Nove dias entre a Suíça Francesa, Berna e Zermatt – Primeiro e último dia: Genebra

Foto post com alguns detalhes do nosso primeiro e último dia na Suíça, ambos em Genebra. Como contei no post inicial dessa série de posts sobre nossa viagem pela Suíça Francesa, Berna e Zermatt (acesse o post aqui), Genebra foi o destino inicial e final dessa viagem e esse post é o das seis horas que passamos no dia em que chegamos e das outras seis que passamos um dia antes de pegarmos o voo de volta para Dublin.

Chegamos em plena sexta-feira santa com milagrosos 25 graus em Genebra. O clima estava tão fora do padrão que quem nos deu a notícia foi o próprio piloto do avião. Genebra é uma cidade pequena e o aeroporto minúsculo. O clima na chegada era de feriadão de esqui. No aeroporto pipocavam plaquinhas de transfer para todos os destinos famosos de esqui da Suíça. Muito alto astral! Queria poder ir para todos aqueles lugares.

Genebra - Quay du Mont-Blanc com o Monte Saleve ao fundo

Genebra – Quay du Mont-Blanc com o Monte Saleve ao fundo

Muitas famílias e grupos de amigos por toda a parte, todos encasados, embotinados e com seus devidos equipamentos de neve. Todo mundo passando muito calor na realidade… kkkk. Nós, que não queríamos pagar o ágio da Páscoa na montanha, decidimos subir a mesma só depois que o feriado acabasse. Dessa forma, ficamos três dias (a sexta-feira santa, o sábado e o domingo) passeando pela Suíça Francesa e por Berna.

Do aeroporto de Genebra fomos em direção à estação ferroviária do mesmo e compramos um ticket para o centro da cidade. Aproveitamos e comprarmos também o bilhete de trem que nos levaria de Genebra à Lausanne algumas horas depois. Foi ao comprar o bilhete de trem que descobri que os preços do site são bem mais econômicos. Se você pretende comprar algum bilhete de trem na Suíça, que não seja o passe (travel pass), não deixe de ler o post inicial desta série. Nele você também pode ler um pouco sobre o voo com a Swiss.

Compramos o bilhete, nos dirigimos à plataforma e, alguns minutos depois, estávamos dentro do trem. Em dez minutos chegamos na estação ferroviária de Genebra. Tudo muito prático. Descemos, encontramos um locker, deixamos nossas malas e fomos explorar a cidade.

Estação Ferroviária de Genebra

Estação Ferroviária de Genebra

Nosso primeiro ponto de interesse foi a loja de departamento Manor. A loja é muito legal, é grande e tem de tudo um pouco, segue o padrão de muitas lojas do tipo espalhadas pela Europa no entanto, tem um food hall realmente impressionante.

Produtos na loja de departamentos/supermercado Manor

Produtos na loja de departamentos/supermercado Manor

Acho que deve dar para notar pelos posts do blog e do instagram que adoro feiras, supermercados, mercados de rua, comida típica, etc. E devo confessar que, quando você acha que já viu tudo, aparece esse supermercado da Manor com coisas do mundo inteiro e muita, mas muita, variedade. É claro que cada cidade tem sua particularidade mas eu nunca tinha visto por exemplo uma variedade de foie gras e vôngoles tão grande em um único supermercado. Nada como prestar serviços para um povo endinheirado. Além de Genebra vimos a Manor por quase todos os lugares em que passamos, a exceção foi Zermatt. Que pena ;( justamente o lugar onde teríamos uma cozinha à nossa disposição.

Saímos da Manor, que fica em praticamente em frente à estação ferroviária, e cruzamos o lago em direção ao famoso jato d’agua (Jet d’Eau).

Ida ao Jato de Agua (Jet d'Eau)

Ida ao Jato de Agua (Jet d’Eau)

Naquele final de tarde a região próxima ao jato estava cheia de gente passeando e curtindo o clima agradável. A atmosfera era de uma cidade pequena, tranquila e muito, mas muito elegante. É fácil se sentir pobrinho em Genebra😦

Genebra - Jet d'Eau

Genebra – Jet d’Eau

 

Genebra - Ponte du Mont-blanc

Genebra – Ponte du Mont-blanc

Da Ponte du Mont-blanc caminhamos em direção ao centro comercial da cidade. Primeiramente fomos à Praça du Molard. Na praça, muitas pessoas também. Nela um outra loja, a Globus, mais gourmet chamou nossa atenção. Entramos. Um excelente local para fazer uma boquinha também🙂 Paramos para um espresso.

Genebra - Praça du Molard

Genebra – Praça du Molard

 

Ao sairmos da Globus observamos que o comércio já estava fechado. E não tivemos muita coisa para fazer senão caminhar um pouco mais pela cidade antes de pegar novamente o trem rumo a Lausanne. Naquele dia percorremos a Rua du Marche, a Rua do Rhone e Rua de La Corraterie, passamos em frente ao Victoria Hall e voltamos à estação central pela Pont de la Coulouvreniere.

Genebra - Rue de la Corraterie

Genebra – Rue de la Corraterie

 

Genebra - Victoria Hall

Genebra – Victoria Hall

Genebra - Ponte de la Coulouvreniere

Genebra – Ponte de la Coulouvreniere

Na segunda parte da nossa visita à Genebra (último dia de viagem), explorarmos a região dos Banhos de Paquis. Ela na verdade fica na outra margem do rio quando comparada com o Jet d’Eau. Também pegamos um dia bonito, só não muito ensolarado.

Caminhamos pela quay du MontBlanc e depois entramos para conhecer os banhos, que na realidade são praias de lago (com água extremamente límpida) em pleno coração da cidade. Interessante o lugar. Com uma boa infra. Naquele final de semana muitos faziam piquenique no local.

Genebra - Quay du Mont-blanc

Genebra – Quay du Mont-blanc

Genebra - Quay du Mont-blanc

Genebra – Quay du Mont-blanc

Genebra - Quay du Mont-blanc

Genebra – Quay du Mont-blanc

Genebra - Quay du Mont-blanc

Genebra – Quay du Mont-blanc

Genebra - Bains de Paquis

Genebra – Bains de Paquis

Genebra - Bains de Paquis

Genebra – Bains de Paquis

A partir desse ponto, voltamos em direção a estação central passeando pelos bairros Paquis-Mole, Paquis-Temple e Cornavin. Em alguns pontos desses bairros a atmosfera é mais degradada; restaurantes étnicos (aqui são os locais para comer barato) e sexy-shops por todos os lados. Acho que essa não é a imagem que quase ninguém faz da Suíça ou mesmo de Genebra, não é mesmo?

Mas essa foi também uma Genebra que presenciei; muitos imigrantes e estrangeiros vivem ali ou a vistam a trabalho e devido alto trânsito de pessoas (Genebra é centro mundial de finanças e orgão diplomáticos) a prostituição também é grande. Talvez seja por isso, e pelos altos preços, que muitos não vêem a cidade com bons olhos.

Realmente em algumas partas falta uma identidade própria mas está longe de não ser um local agradável para passar algumas horas. Considere essa opinião como a de alguém que no total deve ter ficado não mais do que 24 horas na cidade. Acho que foi um tempo justo para o tempo que eu dispunha mas tenho certeza de que se tivesse que ficar por mais tempo não reclamaria. Foi ótimo ter a oportunidade de desmistificar a tão badalada Genebra😉

3 comentários sobre “Nove dias entre a Suíça Francesa, Berna e Zermatt – Primeiro e último dia: Genebra

Deixe aqui seu comentário ou dúvida

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s