Dois dias e uma noite em Belfast

Post com dicas e roteiro de viagem em Belfast, capital da Irlanda do Norte. Belfast é um excelente day-trip para quem está visitando a ilha da Irlanda mas hospedado em Dublin. São muitos os que fazem o day-trip a partir de Dublin para a Irlanda do Norte com a finalidade de conhecer os famosos cenários do uber famoso Game of Thrones. Eu, como infelizmente ainda não vi a série (mas pretendo ver) optei por não visitar o lado “wild” do atlântico da Irlanda do Norte desta vez. Dessa forma o roteiro abaixo descrito, assim como as dicas de viagem, são específicas de Belfast, cidade que acho que não deveria ser deixada de lado em uma visita a Irlanda do Norte.

Giant's Causeway (foto: britannica.com)

Giant’s Causeway (foto: britannica.com)

Nossa viagem teve uma ajuda importante no planejamento, recebemos as dicas de um amigo irlandês que nos contou sobre a história do conflito entre os dois países e inclusive nos disse para que não fôssemos até lá no período em que se comemora a independência porque as coisas ainda costumam ficar quentes. Por esse motivo acabamos antecipando nossa ida.

Primeiro dia em Belfast

Após o check-in no Ibis Belfast Centro nos dirigimos ao centro da cidade sem compromisso. Nossa primeira parada seria o City Hall com o intuito de fazermos a visita guiada que é oferecida gratuitamente pela instituição.

City Hall

City Hall – fachada

Chegamos exatamente na hora que o passeio começava. A visita é guiada, rápida e instrutiva. Já ali você começa a entrar em contato com a história do próprio prédio, da cidade e de sua forte indústria naval que, no passado, foi responsável por colocar Belfast como destaque no mundo.

City Hall - interior

City Hall – interior

Ali também aprendemos sobre o país e de sua ligação com UK e união/separação da República da Irlanda. Foi um resumo interessante de grande parte de um período histórico que serviu como pano de fundo para os passeios que viriam pela frente. Recomendo. Bem que todos os ctiy halls poderiam ser assim não é  mesmo? Ah, a visita guiada foi gratuita.

Do City Hall andamos na direção do centro comercial e fomos procurar um lugar para almoçar. Eis que surge na nossa frente uma loja Avoca. Decidimos entrar para conferir se tinha uma Avoca Café. E eis que lá estava ele, no último andar, como quase sempre. Aproveitamos e fizemos um almoço rápido e delicioso.

Almoço no Avoca (pie, quiche e scone)

Almoço no Avoca (pie, quiche e scone)

Tudo na Avoca tem apresentação linda (come-se com os olhos), e bom custo x beneficio para um almoço rápido. Para ir de algo típico pedimos a pie e o scone (sobremesa), o quiche não é nada típico mas não consegui resistir. Gastamos em torno de 17 libras nessa refeição.

Avoca é uma empresa familiar irlandesa de confecção e venda de roupas com uma vertical na área de alimentação. Suas lojas, que são um charme. Inicialmente foi reconhecida pela qualidade, e fortes cores – marca registrada, das suas peças artesanais e, posteriormente, pelas lindas lojas com seus cafés, restaurantes e food halls. Fundada em uma cidade de mesmo nome a Avoca, segundo a Wikipédia, é a empresa e tecelagem mais antiga da Irlanda e uma dentre as empresas de manufatura mais antigas do mundo. Vale uma passadinha!

Saímos da Avoca com chuva e como a previsão era de que a mesma passasse dentro de uma hora decidimos fazer um tempo no shopping que era praticamente ao lado da Avoca.

Shopping Centre Victoria Square - Belfast

Shopping Centre Victoria Square – Belfast

O Shopping center Victoria Square tem uma proposta interessante, você quase não percebe que está entrando no shopping, não existem portas e na construção foi utilizado muito vidro. Proposta arquitetônica diferente e adaptada a uma cidade como Belfast, onde chove mais de 200 dias no ano. Bem que Dublin poderia ter algo do gênero.

O Shopping tem boas lojas. Como fomos em junho tinham algumas promoções. A loja que mais chamou minha atenção foi a da Guess acredito que devido ao fato de que não existir loja própria da Guess em Dublin. A praça de alimentação é padrão de shopping center, não recomendo, não faz muito meu estilo, acho tudo meio enlatado, sabe? Meio igual. O ponto alto do Shopping é o mirante com uma vista 360 graus de toda a cidade. Quando o tempo permite é claro, o que não foi nosso caso :0 mas mesmo assim deu para ter uma “ideia”.

