Bavária – Cinco dias em Munique com bate e volta a Rota Romântica

Munique foi um destino de viagem por inúmeras vezes adiado quando estava morando em Roma. Era relativamente perto então sempre ficava para a próxima oportunidade. Acabou que voltamos ao Brasil sem ter ido a Munique. Acho que foi justamente por isso que na nossa volta à Europa não tivemos nenhuma dificuldade em decidir o principal destino das férias: Munique estaria no nosso roteiro e os demais lugares seriam próximos a ela!

Como além de Munique também queríamos esquiar, e tinha sido justamente por isso que escolhemos fazer essa viagem no inverno, o destino de esqui escolhido foi Innsbruck. Excelente dobradinha com Munique. Outra coisa que fizemos nessa viagem foi ir até Baden-Baden, contei aqui. Dessa forma, Munique foi a última parte desta viagem de 14 dias pela Europa, sendo cinco noites em Munique.

Nosso Roteiro em Munique

Montar o roteiro e Munique não foi nada fácil. A cidade tem inúmeros atrativos. Sabendo que estaríamos no coração da Bavária também queríamos conhecer alguns pontos da Rota Romântica Alemã e isso tornou a elaboração do roteiro mais trabalhosa. Sabíamos que a clássica viagem pela Rota Romântica é aquela de carro passeando de cidade em cidade mas não tínhamos todo o tempo necessário e também não estávamos no “mood” de uma trip assim. Optamos então por um meio termo. Além de conhecer Munique fizemos dois bate e volta a dois pontos altos da Rota Romântica: a cidade murada de Rothemburg ob der Tauber e o Castello Neuschwanstein. No final nosso roteiro em Munique ficou assim:

Primeiro dia (Old Town)

Fizemos check-in no Ibis Arnulfpark por volta das 13 e às 14 já estávamos na Old Town de Munique. Começamos o reconhecimento de Munique a partir da Karlstor, que juntamente com Isartor e Sendlinger Tor é uma das antigas portas de acesso a cidade ainda existente.

Seguimos pelas ruas de compras do centro antigo de Munique, a Neuhauser e a Kaufingerstraße e fomos dar na praça MarienPlatz onde fica o Neues Rathaus – o prédio neo gótico uber famoso onde está localizada a prefeitura de Munique.

Neues Rathaus

Neues Rathaus

Neues Rathaus - Detalhes

Neues Rathaus – Detalhes

Um pouco atrás do Neues Rathaus está localizada a Frauenkirche, a catedral da cidade. Vale a pena dar um pulinho ali para conhecê-la. Depois de visitá-la voltamos mais uma vez na direção da MarienPlatz e passamos pelo Altes Haus, antigo prédio da prefeitura. É possível subir no prédio, dizem que tem uma vista bonita da praça. A entrada custa 4 euros. Não subi.

Já era final de tarde e estávamos próximos ao Viktualienmarkt, o mercado a céu aberto mais popular de Munique. O mercado em si já estava fechando, deu tempo de ver algumas bancas e constatar que a qualidade dos produtos era ótima. Sem dúvida os consumidores em Munique devem ser exigentes já que a Bavária está entre as regiões mais ricas da Alemanha.

Viktualienmarkt - lojas

Viktualienmarkt – lojas

Viktualienmarkt - produtos

Viktualienmarkt – produtos

Fizemos um pequeno lanche no Vinzenzmurr, uma espécie de açougue e delicatesse que depois vimos que em diversos pontos da cidade. Ali provamos o hackpeter, que aparece na foto abaixo. Uma espécie de tartare só que de porco. Só viajando mesmo para comer coisas assim, jamais pensaria em comer porco cru na minha vida #ever.

Viktualienmarkt - produtos

Viktualienmarkt – produtos

Ao longo do mercado também existem diversos restaurantes. Pode ser uma excelente opção para uma refeição.

Viktualienmarkt - restaurante ao redor

Viktualienmarkt – restaurante ao redor

Como tínhamos acabado de fazer um lanche e ainda eram umas seis horas da tarde estava muito cedo para jantar então voltamos ao centro para dar uma olhadinha nas lojinhas (mais uma… risos, ninguém é de ferro). Fizemos boas aquisições de inverno na Benethon e nas lojas de esportes.

Old Town

Old Town

Não tive muito tempo para pesquisar sobre restaurantes com antecedência. Apesar de ser uma viagem de férias acabou sendo também a viagem de mudança para a Dublin então a correia antes da viagem foi grande (fecha parêntesis).

