser diferente. Para verificar os preços e os passes, acesse esse link. Observe que não tem choro nem vela, não tem passe sem ser de dias consecutivos, não tem desconto, não tem tarifário por temporada.

A REGIÃO DE GORNERGRAT

Optamos inicialmente por comprar o ticket diário de Zermatt e fomos explorar a região do Gornergrat. Você chega até topo com um trem ou com lifts (teleféricos). Subimos com o trem expresso, demorou cerca de 30 minutos.

Estação da Gornergrat Bhan em Zermatt
Estação da Gornergrat Bhan em Zermatt

Esquiar nas pistas do topo do Gornergrat foi muito gostoso. Pegamos um dia bonito e com temperaturas amenas. Foi demais esquiar com a vista do Matterhorn ao lado.

Vista do Matterhorn do Buffet and bar Riffelberg em Gornergrat
Vista do Matterhorn do Buffet and bar Riffelberg em Gornergrat

As pistas que mais gostei foram justamente as azuis e vermelhas próximas das paradas do trem, foi legal utilizar o trem pela primeira vez, quando descemos até Riffelalp. No entanto, bastou fazemos uma vez para não acharmos tão legal assim, não sei dizer ao certo mas achei meio anticlímax esperar pelo trem. O tempo de subida com lifts é mais rápido apesar do trem ser quetinho, confortável e sem vento.

Esperando o trem em Gornergrat
Esperando o trem em Gornergrat

Uma vantagem foi poder utilizar o trem para descer. Como era um esqui de primavera a neve nas pistas mais baixas não estava tão legal. Já comentei sobre esse tipo de neve aqui no blog no post sobre Pila (é uma neve que congela durante a noite e descongela durante o dia, no final do dia a sensação é de esquiar em uma sopa).

A altitude das pistas em Zermatt permite que você fuja deste tipo de neve.  Em Pila foi mais difícil, a estação era menor e as pistas altas eram em sua maioria pretas. Outra vantagem do trem é conseguir acessar pontos mais altos sem sofrer tanto a influência do vento, se houvessem apenas os lifts acredito que em alguns dias talvez Gornergrat tivesse aberto mais tarde.

SUNNEGGA-ROTHORN

No segundo dia exploramos a região do Sunnegga e Rothorn. Aqui novamente você não utilizará lifts e sim um funicular que te levará ao topo do Sunnegga e depois um cable-car ate o Rothorn. É possível chegar ao Sunnegga vindo de Gornergrat e vice-versa. No entanto, para quem começa o dia de esqui, o funicular é o mais conveniente.

Tunel e funicular Sunnega em Zermatt
Tunel e funicular Sunnega em Zermatt

São uns 10 minutos de caminhada por um túnel e mais 10 minutos no funicular. Foi minha segunda vez esquiando com um funicular, a primeira foi neste mesmo ano em Axamer Lizum na Áustria. Foi lá que ouvi dizer que os funiculares foram os predecessores dos lifts, na época os lifts não tinham tanta tecnologia para realizar determinadas “subidas”.

A região também tem uma vista deslumbrante do Matterhorn e da cidade. Exploramos inicialmente a parte mais baixa e depois subimos até o Rothorn. Achei a região lá no topo melhor. Aqui mais uma vez o problema da neve de primavera nas partes mais baixas. O cable car que leva até Rothorn é gigantesco. A sensação de que você vai bater na rocha quando se aproxima é incrível. Esquiamos bastante nesse dia nessa região que possui muitas pistas de vários níveis de dificuldade no seu entorno. Por volta das 15 meu joelho pediu água e o tempo fechou e já não estava tão confortável assim. Ao invés de descer esquiando até o Sunnegga para pegar o funicular, desci utilizando o cabe car do Rothorn, somente eu, outra menina e o “motorista”. O cable car é enorme e, com pouca gente e muito vento balançava bem. É nessas horas que você percebe toda a tecnologia envolvida.

Cable car Rothorn (foto:myswitzerland-com)
Cable car Rothorn (foto:myswitzerland-com)

Fiz uma parada para um chocolate quente no Blue Longe que recomendo. O lugar e a vista são demais. Brinquei um pouco mais nas pistas ao redor do Sunnegga e depois peguei o funicular. Meu namorado ficou e explorou as pistas ao redor do Tufteren, segundo ele o esqui no final do dia nessa região estava bom.

MATTERHORN GLACIER PARADISE

Deixamos a região do Matterhorn propriamente dita para o último dia de esqui porque não quisemos encará-la logo no primeiro dia. No entanto, no segundo dia o tempo nesta parte não estava tão bom. Infelizmente, o tempo piorou no terceiro (dia que fizemos de descanso) e no quarto dia estava horível, meu namorado arriscou já eu, preferi poupar meus joelhos (detalhe: ele se arrependeu pois a visibilidade estava péssima).