Saímos do Shopping quando a chuva deu uma trégua e caminhamos por mais algumas ruas do centro. Passamos também em frente ao mercado municipal, que infelizmente tinha acabado de fechar as portas.

Centro de Belfast

Centro de Belfast

Mercado de Belfast

Mercado de Belfast

Desse ponto em diante fomos voltando na direção do hotel e também da Falls Road, que ficava um pouco adiante do nosso hotel. A Falls Road é parte da zona católica de Belfast e foi um dos locais onde ocorreram os graves confrontos, chamados “The Troubles”, entre os separatistas católicos e os unionistas protestantes.

Falls Road em Belfast

Falls Road em Belfast

Ali existem murais enormes com temas diversos. São temas que envolvem o The Troubles, como seus heróis, e também temas atuais.

Falls Road em Belfast

Falls Road em Belfast

Falls Road

Falls Road

Os murais são grandes. Olha eu abaixo em frete a um deles. E eu que achava que esse tipo de mural só existia em Berlin. Vergonha.

Murais na Falls Road em Belfast

Murais na Falls Road em Belfast

A Falls Road é um local simbólico com bandeiras da República da Irlanda por toda a parte, já a Shankill Road é o oposto, os murais são outros e as bandeiras do Reino Unido. São locais de visita obrigatória para se entender um pouco mais da história da Irlanda do Norte, que é relativamente recente. Eu infelizmente conheci somente a Falls Road. Sempre bom ver os dois lados da história não é mesmo? As atrações são na rua, basta chegar e ver.

Foi justamente devido à proximidade dos bairros e aos inúmeros conflitos entre seus moradores que muros altos foram construídos para separá-los. São os chamados Peace Walls. Ao longo desse muro foram construídos portões para que os moradores acessem as ruas. Como fomos uns dias antes da data em que se comemora a independência da Irlanda do Norte, os portões estavam fechados. Apesar dos conflitos terem ocorrido anos atrás, a questão ainda é muito delicada e, eventualmente, um conflito de menor dimensão ocorre. Confesso que já sabia deste período da história mas não lembrava que tinha sido tão sangrento. Difícil imaginar que pessoas de países tão civilizados foram capazes de cometer esses atos. É incrível o que a história ensina.

Depois da visita retornamos ao hotel, tínhamos acordado cedo e queríamos descansar antes do jantar. O restaurante escolhido para o jantar foi o Home. Fizemos reserva através do próprio site.

Restaunrante Home - Belfast

Restaurante Home – Belfast

Gostamos do jantar, esperávamos uma cozinha menos contemporânea e mais local mas fomos surpreendidos pelo chefe. Ambiente moderno, localização muito próxima ao hotel, comida deliciosa e farta, atendimento muito curado e preço bom para um restaurante de categoria média para alta. Menu com entrada e prato principal e duas cervejas nos custaram 40 libras para 2 pessoas.

Segundo dia em Belfast

Acordarmos e fomos surpreendidos por um lindo dia de sol. E daqueles que duram o dia inteiro, coisa rara na Irlanda, mundialmente conhecida pelo seu “changing weather”, isto é, mudança de tempo a cada meio-hora, risos.

Começamos com um belo café na Ground Expresso Baruma rede de cafés da Irlanda do Norte. Café maravilhoso, lanche bem servido, wi-fi bom. Dois cafés e um croque monsier compartilhado nos custaram 10 libras.

Ground Expresso Bar - Cafe da manhã

Ground Expresso Bar – Cafe da manhã

Do Ground optamos por caminhar até o Titanic Quarter, bairro onde fica localizado o Museu do Titanic.

Titanic Quarter

Titanic Quarter

É uma boa caminhada e, com o dia de sol valeu a pena. A cidade não usa o termo “museu” porque segundo eles é mais um experiência do que um museu. Depois de visitá-lo, concordo plenamente. Tudo no Titanic Experience é tão moderno, visual e interativo que chamá-lo de museu não é o mais correto.

Titanic Experience

Titanic Experience

O Titanic Experience não conta apenas a história do trágico naufrágio, ele retrata o momento histórico que a cidade vivia, fala sobre a indústria naval e a tecnologia de ponta que estava sendo desenvolvida na época em que Belfast era uma das grandes potências mundiais, descreve desde os menores navios até chegar aos transatlânticos de grande porte como o Titanic.

São diversas salas, audiovisuais, infográficos e simuladores que fazem você inclusive passear por dentro do próprio Titanic. Realmente uma experiência incrível. Vale o que custa. Antes de visitar fiz a reserva e pagamento através do site deles. Chegando lá bastou utilizar o totem de auto atendimento para retirar os ingressos. Eu recomendo esse procedimento, o lugar estava lotado.