Sabíamos que queríamos jantar algo típico e acabamos optando pelo Zum Augustiner Restaurant na própria Kaufingerstraße mesmo. Um restaurante de comida típica da Bavária, com cervejas de excelente qualidade. Apesar de parecer muito turístico tinham muitos locais frequentando o lugar, acho que demos sorte na escolha. Gostei!

Augustiner - ambiente, prato e cervejas

Augustiner – ambiente, prato e cervejas

A arquitetura do local era fantástica, várias salas. Você podia escolher se queria ficar no restaurante ou na cervejaria (bierhalle) que ficava ao lado. Apesar dos ambientes serem integrados o restaurante era mais pomposo.

Pedimos uma porção para compartilhar, ainda bem, o prato era muito bem servido. De entradinha pedimos uns pretzels que eram gigantes. Pretzels, duas cervejas e um prato típico (compartilhado) nos custaram 25 euros.

Segundo Dia (Dachau, Hofgarten e Englischer Garten)

Na parte da manhã e início da tarde fomos ao Campo de Concentração Dachau. Gostei do passeio, é bastante pesado e não teria como ser diferente. Nunca tinha visitado um campo de concentração antes e fiquei boquiaberta com tudo que aprendi ali.

Dachau - Portão de Acesso

Dachau – Portão de Acesso

Dachau foi um dos primeiros campos de concentração nazista e serviu de modelo para muitos campos criados depois. O campo é considerado uma escola de homicídio para os soldados da SS pelas brutalidades que foram cometidas lá.

O acervo do museu é enorme e retrata inúmeros detalhes como: a vida do campo, a história da guerra, a história dos personagens (presos e soldados), os inúmeros campos de concentração ao redor e como a logística funcionava.

Dachau - instalações e Museu

Dachau – instalações e Museu

Dachau - Interior do Museu

Dachau – Interior do Museu

Além do museu é possível visitar os alojamentos, o crematório, a câmera de gás, a torre de controle e outras dependências.

Dachau - Patio onde ficavam os alojamentos

Dachau – Patio onde ficavam os alojamentos

Dachau - Alojamentos

Dachau – Alojamentos

A entrada em Dachau é gratuita. Para chegar lá é necessário pegar o trem até a cidade de mesmo nome e depois um ônibus. Logo na saída da estação ferroviária você já avistará o ponto de ônibus. No meu caso foi só seguir a galera, #followthecrowd!

Haja estômago para almoçar depois da visita. Acabamos comprando dois kebabs (mais uma vez enormes) no próprio centrinho da cidade de Dachau.

Voltamos a Munique e como o dia estava muito bonito optamos por ir até o Englischer Garten passando pelo Hofgarten. Vale o passeio!

Hofgarten

Hofgarten

Bayerische Staatskanzlei, sede do governo do estado

Bayerische Staatskanzlei, sede do governo do estado

Englischer Garten

Englischer Garten

Peninha que nessa época os biergartens não funcionam. Existem biergartens em ambos os lugares e pelo visto são bem animados.

Chinese Towe (biergarten) no Englischer Garten

Chinese Towe (biergarten) no Englischer Garten

O legal deste passeio foi também conhecer um pouco mais o bairro de Schwabing ao longo da Ludwigstraße e Leopoldstraße. O arco da vitória (Siegestor), as universidade e a estátua The Walker (em frente a sede da Allianz) me impressionaram.

Depois do passeio voltamos ao Old Town para dar uma olhada nas lojas de esportes. São muitas e muito legais. Já tinha comentado aqui no blog quando fiz o post sobre Berlim sobre esse tipo de loja. Caso você queira comprar artigos esportivos Munique pode ser um ótimo lugar. Eles têm muita diversidade, bons preço, promoções e você ainda pode contar com o tax free.

Mais uma vez não tínhamos muita ideia de onde jantar mas desta vez não queríamos comida típica. Apelamos para o Trip Advisor e encontramos um restaurante vietnamita muito simpático chamado Jasmim. Era um pouco fora do circuito do centro porém como tínhamos o passe semanal para até seis anéis (depois explico) não nos preocupamos muito com a distância. Muito bom o restaurante e o mais engraçado: três mesas de brasileiros.  Dividimos um prato, uma cerveja e pedimos duas entradas, gastamos em torno de 27 euros.

Terceiro Dia (Rothenburg od der Tauber)

O plano era ir ao castelo de Neuschwanstein porém como não tínhamos feito reserva antecipada não quis correr o risco de enfrentar filas.  Como as reservas exigem dois dias antecedência o passeio foi adiado para o último dia. Antecipamos então o passeio do quarto dia que seria a ida até Rothenburg od der Tauber.

