Roteiro de três dias em Copenhagen – Segundo Dia

Nosso segundo dia em Copenhagen começou com um café bem forte no Baresso do Shopping Fields de Orestad. Esse shopping ficava ao lado do hotel onde estávamos hospedamos: o Cabinn Metro (falei sobre ele aqui!). O Baresso é uma rede de cafés com um estilo Starbucks, Costa Café, Nero, etc. Ela está espalhada pela cidade e vale uma visita. Por recomendação da barista/atendente escolhi o danish roll, que em dinamarquês tem um nome impronunciável que está na foto abaixo.

Café da manhã no Baresso (café latte e grovsnegl)

Café da manhã no Baresso (café latte e grovsnegl)

 Aliás, que palavra não é impronunciável em dinamarquês? Que língua difícil. Nós até tentamos. Porém quando precisamos falar o nome da estação de trem onde queríamos ir tivemos que recorrer a uma plaquinha. Experimente: coloque a palavra Ørestad no Google translator e tente repetir (risos). Ah, só para tranquilizar, todos possuem um inglês impecável. Essa pessoa com a qual tivemos uma comunicação parte em dinamarquês e parte em inglês era um agente de limpeza da estação ferroviária. Que, aliás, foi muito atencioso ao nos ver com cara de “De onde será que parte meu trem?”.

Depois do café, partimos em direção a primeira atração do dia, o Mercado Gastronômico de Torvehallerne.

Mercado Gastronomico de Torvehallerne - fachada

Mercado Gastronomico de Torvehallerne – fachada

O Torvehallerne é um mercado que além de vender produtos de hortifruti, carnes e peixes, também possui restaurantes, cafeterias, pizzarias e afins. Os restaurantes são como estandes, você pede o prato que deseja e pode sentar-se nas mesas ao redor do mercado ou mesmo no espaço a céu aberto do lado de fora.

Mercado Gastronomico de Torvehallerne - interior

Mercado Gastronomico de Torvehallerne – interior

O mercado é muito bonito e bem cuidado. Na parte de hortifruti é possível começar a entrar em contato com os produtos de estação. Muito aspargo, nunca tinha visto tantos tipos e, ruibarbo, um vegetal que se presta para inúmeras sobremesas e que estava presente na maioria dos menus dos restaurantes especializados na nova cozinha nórdica.

Mercado Gastronomico de Torvehallerne - aspargos

Mercado Gastronomico de Torvehallerne – aspargos

Mercado Gastronomico de Torvehallerne - ruibarbo

Mercado Gastronomico de Torvehallerne – ruibarbo

As opções para um almoço rápido também são ótimas e não agridem tanto o bolso. Achei que ter conhecido o mercado e almoçado ali foi uma ótima dobradinha. Almoçamos no HAV (foto abaixo). Pratos e pães nos custaram 255 DKK para duas pessoas.

Mercado Gastronomico de Torvehallerne - almoco no HAV

Mercado Gastronomico de Torvehallerne – almoco no HAV

Depois do almoço aproveitamos para conhecer um pouco a região ao redor do Torvehallerne. Muito próximo dele fica a Galeria Nacional da Dinamarca.

Mercado Gastronomico de Torvehallerne - arredores

Mercado Gastronomico de Torvehallerne – arredores

Galeria Nacional da Dinamarca

Galeria Nacional da Dinamarca

Saímos da galeria em direção ao Tivoli Gardens que, segundo muitos serviu de inspiração para Walt Disney. É um dos parques de diversões mais antigos da Europa e o terceiro mais visitado depois da Euro Disney e do Euro Park.

Tivoli Gardens - entrada

Tivoli Gardens – entrada

O parque Tivoli Gardens não é grande em tamanho, as atrações são próximas umas das outras, mas é enorme em termos de opções de entretenimento. São muitos brinquedos (28 para ser exata), diversos jogos e teatros, além de mais de 40 restaurantes, isso sem contar cafés, sorveterias, etc.

Tivoli Gardens - Teatro Peacock

Tivoli Gardens – Teatro Peacock

Tivoli Gardens - jogos e diversões

Tivoli Gardens – jogos e diversões

Tivoli Gardens -Restaurantes Nimb

Tivoli Gardens -Restaurantes Nimb

Tivoli Gardens

Tivoli Gardens

Tivoli Gardens

Tivoli Gardens

Em termos de atrações confesso que alguns brinquedos eram muito, muuuuito, mais radicais do que eu esperava. Até queria encarrar a montanha russa porém, dois loopings depois de tudo que tinha comido em Toverhallerne seria muito arriscado.

Tivoli Gardens - Montanha russa - The Demon

Tivoli Gardens – Montanha russa – The Demon

Na ocasião achei a montanha russa antiga – chamada The Odin Express, ainda de madeira e com condutor – inofensiva. No entanto, isso foi porque ela fica meio escondida e você não tem ideia dela como um todo.

Nem preciso dizer que depois me arrependi de não ter ido, não é mesmo? Um pouco de adrenalina é sempre bom. Falando nela, com certeza ela não falta.

Alguns brinquedos possuem alturas impressionantes…

Tivoli Gardens - Brinquedos (Rides)

Tivoli Gardens – Brinquedos (Rides), um deles avista-se da estação ferroviária

…outros, mesmo para crianças, te deixam tonto só de olhar.

Sem falar naqueles que nem se me pagassem eu andaria…kkk.

Já deu para notar que sou a maior medrosa neh? Mas na verdade eu sempre falo isso abertamente aqui no blog. Principalmente nos posts de esqui #desabafo.

No Tivoli o turista tem duas opções de bilhete de entrada. Pode pagar o passaporte (550 DKK) pelo direito ilimtado a todos os brinquedos e mais algumas vantagens ou paga somente a entrada (110 DKK), e os brinquedos de forma avulsa (os “rides” custavam 25, 50 ou 75 DKK, variava de acordo com a adrenalina).

Depois do Tivoli fomos para o hotel e nos arrumamos para a “diversão noturna”: o Restaurante Radio. Conforme comentei no primeiro post da serie, o Radio foi um dos restaurantes especializados na nova cozinha nórdica que escolhemos para visitar. Optamos por ele pela localização, faixa de preço, ingredientes do menu e know-how dos chefes. A reserva foi feita com antecedência pelo site deles.

Restaurante Radio - fachada e interior

Restaurante Radio – fachada e interior

Optamos pelo menu de três pratos e escolhemos todos os pratos salgados. Nesse restaurante você podia inclusive optar por pedir mais pratos (mesmo a sobremesa) à la carte. Muito prático. Para acompanhar os pratos, pedimos duas taças de vinhos brancos húngaros.

Restaurante Radio - pratos do menu

Restaurante Radio – pratos do menu

Na foto acima é possível ver a entrada, acima à esquerda, e os pratos que foram servidos. O primeiro prato foram vieiras, o segundo um mix de vários tipos de aspargos e último tinha como protagonista o peixe mackerel defumado. Mais uma vez adoramos a experiência de poder apreciar a nova cozinha nórdica. Atendimento informal e educado, serviço profissional, ambiente muito agradável e comida e vinhos deliciosos. Tudo isso por aproximadamente 400 DKK por pessoa.

Um comentário sobre “Roteiro de três dias em Copenhagen – Segundo Dia

Deixe aqui seu comentário ou dúvida

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s