Saímos do Titanic e fomos visitar o SS Nomandic que fica em frente ao museu e está incluído no ticket. O SS Nomandic é o único navio que restou da linha White Star, mesma do Titanic. Gostei de conhecer mas, depois de visitar o Titanic Experience, acho que ele fica sem graça, se fosse fazer esse passeio novamente visitaria ele primeiro. Do Titanic Quarter caminhamos novamente até o centro.

Belfast

Belfast

Belfast

Belfast

Nosso objetivo era almoçar em um pub histórico chamado The Crown (dica do nosso conhecido irlandês).

Belfast - Pub The Crown

Belfast – Pub The Crown

O Pub, como pode ser visto pelas fotos, é histórico e lindo, conserva o estilo dos pubs vitorianos de uma época. No entanto o atendimento deixou a desejar. Esperamos mais de 15 minutos pelo garçom, nesse meio tempo fomos abordados por uma turista americana que esperava a mais de 1,5 horas pelo pedido que tinha feito. Como tínhamos pressa em função do nosso retorno para Dublin, acabamos almoçando em outro Pub. Infelizmente fiquei com a sensação de que o The Crown está mais para atração turística do que Pub em si.

Almoço no Pub Hercules

Almoço no Pub Hercules

O Pub/Restaurante onde almoçamos, o Hercules, acabou sendo a opção mais conveniente devido a proximidade ao nosso hotel. Logo ao entrar no pub me senti uma E.T. parecia que todos se conheciam e que erámos os únicos estrangeiros, cheio de locais que acompanhavam as corridas de cavalos nos televisores. Pouco a pouco a garçonete, muito simpática, foi quebrando o gelo. Comida de pub, muito saborosa e com preços honestos. É o confort food Irish. No final, adorei a experiência. Bem mais típica que o The Crown.

Como ir de Dublin até Belfast

Se você ainda não está na Irlanda o aeroporto de Dublin será provavelmente a melhor opção para chegar até Belfast. A partir de Dublin você pode ir de trem ou ônibus. Fomos e voltamos com o ônibus da AirCoach, esse ônibus tem a conveniência de parar no aeroporto de Dublin para pegar os passageiros com direção a Belfast.

A AirCoach tem um slogan que diz “Travel in Luxury” mas se eu fosse do marketing deles mudava esse slogan (risos). São ônibus confortáveis, limpos e pontuais, mas de luxo não tem nada. Comprando ida e volta pelo site deles e, acessando antes a página do facebook para verificar os cupons de desconto, você provavelmente encontrará uma boa tarifa. Fomos e voltamos por 21 euros por pessoa enquanto cada trecho de trem custava 19,90 euros. A viagem demorou em torno de 2 horas. Saímos às 7:30 da manhã do centro de Dublin (O’Connell Street) e às 9:50 estávamos no centro de Belfast (Glengall St.).

Onde nos hospedamos em Belfast

Como mencionei acima, nos hospedamos no Ibis Belfast Centro. Já na chegada gostamos muito da gentileza, possuíam um quarto disponível e foi possível fazer o check-in mais cedo do que o previsto.

O padrão Ibis já é conhecido de muitos e principalmente de quem segue o blog. Somos cliente fidelidade Accor e como conseguimos uma excelente tarifa optamos pelo Ibis. Apesar da padronização Accor, o lobby do hotel é bonito e bem cuidado. O restaurante estava sempre movimentado. A localização do hotel excelente, próximo da estação ferroviária, da Glengall St (parada do Air Coach) e também perto da região central onde ficam as ruas de compras e o City Hall é ótima para viagens curtas como a nossa.

É um hotel de esquina e ficamos em um quarto localizado no canto da esquina. O quarto era maior que o tamanho padrão Ibis. Gostei! Na noite em que nos hospedamos havia uma obra muito grande na rua em frente, com muito barulho, porém, a insonorização do hotel foi nota 10. Se pudesse melhorar algo seriam as cortinas, não são largas o suficiente e você acaba acordando com a luz do dia. Isso é mais chato nos dias de verão quando amanhace muito cedo.

Na ocasião ficamos na dúvida se ficaríamos no Ibis do Centro ou em um mais afastado. Eu acho que tomamos a decisão correta, como a viagem foi curta, ficar no centro foi conveniente, fizemos tudo a pé. Caminhamos muito e eu nem sequer vi o outro Ibis (Ibis Belfast Queens Quarter).

Anúncios

Deixe aqui seu comentário ou dúvida

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s