Rothenburg od der Tauber é uma cidade medieval murada que muitos dizem ser um dos pontos altos da Rota Romântica Alemã. Como não estávamos com vontade de fazer o clássico tour de carro pela rota romântica optamos por conhecer uma das cidades fazendo bate e volta de trem a partir de Munique. Fomos e voltamos de Munique com o uso do Bayern Ticket (mais adiante explico como ele funciona). Todos os detalhes desse passeio você encontra nesse post aqui.

Chegamos tarde e esfomeados em Munique, optamos por jantar em um restaurante indiano, chamado Indian Mango que tínhamos visto no dia anterior enquanto zapeávamos o Trip Advisor por sugestões de restaurantes. Local simples mas muito bem avaliado, no estilo bom e barato com somente indianos na cozinha. O bairro onde fica esse restaurante, Isarvorstadt, é muito animado, cheio de restaurantes, enotecas, cafés e baladinhas. Foi o que mais gostamos. Dois pratos e cerveja nos custaram em torno de 20 euros.

A rua onde fica o Indian Mango é cheia de restaurantes étnicos no estilo bom e barato. Já a Rumfordstraße e os arredores da praça GartnerPlatz possuem opções mais arrumadinhas e requintadas.

Quarto Dia (Museu de Ciências)

Acabamos voltando ao bairro que citei acima pois o Museu de Ciências fica ali próximo. Tomamos café em uma das cafeterias da Rumfordstraße e por volta das 11 da manhã entramos no museu. Pagamos 11 euros o ticket de entrada, eles não aceitavam cartões; o Museu fica localizado na ilha dos museus. Muito fácil de acessar com o metro de superfície.

Museu de Ciências - Fachada

Museu de Ciências – Fachada

Tomamos um cansaço no museu, ele é enoooorme!!! Saímos às 16 horas varados de fome mesmo apesar de termos feito uma boquinha no buffet de saladas do restaurante. A dica aqui é tentar chegar cedo ou mesmo levar um lanche para o museu, muita gente faz isso. Se você não quiser o menu de saladas será bem difícil fugir da opção salsicha e fritas.

O Museu é muito interessante e oferece muitas coisas. É o maior Museu do tipo do mundo então é praticamente impossível você conseguir ver tudo. É tão grande e antigo que dentro dele tem um museu para contar a história do próprio museu.

Museu de Ciências - história da aviação

Museu de Ciências – história da aviação

Eu gostei particularmente das áreas dedicadas à tecnologia, nano tecnologia, e história da aviação.

Museu de Ciências - tecnologia e nanotecnologia

Museu de Ciências – tecnologia e nano tecnologia

Um pouco mais antigas às áreas dedicadas a fabricação de vidro e cerâmica também são interessantes.

Museu de Ciências - cerâmica e vidro

Museu de Ciências – cerâmica e vidro

Se estiver viajando com crianças não deixe de ir, a quantidade de artefatos para interagir é enorme e a criançada se diverte. Minha dica é que você pesquise aquilo que tem mais interesse de ver e dê foco a essas salas durante a sua visita.

Nesse dia era sábado, voltamos à noite para esse bairro e fomos a uma hamburgueria. Comemos um hamburger de inspiração francesa divino no Burger and Bier O lugar era animadinho e a cerveja muito boa. Duas cervejas e um hamburger com fritas (dividimos) nos custaram 20 euros.

Quinto Dia (Castelo de Neuschwanstein)

Finalmente hora de ir a Neuschwanstein. Compramos mais uma vez o Bayern Ticket e pegamos o trem até Fussen, cidade que dá acesso ao castelo. Todos os detalhes desse passeio nesse link aqui.

Sexto Dia

Hora de ir embora… snif! Nosso voo saiu do aeroporto de Munique em direção a Dublin. O deslocamento até o aeroporto foi feito de trem; como tínhamos o passe semanal apenas pagamos a diferença até o aeroporto. O aeroporto é distante para uma cidade do porte de Munique no entanto o acesso com o trem é muito fácil.

Como chegar EM Munique?

Chegamos a Munique de trem, vindos de Innsbruck. Essa passagem de trem, assim como todos os demais tickets de trem desta viagem, comprei com antecedência no site da Bahn onde consegui tarifas descontadas, algumas em até 50%, comprando com antecedência.  Nesse post aqui estão todos os detalhes de como comprar estas passagens.

Como falei acima Munique também possui um aeroporto internacional. Eu emiti a ida para a Europa com milhas e peguei uma excelente promoção com a Lufthansa até Frankfurt; como para ir até Munique precisaria de muito mais milhas resolvi ir somente até Frankfurt e começar a viagem a partir de lá. Do aeroporto é muito fácil de acessar o centro da cidade com o trem.