Para acessar essa região o teleférico inicial é o Furi (Matterhorn Express). Ele passa por vários estágios até deixar você um uma área intermediária onde pegas um cable-car até o ponto mais alto. É nesse ponto que fica o Palácio de Gelo e suas atrações.

Teleferico Furi (acesso ao Matterhorn Glacier Paradise) e Centro de Informacoes Turisticas em Zermatt
Teleférico Furi (acesso ao Matterhorn Glacier Paradise) e Centro de informações turísticas em Zermatt

Meu namorado até encarou a subida do Furi com a esperança de que as pistas superiores fossem ser abertas ao longo do dia mas isso não aconteceu. Eu, ao chegar para comprar o ticket e ver que somente a parte de baixo deste lado da montanha estava aberta, decidi não esquiar.

Vista de Zermatt do lift Furi que leva até o Klein Matterhorn (foto: zermatt.cz)
Vista de Zermatt do lift Furi que leva até o Klein Matterhorn (foto: zermatt.cz)

Não estava a fim de encarar um dia de esqui com vento, baixa visibilidade e somente pistas vermelhas. Ele foi, eu fiquei. E foi o que aconteceu, com a visibilidade ruim ele até explorou algumas pistas mas no final do dia foi para o Gornergrat que estava melhor. Infelizmente, justo a área do Matterhorn terá que ficar para uma próxima. Eu costumo sempre ver o copo meio cheio: como Breul-Cervinia está na minha lista de desejos acho que irei conhecer o Matterhorn a partir do lado italiano 🙂

PISTAS E MEIOS DE ELEVAÇÃO EM ZERMATT

Das três regiões de esqui a do Matterhorn é a que tem o menor número de pistas azuis (para iniciantes). Foi justamente por isso que decidi não começar por ela e no final acabei não conhecendo.

Achei as pistas azuis de Zermatt melhores que as que esquiei na Áustria, próximo a Innsbruck. Confesso que esperava enfrentar a mesma dificuldade (pistas longas e mais difíceis) afinal, assim como os austríacos, os suíços também nascem com os esquis nos pés mas achei as pistas em Zermatt mais tranquilas, com traçados mais confortáveis. É claro que conheço poucos lugares dos dois países então não posso generalizar.

De Zermatt o que posso reclamar é que existem poucas pistas azuis. Do lado italiano a coisa parece melhor. Zermatt é o paraíso das vermelhas, sem falar de uma parte que atende exclusivamente ao off-pist.

BARES. RESTAURANTES E REFÚGIOS NAS PISTAS EM ZERMATT

Nas regiões em que esquiamos tinham bons restaurantes de montanha porém poucos. O que posso dizer é o que lugares são bem cuidados e confortáveis. Gostei bastante do Buffet e Bar Riffelberg em Gornergrat e do Blue Lounge no Sunnegga.

Restaurante no Sunnega em Zermatt
Restaurante no Sunnega em Zermatt

ALUGUEL DE EQUIPAMENTO DE ESQUI EM ZERMATT

Em Zermatt existem inúmeros locais onde é possível alugar equipamento de esqui. Utilizamos o site da Alpine Resorts para dar uma olhada geral. Fazendo a reserva através do site você consegue um desconto nas lojas físicas com as quais eles possuem parceria.

Optamos por reservar através deles com a Azzura Sports, loja de uma família de italianos do Piemonte, eles foram muito simpáticos e atenciosos conosco. Começaram incluindo o capacete na locação sem cobrar por isso, continuaram permitindo que pagássemos somente pelos três dias de aluguel mesmo deixando nosso equipamento à disposição por quatro dias (já que um seria de descanso) e finalizaram oferecendo para que retirássemos e deixássemos os equipamentos com eles diariamente caso esse fosse nossa vontade, sem custo adicional.

Todo esse serviço somado à localização da loja foi estratégico. Ela ficava exatamente no início/final da subida/descida para o apartamento que alugamos e próxima a parada do ônibus que levava aos meios de elevação para se acessar as pistas.

SEGURO DE VIAGEM EM VIAGENS DE ESQUI

Como já comentei em outros posts, nas minhas viagens de esqui costumo sempre contratar um seguro de viagem. Muitas vezes viajo com o seguro do cartão de crédito mas nem sempre e as viagens de esqui estão nesse grupo.

É justamente porque sei que existe mais risco envolvido que prefiro não me incomodar em caso de emergencias 😉 Ao utilizarmos o seguro do cartão precisamos pagar pelas despesas e depois solicitar o reembolso, é sempre mais burocrático. Para uma semana de esqui você não paga nem 10 reais por dia e fica garantido não somente em questão de sáude mas também contra as burocracias do reembolso. Só cuidado porque muitos seguros mais econômicos não cobrem o off-pist. Se quiser fazer off-pist procure um seguro que cubra esse tipo de atividade.

