Auschwitz/Oswiecim, Cracovia, Europa, Polonia

Polônia – Roteiro de 3 dias em Cracóvia

Conforme comentei no post índice dessa viagem pela Polônia, visitamos a cidade de Cracóvia depois de passarmos 3 dias e 3 noites em Varsóvia. Em Cracóvia também nos hospedamos por 3 noites porém passamos apenas dois dias na cidade porque em um dos dias optamos por fazer o bate e volta, por conta própria, à Auschwitz. Portanto, esse post será sobre os dois 2 dias e 3 noites que passamos em Cracóvia.

Barbican – Fortaleza das antigas muralhas da cidade de Cracovia

O bate e volta por conta própria a Auschwitz foi realizado no segundo dia de roteiro, sabíamos que seria cansativo e planejamos de forma que pudéssemos ter um terceiro e último dia de viagem mais tranquilo. Foi sem dúvida uma excelente decisão. Clique no link acima para ler o relato completo.

Para saber como chegamos em Cracóvia, onde nos hospedamos em Cracóvia e também detalhes sobre o translados, transporte público e como viajar de trem prela Polônia acesse o primeiro post da série através deste link.

Mapa das atrações e restaurantes visitados em Cracóvia

Assim como fiz para Varsóvia, segue um mapa com as atrações que visitamos em Cracóvia, cada dia é representado por uma cor diferente. No mapa também inclui os restaurantes que visitamos. Abaixo darei mais detalhes sobre alimentação, preços e comidas típicas.

Nosso roteiro em Cracóvia

Cracóvia – Roteiro Primeiro Dia

Nosso roteiro em Cracóvia começou pelo centro antigo. Saímos do nosso hotel por dentro do Shopping Galeria Krakowska e dele na entrada para a estação ferroviária – Krakow Glowny, foto abaixo.

Cracovia – Shopping Galeria Krakowska e Estacao ferroviária Krakow Glowny

Deste ponto pegamos uma passagem subterrânea e saímos diretamente no Planty Park, um parque/área verde que contorna todo o Centro histórico/Stare Miasto. Antes de acessar o centro histórico através de um dos portões de acesso ainda existentes, o St. Florians/Florianska, fizemos uma parada estratégia para apreciar o Teatro Slowacki.

Caminhamos poucos metros pela rua que tinha o mesmo nome do portão, Florianska, fizemos uma parada estratégica para um lanche (mais detalhes abaixo) e logo estávamos na famosa grande praça central de Cracóvia, chamada Rynek Glowny, que quer dizer exatamente grande praça central em polonês.

Cracovia – Stare Miasto – Centro histórico com Basilica ao fundo e o Sukiennice

A praça é realmente linda. Uma joia única. A maior dentre todas as praças de cidades medievais europeias. No seu centro fica o prédio do Cloth Hall/Sukiennice uma vasta área que no passado foi dedicada ao comércio internacional de mercadorias e que se intitula o primeiro shopping center do mundo.

Cracovia – Stare Miasto – Centro historico -Sukiennice

Hoje em dia no térreo funciona um mercado com inúmeras galerias que vendem um pouco de tudo, incluindo artesanato e souvenires aos turistas, enquanto no andar de cima fica localizado o Museu de Arte Polonesa do século 19, o Sukiennice, e no subsolo o Museu Subterrâneo de Cracóvia. Como se não bastasse, o prédio possuí uma torre que pode ser acessada por aqueles que querem ver a cidade do alto (não abre de dez à março).

Outro ponto altíssimo da praça é a Basílica de Santa Maria. Não sou conhecedora de igrejas mas já visitei muitas quando morava na Itália e também li muito sobre o tema. Achei a Basílica de Cracóvia uma dentre as mais bonitas que já visitei. É realmente impressionante. Ela é famosa por seu altar que é um verdadeiro luxo.