Frankfurt também é um bom aeroporto para acessar a cidade de Munique, você pode ir até lá em voos diretos do Brasil e do próprio aeroporto pegar o trem para Munique. Foi o que fiz no entanto, fui para Baden-Baden.

Onde se hospedar em Munique

Se você quiser fazer quase tudo a pé em Munique o ideal é ficar no centro. Tome como base a estação ferroviária e verifique os hotéis nos arredores. Nós conseguimos uma excelente tarifa no Ibis Arnulfpark (61 euros) e optamos por ficar nele.

Ibis Arnulfpark Munique

Ibis Arnulfpark Munique

O hotel é padrão Ibis porém mais moderno. É grande, silencioso e bem atendido. Gostei bastante do serviço. Recebemos até drink de boas vindas, fazia tempo que não via a rede Ibis fazer isso.

Ibis Arnulfpark Munique

Ibis Arnulfpark Munique

Fica mais afastado do centro, 1,6 km da estação ferroviária, mas é muito bem servido pelo transporte público (tanto metro de superfície quanto trem). Em função da distância do hotel compramos um passe do transporte público, logo abaixo irei falar sobre ele.

O que é o Bayern Ticket?

É um passe diário que pode ser utilizado por até cinco pessoas para andar à vontade nos trens regionais da Bavária. Ele também dá acesso a todo transporte público em Munique para o dia em que for comprado.

Você paga de acordo com o número de pessoas, quanto maior o número mais econômico. Pagamos 30 euros para duas pessoas. Durante a semana você só pode utilizá-lo nos trens regionais que saem a partir das 09 horas da manhã. No final de semana não existe restrição de horários somente de tipologia de trem.

O Transporte Público em Munique

É tanta opção que você fica até confuso de qual meio de transporte utilizar. E isso tem um preço e infelizmente não é barato. Achei até exagerada a quantidade de meios para uma cidade do porte de Munique.

Inicialmente pensamos em comprar um ticket de grupo válido para até três pessoas por três dias consecutivos que custava 25 euros no total. No entanto esse ticket só permitiria a “inner city” uma espécie de zona 1 de Munique.

Dessa forma para irmos a Dachau teríamos que pagar a diferença e nos demais dias teríamos que pagar os tickets à parte. Além disso teríamos que comprar os tickets do aeroporto em separado também.

Fizemos as contas junto com a atendente da estação ferroviária (uma simpatia ela) e optamos por um ticket semanal que custou 27 euros a cabeça.  Esse ticket semanal não funciona por zonas e sim por anéis. Compramos o ticket que dava direito a ir até o sexto anel e que portanto, incluía Dachau.

Além disso pagamos 4 euros a menos nos tickets para o aeroporto porque só pagamos a diferença. Também não precisamos nos preocupar quando fizemos um tour com um dos metros de superfície porque esse ticket cobria uma distância muito grande.

No final fizemos as contas concluímos que teria nos custado praticamente a mesma coisa ter comprado o passe de 3 dias + tickets avulsos + as diferenças para ir até Dachau e aeroporto. Isso porque em dois dias utilizamos o Bayern Ticket e ele dá direto ao transporte dentro da cidade no dia em que você o utiliza.

No final a grande vantagem desse ticket semanal foi a praticidade. Não precisamos nos preocupar se possuímos o ticket certo, não precisamos ficar comprando tickets a todo momento e mais do que isso: não corremos o risco de tomar uma multa.

Para saber o que será mais conveniente para você tens que avaliar a localização do seu hotel, quantos dias pretende ficar, se precisas ir até o aeroporto ao não, que passeios quer fazer e quando vais utilizar o Bayern Ticket (caso venhas a utilizar). Nesse link aqui você encontra uma explicação sobre todos os tipos disponíveis.

O blog Sundays Cooks também um post super completo (acesse aqui) sobre o Transporte público em Munique. Recomendo a leitura.

Adorei Munique, uma cidade muito viva, cosmopolita e animada. Cheia de estudantes, com muito comércio e vida noturna. Exatamente o que esperávamos. Fizemos essa viagem no inverno e acho que não deixou nada a desejar. Muita vida nas ruas até tarde da noite. Infelizmente não foi possível curtir os biergartens mas não faltou animação, faltou sim foi tempo para conhecermos mais a cidade. Quem sabe em uma próxima a gente não encara a Oktoberfest? Essa ainda está na bucket list. Prost!

Um comentário sobre “Bavária – Cinco dias em Munique com bate e volta a Rota Romântica

Deixe aqui seu comentário ou dúvida

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s