Não sei se já aconteceu com você mas eu já precisei acionar o seguro, assim como, recentemente, graças ao meu esforço de convencimento, um amigo contratou e acabou precisando utilizar. Então, não é melhor ao menos avaliar a questão do Seguros de Viagem? Para cotação e contratação eu recomendo a SegurosPromo, comprando por esse link você tem acesso a 5% de desconto. Se quiser pagar no boleto ainda tem mais desconto e no cartão é possível parcelar.

Bom, espero ter ajudado você a decidir se Zermatt será ou não seu local para esquiar Bom esqui a todos!

8 comentários em “Zermatt: Esqui aos pés do Matterhorn”

  1. Olá! Fiquei com dúvida quanto ao ônibus que leva aos lifts. Existem hoteis perto dos lifts ou de qualquer maneira deve-se pegar esse ônibus? E ele vai muito cheio? Preço? Como funciona? Obrigada!

    Curtir

    1. Olá Maite, tudo bem?

      Existem hoteis perto dos lifts sim. Vou colocar alguns links de hoteis aqui para vc, clicando sobre os links você conseguirá ver a localização no mapa. Vou listar por meio de elevação pois em Zermatt existe mais de um.

      Sunnegga-Rothorn (acesso as pistas através do Funicular Sunnega) – esse acesso é bem central, em frente estação ferroviaria e rua de compras da cidade. Existem muitos hoteis proximos como o Bahnhof e o Derby.
      Gornergrat (acesso as pistas através do Trem Gornegrat) – fica proxima ao acesso ao Sunnega. Para fins de localização podes utilizar os mesmos hoteis.
      Matterhorn Glacier Paradise (acesso as pistas através do Teleferico Furi) – é o acesso mais distante, aprox. 1,5 km de distancia da estação ferroviária. O Hotel Berghof fica proximo a esse acesso.

      Nunca peguei o ônibus muito cheio. Na realidade são micro-onibus e como eles passam com frequencia foi tranquilo. Eu precisei pegar porque meu hotel ficava um pouco distante e em uma ladeira além disso eu tinha que carregar meus equipamentos de esqui o que tornava tudo mais cansativo. Considere também que caso você se hospede proximo ao Sunegga poderá optar por pegar o onibus para ir até o Furi e vice-versa. Não é que as distancias sejam tão longas, são perfeitamente caminhaveis sem esqui, porém com equipamento e no inverno logo pela manha bate aquele frio e aquela vontade de chegar logo nas pistas.

      Espero ter respondido sua pergunta, se tiver alguma duvida entre em contato.
      Abraços,

      Curtir

  2. Olá Michele! Estarei em Zermatt no final de maio do ano que vem. Sei que será primavera, contudo, confesso que uma das razões que me levou a escolher esse destino diz respeito a minha paixão por esqui. Já pratiquei o esporte em variados lugares do mundo, mas sempre no inverno. Pelo que notei, no Glacier Paradise, conseguirei encontrar pistas abertas mesmo nesse época do ano. Minha pergunta é: devo alugar o equipamento de esqui em Zermatt e subir o teleférico com o mesmo ou na própria estação conseguirei encontrar uma loja oferecendo tal serviço? Você esteve em qual mês em Zermatt? Teria algumas dicas (bizus) para passar no que se refere a logística de esquiar em Zermatt? Obrigado e parabéns pelo post!

    Curtir

    1. Olá Marcelo, tudo bem? Coisa boa esse paixão por esqui, eu também adoro!
      No final de maio imagino que só conseguirás esquiar no Glacier, é claro que não é igual ao inverno mas é uma forma de conhecer a região e uma dos poucas possibilidades de esqui na Europa nesta época do ano. Eu estive em Zermatt na Páscoa de 2016, no final de semana que encerrava a temporada. Infelizmente não consegui esquiar no Glaciar devido ao mau tempo. Tenho que voltar 🙂
      Todas as dicas de esqui que possuo estão nesse post. Eu recomendaria o psseio até Gornengrat se por acaso sobrar um tempinho.
      Eu não sei dizer se todas as lojas estarão abertas, no meu caso aluguei na Azzura pois era relativamente proxima (na base) do meu hotel. No entanto tem uma loja nos pés do teleferico Furi, por onde você irá acessar o Glaciar, que é grande e super comoda. Se proximo ao seu hotel houver alguma loja de aluguel eu me certificaria que o onibus que leva até o teleferico passa proximo dela antes de alugar.
      Tenho uma amigo que adora Zermatt e que só pode esquiar lá fora de temporada, ele gosta bastante e me disse que os preços nessa época são bem melhores.
      Bom, acho que era isso.
      Se precisares de algo mais estou a disposição!
      Abraços!!

      Curtir

Deixe aqui seu comentário ou dúvida

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s