Cracovia – Interior da Basilica e o altar

Saímos da Basílica e exploramos melhor os arredores do centro histórico; andamos com calma pelos prédios ao redor da praça e pelas ruelas que ficam dentro das muralhas. Exploramos o Barbican (que assim como em Varsóvia foi uma das partes que restou das muralhas da cidade antiga) e também o Parque Planty, que cobre todo o entorno da cidade justamente por onde as muralhas passavam.

Saímos então do centro histórico em direção ao bairro de Kazimierz e no caminho passamos em frente a Igreja de São Pedro e São Paulo, onde avistamos as esculturas dos apóstolos que ficam em frente a Igreja que infelizmente estava em reforma.

Igreja de Sao Paulo e Sao Pedro em Cracovia

Depois passamos também em frente ao Museu da Arquidiocese, localizado em uma das casas onde morou João Paulo ll. Aqui abro um parêntesis sobre João Paulo ll, não podemos esquecer da ligação dele com a cidade e com o país; se você tiver interesse em conhecer melhor a Polônia de João Paulo II pode fazer um bate e volta à cidade onde nasceu Karol Wojtyla, chamada Wadowice, distante 50 km de Cracócia. Em Cracóvia, depois de morar onde hoje é o Museu da Arquidiocese, ele se mudou, em 1963, para o Palácio dos Bispos, ao lado da Basílica de São Franscico, onde morou até ser designado Papa. Outro ponto de interesse liago a ele é a Universidade onde o mesmo estudou teologia, também localizada no centro histórico da cidade (todos esses pontos estão marcados no mapa acima).

Chegamos no bairro de Kazimierz ainda a ponto de explorar algumas igrejas mas como era tarde e estava escurecendo paramos para um happy-hour e depois fomos jantar (mais detalhes abaixo).

Cracovia – Bairro de Kazimierzs

Cracóvia – Roteiro Segundo Dia

Foi o dia dedicado ao bate e volta, por conta própria, a Auschwitz. Clique aqui para ler sobre todos os detalhes.

Cracóvia – Roteiro Terceiro Dia

Nosso terceiro começou com a visita ao Museu Fábrica de Schindler. Logo ao chegar ficou claro que é um dos locais mais visitados da cidade.

Cracovia – Museu Farbrica de Schindler – fachada

O museu é grande mas a bilheteria era pequena para a fila que tinha. Como fazia frio todos queriam ficar dentro da bilheteria. Não esqueça que fomos na baixa temporada então, para quem vai na alta, recomendo a compra antecipada com ingresso com direito a “fura-fila”, veja aqui!

Cracovia – Museu Farbrica de Schindler – interior

O museu é interessante. Moderno. Lá dentro você terá acesso a Cracóvia da segunda guerra e poderá ver como toda a ocupação alemã afetou a cidade naquela época e todas as consequências disto. Nossa visita demorou em torno de duas horas, a entrada custou 21 PLN.

Depois de visitar o Museu Fábrica de Schindler aproveitamos para conhecer a região ao seu redor, o bairro de Podgorze. Exploramos a margem do Rio e fomos novamente em direção ao bairro de Kazimierz onde fizemos uma parada para almoço e caminhamos bastante enquanto explorávamos o bairro e seus inúmeros cafés e bares.

Vista de Kazimierz a partir de Podgorze

Nosso ultimo compromisso naquele final de tarde foi visitar os arredores do Castelo Wawel. Não chegamos a visitá-lo por dentro porque estávamos sem tempo. Mas imagino que o local seja lindo.

Wawel – Castelo Real em Cracovia
Wawel – Castelo Real em Cracovia
Wawel Castelo Real em Cracovia – vista do Rio Vistula

Restaurantes e Comidas Típicas em Cracovia

Praticamente começamos o roteiro do primeiro dia em Cracóvia pelo almoço. Mal adentramos o centro histórico (depois de deixar as malas no hotel e já com aquela fominha de quem apenas tinhas feito um lanche no trem entre Varsóvia e Cracóvia) e nos deparamos com o Pijalnia, um restaurante que se intitula uma máquina do tempo.

Com uma atmosfera da época comunista eles oferecem um cardápio de pequenos pratos e um menu de cervejas e vodkas a preços módicos. Ele faz sucesso com os estudantes, turistas e ploneses, está sempre cheio e o ambiente é alegre e informal. Fomos nele duas vezes, tanto nesse almoço rápido quanto para um happy-hour neste mesmo dia. Ele é uma pedida certeira pois fecha por somente duas horas durante a madruga, ótimo para o turista desprevenido. O prato da foto, que dividimos, e duas cervejas, nos custaram 24 PLN.

Além do restaurante do centro histórico ele possui uma filial na Praça Novy, ali paramos para provar o menu de shots. Essa praça possui vários restaurantes ao seu redor e muitas baladas. É um bom local para quem quer curtir a noitada em Cracóvia. A praça também é famosa pelos quiosques de zapiekanka (falei sobre essa comida tipica aqui), fui até eles não tive coragem de comer, achei o local muito sujo, excesso de pombas, eca. Tá ai uma coisa da qual não gosto na Europa.

Também nos arredores dessa mesma praça, fomos no Alchemia Od Kuchni. Um restaurante com influência polonesa/árabe/judaica. Ali comemos a melhor sopa de beterraba das nossas vidas. Copiamos a receita e fazemos com frequência. Provamos também um prato árabe e vinhos de Jerusalém. Sopa, prato árabe, hambúrguer, vinhos e gorjeta nos custaram em torno de 99 PLN.

Almoço Restaurante Alchemia Od Kuchni em Cracovia

No ultimo dia fizemos uma café da manha calmo e fomos conhecer um milkbar. Nossa escolha foi o Tomazsa Milkbar. Falei sobre os milkbars no post de Varsóvia mas o Tomazsa, ao contrário do que citei em Varsóvia, apesar de ótimo, me pareceu muito turístico. O proprietário, Irlândes, é muito simpático, como todo irlândes aliás, no entanto não espere ver os poloneses saboreando seu café da manhã e sim muitos turistas nos clássico english/irish breakfeast 😉 Nosso café da manhã com os dois pratos abaixo e dois cafés nos custou 44 PLN.

Pratos de cafe da Manhã no Tomasza Milkbar em Cracovia

Outra dica de comida típica que não pode faltar é o obwarzanek, um parente do pretzel na minha opinião. Gostei bastante e você encontra por tudo, desde nos quiosques da praça central até nos cafés e quiosques dentro de centros comercias. Eu comprei alguns para levar no dia do passeio a Aushwitz e achei ótima pedida.

Obwarzanek – o pretzel de Cracovia

No jantar conhecemos dois restaurantes muito bons: o Miodova e o Miad Molina. Como no primeiro dia nosso roteiro se encerrou no bairro de Kazimierzs optamos por jantar nos arredores da rua Szeroka que na realidade é mais uma praça do que uma rua. Esse local é bem conhecido e concentra muitos restaurantes e por esse motivo tentamos a todo custo evitar as armadilharas para turistas fugindo dos restaurantes com menus na porta.  Jantamos muito bem no Miodova. Adoramos e recomendo a todos que procuram um restaurante na região. Pratos regionais e vinhos de origem judaica, serviço impecável. Ambiente com toque moderno. Dois pratos, sobremesa, vinhos e gorgeta nos custaram 170 PLN.

Na outra noite optamos por jantar no centro histórico. Escolhemos o Miod Molina. O Miod Molina tem um ambiente rústico e turístico (e bem mais turistas que o Miodova… risos), no entanto, os pratos eram típicos, bons, mais baratos e bem servidos. Dois pratos e bebida por 77 PLN. Gostamos bastante embora a experiência completa no Miodova tenha sido melhor.

Pratos do jantar no Miod Molina em Cracovia

 

 

Deixe aqui seu comentário ou dúvida

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s